Lusófona é responsável pelas irregularidades nas licenciaturas

João Carvalho / Wikimedia

Edifício da Universidade Lusófona em Lisboa

Edifício da Universidade Lusófona em Lisboa

O professor da Universidade do Minho e constitucionalista Pedro Bacelar Vasconcelos considera que a Universidade Lusófona é a responsável pela atribuição de graus académicos irregulares, independentemente de os alunos terem ou não conhecimento de algum ilícito praticado.

A Universidade Lusófona regularizou apenas cinco dos 152 casos de processos académicos com atribuição irregular de equivalências e créditos, seis meses depois de o Ministério da Educação ter exigido a sua anulação.

O constitucionalista e especialista em direito administrativo Pedro Bacelar Vasconcelos disse à Lusa que os casos têm de ser analisados individualmente, apesar de a responsabilidade caber “em primeira linha” à Universidade, que sem fundamento atribuiu qualificações aos alunos.

“Se se demonstrar que as qualificações anteriormente certificadas o foram erradamente, cria-se uma situação que, em última análise, será resolvida caso a caso e de acordo com o tipo de relações que se estabeleceram na suposição da existência dessa qualificação”, disse.

Na opinião do professor de direito, existe um benefício indevido que foi atribuído, que se traduz no reconhecimento de uma qualificação dada por uma instituição.

“Independentemente de o aluno ter ou não conhecimento do ilícito, estamos perante uma responsabilidade de uma instituição que estava certificada para fazer o que fez“, diz o constitucionalista.

“Independentemente de os alunos terem ou não a perceção de alguma eventual irregularidade, isso não apaga a responsabilidade da instituição que o fez relativamente aos benefícios que foram recebidos e erradamente atribuídos”, salientou.

Também o professor catedrático da Faculdade de Direito de Lisboa Paulo Otero disse à Lusa que a análise tem de ser feita “caso a caso”.

“No entanto, eu diria que a situação dos alunos depende de várias circunstâncias: a primeira é saber se existia uma norma que permitia que verificados determinados pressupostos eles (alunos) tinham o direito à equivalência na respetiva disciplina. Isso significa que eles, de algum modo, ao pedirem a equivalência, colaboraram na prática do ato, mas a verdade é que colaboraram tendo uma norma que permitia que assim sucedesse”, indicou.

O professor defendeu que, em qualquer caso, “o aluno é alheio à ocorrência, salvo se tomou a iniciativa de pedir essa equivalência sabendo que não tinha direito” à mesma.

“Isto pode ser relevante para efeitos de responsabilidade civil, e a responsabilidade civil é da universidade, que lhe atribuiu um título e com base nesse título o aluno veio por exemplo a obter uma determinada profissão que depende da respetiva licenciatura”, sublinhou.

Paulo Otero disse que se, por exemplo, o aluno perder o emprego na sequência das irregularidades, este pode vir a desencadear uma ação de responsabilidade civil contra a universidade.

Em dezembro do ano passado, o secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes, deu à Universidade Lusófona de Lisboa um prazo de 60 dias para regularizar os 152 processos de creditação académica e profissional irregulares detetados pela Inspeção Geral de Educação (IGEC), que analisou 398 processos entre os anos 2006 e 2012.

/Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Que porcaria de universidade! As pessoas é que saem prejudicadas, pois quando virem no seu currículo “Lusófona” nem as contratam…

    • E, qualquer empresário minimamente sábio desconfia sempre desses cursos pagos; basta ver o que acontece nas universidades privadas dos EUA…

  2. Fechem esta pseudo universidade da treta de uma vez por todas. Acabem com os doutores e engenheiros do faz de conta com diplomas comprados.

  3. Como é possível um fadista com o curso de regente agrícola sem ter frequentado qualquer plano de estudos, passar a usar um título de engenheiro do ambiente? Só num país das bananas como este.

Responder a Eu Cancelar resposta

Governo brasileiro deixou de aplicar grande parte das verbas públicas para combater covid-19

O Governo brasileiro deixou de executar grande parte das verbas públicas disponibilizadas para programas destinados a conter os efeitos da pandemia da covid-19, estando em causa vários milhões de reais. Segundo revelou o Folha de São …

Meghan Markle revela que passou por aborto espontâneo. "Perder um filho é uma dor quase insuportável"

Meghan Markle revelou que teve um aborto espontâneo em julho, contando a sua experiência traumática na esperança de ajudar outras pessoas. A Duquesa de Sussex descreveu o aborto num artigo de opinião publicado hoje no jornal …

FC Porto e Sporting com duelos de "primeira" na Taça, Benfica à espera

O sorteio realizado, esta quarta-feira, deu a conhecer os adversários do FC Porto e do Sporting na quarta eliminatória da Taça de Portugal. Benfica ainda aguarda o resultado da partida entre Vilafranquense e Sanjoanense. O FC …

Von der Leyen lembra Hungria e Polónia que milhões de europeus estão à espera

A presidente da Comissão Europeia deplorou, esta quarta-feira, o impasse na aprovação do Orçamento Plurianual e do Fundo de Recuperação, apontando que os líderes devem uma resposta urgente a milhões de cidadãos europeus angustiados, incluindo …

Lista da Bloomberg ordena os 50 países que respondem melhor à pandemia. Portugal fora dos 30 primeiros

O Ranking da Bloomberg avalia dez critérios que dizem respeito à forma como os países dominaram a pandemia. Portugal aparece sensivelmente a meio, melhor no acesso à saúde, pior no fator económico. A Bloomberg, grupo de …

Altice Portugal corta relações institucionais com a Anacom

A Altice Portugal anunciou, esta quarta-feira, que decidiu suspender "qualquer relacionamento institucional" com a Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom). "No atual contexto, em que toda a economia nacional e seus agentes se sentem já esclarecidos e …

Ana Gomes espera que Marcelo pare de alimentar "tabu" sobre uma recandidatura

A candidata presidencial Ana Gomes disse nesta quarta-feira esperar que o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, não continue a alimentar o "tabu" sobre uma recandidatura, "até para não se valer do cargo" …

Bloco de Esquerda vai votar contra o Orçamento do Estado

O Bloco de Esquerda vai votar contra a proposta do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), que vai ser votada, na Assembleia da República, esta quinta-feira. De acordo com o jornal Público, a decisão ainda vai …

Agência europeia de aviação prepara-se para autorizar regresso do Boeing 737 MAX

A Agência Europeia para Segurança da Aviação (EASA) manifestou hoje intenção de aprovar o regresso da aeronave Boeing 737 MAX aos céus da União Europeia (UE), mas apenas se forem cumpridos requisitos técnicos e de …

Xi Jinping dá os parabéns a Joe Biden pela vitória nas eleições

O Presidente chinês deu os parabéns pela vitória ao Presidente eleito dos Estados Unidos, esta quarta-feira, expressando esperança num espírito de cooperação entre os dois países, para que todos fiquem a ganhar. A China foi uma …