Lukashenko diz que vai deixar o poder depois das reformas constitucionais

Andrei Stasevich / (H) Belta

Aleksandr Lukashenko, Presidente da Bielorrússia

O Presidente da Bielorrússia afirmou, esta sexta-feira, que deixará de liderar o país depois da aprovação das reformas constitucionais, que propôs para acalmar os protestos que se sucedem desde as Presidenciais de agosto.

“Não estou a fazer uma Constituição à minha medida. Com a nova Constituição já não servirei como Presidente“, declarou Alexander Lukashenko durante a visita a um hospital onde são tratados doentes com o novo coronavírus, citado pela agência BELTA.

O chefe de Estado, declarado vencedor das eleições Presidenciais de agosto, consideradas fraudulentas pela oposição e pelo Ocidente, criticou os contestatários que “atacam o Presidente e a vertical do poder” no país.

Lukashenko, eleito para um sexto mandato presidencial, defendeu que “a vertical do poder” existente na Bielorrússia é a coluna que permitiu evitar o colapso do país.

O Presidente disse igualmente que o país possui uma “Constituição muito importante”, tal como o Cazaquistão e a Rússia. “Somos três Estados avançados que têm uma Constituição importante, na qual tudo depende da decisão do Presidente”.

As alterações constitucionais devem conduzir a uma lei fundamental “benéfica para o país”, mas o seu objetivo não é trazer “mais democracia”, declarou.

No entanto, o chefe de Estado não deu qualquer prazo para que estas reformas constitucionais aconteçam e, recorde-se, não é a primeira vez que fala nelas.

A oposição qualificou a proposta de Lukashenko de “imitação de democracia”, considerando que o Presidente apenas está a tentar prolongar o seu poder e desviar a atenção das “eleições roubadas”.

Segundo o jornal Público, Lukashenko fez estas declarações um dia depois de se ter encontrado com o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov, que o pressionou a iniciar o processo de revisão constitucional para apaziguar a situação no país.

A oposição continua a organizar manifestações todos os fins-de-semana para exigir a demissão imediata do chefe de Estado. E Bruxelas já está a preparar um novo pacote de sanções económicas, em resposta à repressão das autoridades aos protestos.

Bruxelas já impôs o congelamento de bens e a proibição de entrada em território europeu a mais de 50 figuras do regime bielorrusso, incluindo o próprio Presidente Lukashenko.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Depende de todos nós". Marcelo espera que confinamento não ultrapasse um mês

O Presidente da República e recandidato ao cargo espera que o atual confinamento, com dever geral de recolhimento e encerramento de um conjunto de atividades, não ultrapasse um mês. "Esperamos que não ultrapasse um mês, mas …

Supremo sul-coreano confirma condenação da ex-Presidente Park Geun-hye

Esta quinta-feira, o Supremo Tribunal da Coreia do Sul confirmou a pena de prisão de 20 anos para a ex-Presidente Park Geun-hye, acusada de corrupção e abuso de poder. O Supremo Tribunal da Coreia do Sul …

Ventura evocou legado de Sócrates, em Castelo Branco, "o símbolo do que não deve ser a política"

André Ventura esteve em Castelo Branco, que diz que "pode bem ser o símbolo do que não deve ser a política em Portugal", evocando o legado de José Sócrates na região. Em contrarrelógio, André Ventura fez …

#VermelhoemBelem. Ventura criticou os "lábios muito vermelhos" de Marisa e nasceu uma onda de apoio à bloquista

O batom vermelho de Marisa Matias não agrada ao líder do Chega. André Ventura fez um comentário depreciativo sobre a candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda e o Twitter pintou-se de vermelho em forma de …

Pfizer atrasa entrega de vacinas na Europa para melhorar produção

O laboratório norte-americano advertiu para uma quebra, "a partir da próxima semana", nas entregas das vacinas anti-covid na Europa, com vista a melhorar a sua capacidade de produção. "Recebemos esta mensagem hoje um pouco antes das …

Cabrita, Van Dunem e Temido. Metade dos portugueses quer uma remodelação no Governo

Metade dos portugueses (52%) defende que deve ser levada a cabo uma remodelação no Governo, revela uma sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios e para o Correio da Manhã. Segundo a mesma pesquisa …

TAP a financiar-se sozinha já em 2022. Renegociação dos acordos arranca até abril

O ministro das Finanças, João Leão, considerou que a TAP deve conseguir financiar-se nos mercados já no próximo ano, dependendo isso da velocidade da retoma e da relação com os atuais investidores. "É importante que a …

Biden propõe estímulo de 1,9 mil milhões. Republicana promete processo de destituição após tomada de posse

O presidente eleito norte-americano Joe Biden pretende aplicar 1,9 mil milhões de dólares em medidas de aceleração da vacinação para a covid-19 e assistência financeira a indivíduos e empresas. Biden, cuja tomada de posse está marcada …

Portugal com novo máximo de mortes. Há mais 10.663 infetados

Portugal registou, esta sexta-feira, mais 159 mortes e 10.663 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 10.663 novos …

StayAway Covid só enviou 2.708 alertas de contágio. 60% já desinstalaram a app

Apenas 39% das quase três milhões de pessoas que instalaram a StayAway Covid é que a continuam a usar. A app só enviou 2.708 alertas de contágio. A StayAway Covid, a aplicação móvel criada para rastrear …