Movimento 5 Estrelas ganha eleições em Itália, mas fica tudo em aberto

Alessandro di Meo / EPA

Sem maioria, o Movimento 5 Estrelas reuniu a maior percentagem de votos. No entanto, a percentagem alcançada (30%) deixa-lhe duas opções: ou quebra a promessa de não fazer coligação, ou alia-se à extrema-direita.

Nas eleições de Itália, que se celebraram este domingo, ninguém esteve perto de alcançar a maioria que permite a governabilidade calculada entre os 40% e os 45%, de acordo com o Diário de Notícias.

Vencedor sagrou-se o Movimento 5 Estrelas, de Luigi di Maio, com 29% a 32% – ainda longe da estabilidade política.

Com este resultado, surge um outro problema: este foi o Movimento que, durante a campanha eleitoral, prometeu não formar coligação com nenhum outro partido. Mas com estes resultados, o M5E já se mostrou disposto a voltar atrás e falar com outros partidos. Resta saber com quem.

De acordo com o Observador, o M5E já deixou algumas pistas. Matteo Salvini, líder da Liga – que conseguiu entre 13% a 16% -, foi ambíguo nas declarações que fez na altura de avaliar os resultados. Em conferência de imprensa, Giancarlo Giorgetti, vice-presidente da Liga, disse: “Naturalmente, falaremos primeiro com os nossos aliados”.

Giancarlo Giorgetti deixou então claro que o seu partido vai falar com o Forza Italia, de Silvio Berlusconi, primeiro, mas será que depois tenciona sentar-se à mesa com o M5E? Numa conferência de imprensa sem direito a perguntas dos jornalistas, ficou tudo por esclarecer. Apenas disse: “Sabemos o que devemos fazer. Vemos o futuro com grande tranquilidade e serenidade”.

Mais tarde, outro dirigente da Liga, Lorenzo Fontana, tornou a deixar uma mensagem que pode insinuar uma aproximação ao M5E e um afastamento do FI, pondo fim ao bloco de centro-direita.

“Começou a revolução do bom senso, graças à democracia e aos nossos cidadãos, que finalmente perceberam que o mainstream e os grandes poderes não defendem os seus interesses”, disse, podendo estar a fazer referência a Berlusconi.

Ao M5E e à Liga pode ainda juntar-se o Fratelli d’Italia (FdI) – entre 4% a 6% -, partido de extrema-direita eurocética que também fez parte do bloco do centro-direita. Em todas as projeções, a soma das percentagens previstas para estes três partidos eurocéticos e populistas ultrapassavam os 50%.

Mesmo que isso não se traduza em assentos parlamentares – na nova lei eleitoral italiana, um terço dos deputados são eleitos em círculos uninominais -, isso não esconde o facto de metade dos italianos terem votado em partidos anti-sistema, que já defenderam a saída de Itália, a quarta maior economia da Europa, tanto da UE como do euro.

Tendo em conta a complexidade do novo sistema eleitoral, os resultados definitivos da composição do próximo parlamento italiano tardarão a chegar.

O novo sistema em vigor em Itália é uma complexa mistura entre os sistemas proporcional e maioritário, fazendo com que, para ter maioria no parlamento, um partido ou coligação precise de 40% dos votos, segundo uns especialistas, e 45%, segundo outros.

Em função destes resultados, que não ditam a maioria de nenhum partido, coloca-se o cenário de coligações, que a RAI – a estação pública italiana – também analisa a partir ainda das sondagens, uma vez que não há ainda resultados apurados.

Tendo isso em conta, um bloco de centro-direita também é possível, segundo o Expresso.

Se, em vez do primeiro cenário, a Liga (13% a 16%) optar por se juntar à Forza Italia (com os mesmos resultados), ao Fratelli d’Italia (4% a 6%) e ao Noi con I’Italia (com 1% a 3%), o bloco de centro-direita alcança entre 34% a 37%, o que o coloca à frente do Movimento 5 Estrelas, mas ainda longe da maioria necessária.

Significa isto que as eleições italianas de domingo deixaram tudo em aberto e só as coligações poderão devolver a Itália um rumo e um Governo.

CF, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Da "política do filho único" a incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar …

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …

O Arecibo desabou. É o fim de uma era à procura de vida extraterrestre

O Observatório de Arecibo, em Porto Rico, morreu. Três semanas depois de um dos principais cabos de sustentação da sua cúpula ter desabado, danificado irremediavelmente o radiotelescópio, o icónico caçador de vida extraterrestre antecipou-se à …

O maior elevador panorâmico do mundo tem vista para os cenários de Avatar

Com o recente lançamento de fotografias subaquáticas dos bastidores do Avatar 2 e a notícia de que Avatar 3 está quase a terminar as filmagens, não há melhor momento para revisitar o parque nacional que …

Pandemia tirou comida da mesa, mas deu asas a startup que transforma plástico do mar em máscaras

A startup portuguesa Skizo transformou a pandemia numa oportunidade de crescimento. Quando faltava comida nalgumas mesas, a empresa de produção de sapatilhas e bolsas passou a fazer máscaras a partir de plástico retirado dos oceanos …

Na Irlanda, o Pai Natal é considerado um "trabalhador essencial"

A Irlanda fez esta semana um anúncio especialmente dedicado às crianças, afirmando que o Pai Natal é considerado um trabalhador essencial no país e, por isso, não terá as suas deslocações restringidas no período natalício. …

Mais 2400 novos casos. Portugal ultrapassa os 300 mil desde o início da pandemia

Portugal ultrapassou hoje a barreira dos 300 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia no país, em março, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou mais 2.401 novos casos, tendo passado a contabilizar …

Medidas para o Natal conhecidas no sábado. Passagem de ano com todas as restrições

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou hoje que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”. “O Governo …

Os assentos do meio da Delta Air Lines vão continuar vazios

A companhia norte-americana Delta Air Lines anunciou esta semana que continuará a manter os assentos do meio vazios, mantendo a política de distanciamento social decretada por causa da pandemia de covid-19. A bloqueio destes lugares intermediários …