Londres alerta que Brexit pode transferir “selva” de Calais para Inglaterra

The Prime Minister's Office / Flickr

O primeiro-ministro britânico, David Cameron

O primeiro-ministro britânico, David Cameron

Um porta-voz do primeiro-ministro britânico David Cameron admitiu esta segunda-feira o risco de que uma saída do Reino Unido da União Europeia (UE) possa levar a uma transferência do campo de imigrantes de Calais, norte de França, para Inglaterra.

“Se o Reino Unido deixar a União Europeia, não há nenhuma garantia de que os agentes britânicos de controlos de fronteira em Calais permaneçam no local”, afirmou o porta-voz adjunto, acrescentando que “se esses controlos não estiverem no local, então não há nada que impeça milhares de pessoas de atravessarem o Canal da Mancha para chegarem a Kent e pedirem asilo”.

Segundo a imprensa britânica, este deverá ser um dos argumentos utilizados por David Cameron, que prometeu fazer um referendo sobre a permanência do Reino Unido na UE até ao final de 2017, na campanha para convencer os eleitores a aceitar o projeto de reformas que negociou com Bruxelas.

O porta-voz do primeiro-ministro britânico sublinhou que o Reino Unido e França têm “relações de trabalho positivas” no que toca às fronteiras, mas que “uma saída da UE colocaria em causa o conjunto da relação”.

Os apoiantes do Brexit – a saída do Reino Unido da União Europeia – acusam o Governo de alarmismo.

“O tratamento dos migrantes em Calais depende de um acordo com França, não com a UE. Não há nenhuma razão para que mude se sairmos da UE”, afirmou Arron Banks, um dos fundadores do movimento “Leave EU”.

“O governo agita este fantasma porque não conseguiu da UE as reformas de fundo que tinha prometido”, acrescentou o empresário.

Já o movimento pró-UE “Britain Stronger in Europe” considera o impacto de uma saída da UE na gestão das fronteiras uma questão real.

“Enquanto membro da UE, temos o melhor de dois mundos”, assegurou Will Straw, um dos dirigentes do movimento. “Graças ao acordo com França, os nossos controlos nas fronteiras estão em Calais e não em Dover. Se sairmos da UE, há um risco real desse acordo cessar, tornando menos seguras as fronteiras do Reino Unido”, alertou.

ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. A Europa paga à Turquia para deter os emigrantes. O Reino Unido paga à França para deter os emigrantes. A Grécia e Itália detêm os emigrantes. Existem paises que não pagam a ninguém e fecharam as respetivas fronteiras aos emigrantes. Existem paises (como o nosso) que desviam recursos nacionais para acolher os emigrantes. Conclusão: Os emigrantes são um problema e não trazem mais valias. Pergunta: Se eles estivessem bem no país deles quereriam vir para cá? Talvez não. E porque não estão bem nos países deles? Não sou historiador mas julgo que no tempo das Cruzadas isto não aconteceu e na Europa existia paz. Se existisse Deus a paz seria eterna.

RESPONDER

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …

Turismo, indústria e energia fazem do Norte região que mais cresceu em 2018

O Norte foi a região portuguesa que mais cresceu em 2018, com um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,9%, impulsionado pelo turismo, indústria e energia, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística …