Luz azul dos telemóveis não afeta só o sono (pode também causar cegueira)

(CC0/PD) MoteOo/ Pixabay

A luz azul emitida pelos ecrãs dos smartphones pode causar danos na visão

A luz emitida pelos ecrãs de smartphones pode ser muito prejudicial para a saúde ocular e levar mesmo à cegueira, conclui um estudo recente da Universidade de Toledo, nos Estados Unidos.

A tecnologia faz parte do nosso dia-a-dia e este é um facto que já não podemos negar. A população já não se consegue desligar do mundo e isso faz com que surjam várias preocupações acerca do impacto dos dispositivos digitais na saúde física e mental.

Cientistas norte-americanos levaram a cabo uma investigação, publicada recentemente na Scientific Reports, que avaliou as consequências que a luz azul dos ecrãs dos dispositivos eletrónicos pode ter na visão.

A equipa concluiu que a exposição prolongada à luz azul pode, além de interferir com o sono, causar danos irreversíveis nos olhos e acelerar a cegueira. Embora não fosse novidade para os investigadores que a exposição à luz provoca danos na retina ocular, “o mecanismo subjacente não estava claro”.

A experiência, realizada em ratinhos, tinha como objetivo analisar a degeneração das células, conta o jornal Público. Segundo os cientistas, foi possível perceber que a luz azul causa danos na retina, provocando um conjunto de reações que leva ao desenvolvimento de moléculas tóxicas.

Essas moléculas tóxicas causam a morte dos fotorrecetores presentes na retina, uma fenómeno frequentemente associado à degeneração macular relacionada com a idade (DMRI), uma doença que afeta a visão e causa uma grande parte dos casos de cegueira.

De um modo geral, a luz azul emitida por estes dispositivos transforma as moléculas presentes na retina do olho em moléculas “assassinas” das células fotorrecetoras através da libertação de substâncias nocivas. Face às outras cores, a luz azul tem um menor comprimento de onda e uma maior energia.

Kasun Ratnayake, estudante de doutoramento na Universidade de Toledo e co-autor do estudo, refere que “quando as células do olho estão mortas, estão mortas para sempre“, sendo estes danos irreversíveis.

“Não é segredo nenhum que a luz azul prejudica a nossa visão ao danificar a retina do olho. As nossas experiências explicam como isso acontece, e esperamos que isso leve a terapias que retardem a degeneração macular, como um novo tipo de colírio” (gotas para os olhos), refere Ajith Karunarathne, professor do departamento de química e bioquímica da Universidade de Toledo e autor do estudo.

Durante a experiência, os investigadores introduziram também moléculas da retina noutros tipos de células do corpo, como células cancerígenas, cardíacas ou neurónios e verificaram que, quando expostas à luz azul, também morrem. “A toxicidade gerada na retina pela luz azul é universal. Pode matar qualquer tipo de célula”, conclui Karunarathne.

Os cientistas aconselham o uso de óculos que filtrem os raios Ultra Violeta e a luz azul e evitar usar dispositivos em locais às escuras.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam hidrogel que se cura a si mesmo como a pele humana

A carne artificial, que pode vir a ser essencial para futuros desenvolvimentos em robótica e dispositivos médicos, está cada vez mais próxima de se tornar realidade. Cientistas na Austrália criaram um novo material gelatinoso que, asseguram, …

As estranhas "riscas de tigre" de Encélado foram finalmente explicadas

A lua gelada de Saturno, Encélado, tem despertado especial interesse na comunidade científica desde que foi observada em detalhe pela sonda espacial da NASA Cassini em 2005. Agora, uma equipa de cientistas encontrou resposta para …

Nicolas Bourbaki foi o maior matemático de sempre (mas nunca existiu)

Considerado como um dos maiores matemáticos de sempre, Nicolas Bourbaki não passava de um pseudónimo adotado por um grupo de grandes matemáticos, que revolucionou a matemática como a conhecemos. Nicolas Bourbaki está entre os maiores matemáticos …

No aquário do Tennessee, é uma enguia que acende as luzes da árvore de Natal

A enguia Miguel Wattson é a responsável pelo espírito natalício que se vive no Aquário do Tennessee, nos Estados Unidos. O Aquário do Tennessee, nos Estados Unidos, encontrou uma forma inusitada de celebrar esta época festiva: …

Há 34 anos, Diana dançou com Travolta. Agora, o seu vestido foi vendido por 261 mil euros

O vestido que a Princesa Diana usou para jantar na Casa Branca, em 1985, foi vendido por mais de 261 mil euros. O vestido azul que a Princesa Diana usou num jantar na Casa Branca, em …

Doentes crónicos com baixo nível de literacia em saúde recorrem mais às urgências

Os doentes crónicos e com um nível de literacia em saúde mais baixo utilizam mais vezes os serviços de urgência hospitalares e dos centros de saúde, bem como as consultas de medicina geral e familiar, …

Ártico viveu em 2019 o segundo ano mais quente em 119 anos

O Ártico viveu em 2019 o seu segundo ano mais quente desde 1900, de acordo com um relatório publicado na terça-feira, aumentando receios de degelo e aumento do nível da água. O Polo Norte está a …

Jardineiro encontra por acaso a obra mais procurada de Gustav Klimt. Estava no galeria onde foi roubada

Um funcionário da galeria de arte Ricci Oddi, na cidade italiana de Piacenza, encontrou por acaso a obra mais procurado do pintor austríaco Gustav Klimt. Estava na própria galeria, onde a obra terá sido roubada …

YouTube reforça políticas contra assédio online

O YouTube anunciou, esta quarta-feira, um conjunto de alterações às políticas que visam combater o assédio que existe na plataforma. O YouTube anunciou esta quarta-feira o reforço das suas políticas contra o assédio online, que preveem …

Deus bebé indiano vence caso em tribunal e reinvindica território sagrado

O Supremo Tribunal Indiano declarou Ram Lalla Virajman, um deus bebé, como o legítimo proprietário de Ayodhya, uma terra no norte da Índia considerada sagrada por muçulmanos e hindus. O tribunal decidiu que o Governo …