Lukashenko diz que vai deixar o poder depois das reformas constitucionais

Andrei Stasevich / (H) Belta

Aleksandr Lukashenko, Presidente da Bielorrússia

O Presidente da Bielorrússia afirmou, esta sexta-feira, que deixará de liderar o país depois da aprovação das reformas constitucionais, que propôs para acalmar os protestos que se sucedem desde as Presidenciais de agosto.

“Não estou a fazer uma Constituição à minha medida. Com a nova Constituição já não servirei como Presidente“, declarou Alexander Lukashenko durante a visita a um hospital onde são tratados doentes com o novo coronavírus, citado pela agência BELTA.

O chefe de Estado, declarado vencedor das eleições Presidenciais de agosto, consideradas fraudulentas pela oposição e pelo Ocidente, criticou os contestatários que “atacam o Presidente e a vertical do poder” no país.

Lukashenko, eleito para um sexto mandato presidencial, defendeu que “a vertical do poder” existente na Bielorrússia é a coluna que permitiu evitar o colapso do país.

O Presidente disse igualmente que o país possui uma “Constituição muito importante”, tal como o Cazaquistão e a Rússia. “Somos três Estados avançados que têm uma Constituição importante, na qual tudo depende da decisão do Presidente”.

As alterações constitucionais devem conduzir a uma lei fundamental “benéfica para o país”, mas o seu objetivo não é trazer “mais democracia”, declarou.

No entanto, o chefe de Estado não deu qualquer prazo para que estas reformas constitucionais aconteçam e, recorde-se, não é a primeira vez que fala nelas.

A oposição qualificou a proposta de Lukashenko de “imitação de democracia”, considerando que o Presidente apenas está a tentar prolongar o seu poder e desviar a atenção das “eleições roubadas”.

Segundo o jornal Público, Lukashenko fez estas declarações um dia depois de se ter encontrado com o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov, que o pressionou a iniciar o processo de revisão constitucional para apaziguar a situação no país.

A oposição continua a organizar manifestações todos os fins-de-semana para exigir a demissão imediata do chefe de Estado. E Bruxelas já está a preparar um novo pacote de sanções económicas, em resposta à repressão das autoridades aos protestos.

Bruxelas já impôs o congelamento de bens e a proibição de entrada em território europeu a mais de 50 figuras do regime bielorrusso, incluindo o próprio Presidente Lukashenko.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Onze mineiros resgatados com vida de uma mina de ouro na China

Onze mineiros presos há duas semanas dentro de uma mina de ouro na China, devido a uma explosão, foram hoje trazidos em segurança para a superfície, informou a televisão estatal chinesa. No dia 10 de janeiro, …

Multimilionário oferece 1 milhão em prémios por evidências de vida após a morte

Um empresário de Las Vegas, nos Estados Unidos, está a oferecer um milhão de dólares em prémios em troca de evidências de que existe vida após a morte. O investidor imobiliário e empresário espacial Robert Bigelow, …

Marcelo reeleito com 55% a 62% dos votos. Ana Gomes em segundo lugar

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito para um segundo mandato como Presidente da República, após vencer as eleições deste domingo com 55% a 62% dos votos.  Segundo as primeiras projeções, Ana Gomes deverá ficar em …

Itália vai processar Pfizer e AstraZeneca devido a atrasos nas vacinas. UE pede "transparência"

A Itália vai processar a Pfizer Inc e a AstraZeneca devido aos atrasos na entrega das vacinas contra a covid-19 e para garantir os fornecimentos – não para obter compensações, disse neste domingo o ministro …

Declínio cognitivo relacionado com a idade pode ser reversível

Cientistas conseguiram reverter em ratos o declínio cognitivo causado pelo envelhecimento. O objetivo dos investigadores é que as farmacêuticas baseiem-se neste estudo para criar um composto que possa ser administrado em humanos. As células específicas do …

Afluência às urnas é menor (mas há mais votantes). Abstenção deverá ficar entre os 56 e 60%

A afluência às urnas às 16:00 nas presidenciais de hoje em Portugal, 35,4%, é a segunda mais baixa desde as eleições de 2006, ano em que este número passou a ser divulgado pela administração eleitoral. Esta …

Reino Unido já vacinou quase 6 milhões. Alemanha aumenta controlo nas fronteiras

O Reino Unido já administrou a primeira das duas doses da vacina contra o novo coronavírus em cerca de seis milhões de pessoas, quando o número de mortes no país devido à pandemia está perto …

Polícia desmantela rede de tráfico internacional de armas (e descobre santuário dedicado a Hitler)

Em dezembro, as autoridades espanholas conseguiram desmantelar uma rede ilegal de armas que operava em toda a Europa, e acabou por capturar os traficantes. O que a polícia não esperava era encontrar um armazém cheio …

Diminuição da esperança média de vida é "consequência inevitável" da pandemia

A esperança média de vida em Portugal vai necessariamente diminuir em consequência da pandemia de covid-19, defendeu um especialista, explicando que isso decorre do efeito combinado da morte de idosos, mas também de jovens em …

Novo estudo explica a importância de esterilizar os gatos antes da adolescência

Um novo estudo sugere que a idade de esterilização dos gatos deve ser antecipada de seis para quatro meses, com o objetivo de prevenir ninhadas indesejadas de gatinhos, que muitas das vezes acabam por ser …