Lei de Bases da Saúde. De intenções está o Parlamento cheio, mas pode não dar em nada

Manuel de Almeida / Lusa

Não foi à primeira, nem à segunda, nem à terceira. À quarta será de vez? Esta terça-feira, os deputados vão votar a parte mais polémica da nova lei-quadro da Saúde e em causa está o que cada um defende para as parcerias público-privadas.

Após mais um debate quinzenal, os deputados que fazem parte do grupo de trabalho que está a tentar construir uma nova Lei de Bases da Saúde sobem às salas das comissões, no final da tarde desta terça-feira, para votarem a base mais polémica: o que vai, ou não, prever a existência de parcerias público-privadas (PPP) no futuro.

Caso não peçam um novo adiamento, é desta vez que haverá, finalmente, fumo branco na Lei de Bases da Saúde. Esta é mais uma tentativa para salvar esta nova lei, depois de na semana passada o Bloco de Esquerda, PCP e PS terem colocado na mesa propostas para resolver o impasse na geringonça.

Todo o processo está bloqueado pela questão das PPP. O Bloco e o PCP rejeitavam que este tipo de contratos com privados pudesse existir, argumentando que seria em benefício dos grandes grupos económicos e que, por isso, essa porta deveria permanecer fechada.  Mas os socialistas discordam. O PS defende que a Lei de Bases não deve proibir, mas sim limitar este tipo de contratos.

Apesar de terem surgido várias propostas de alteração, a verdade é que nenhuma delas convenceu. Na semana passada, quando o PS pediu para adiar as votações pela última vez, o Bloco propunha que se deixasse cair qualquer referência às PPP, ou seja, a lei deveria ser aprovada e, no futuro, retomava-se a discussão em relação às parcerias público-privadas.

Contudo, o PCP continuava a defender a proibição da gestão privada na Saúde, embora não defendesse a proibição da prestação de cuidados de saúde por privados, se necessário. Segundo o Expresso, ambos defendiam a revogação do decreto-lei de Durão Barroso, de 2002, que regulamentava as PPP.

O PS surgiu com uma alteração de última hora, propondo a regulamentação destes contratos na próxima legislatura. Mas a esquerda não gostou que os socialistas deixassem a porta aberta para continuar a celebrar acordos deste tipo com os privados. Aliás, fontes do Bloco de Esquerda contaram ao Expresso que tudo não passava de uma “alteração cosmética” por parte do PS.

Quando Carlos César propôs, na semana passada, que a lei de Bases ficasse adiada para a próxima legislatura, as acusações subiram de tom. Os parceiros não gostaram das declarações de César, e levantaram suspeitas se o PS queria, de facto, chegar a um consenso, uma vez que os socialistas pediram “força” nas eleições de outubro para aprovar boas leis.

A direita começou a ser descartada pelos socialistas, que afirmaram querer fazer uma Lei de Bases da Saúde à esquerda, com os “verdadeiros defensores do SNS“. O argumento que o PS tem atirado tem sido que a sua atual proposta é melhor do que ficar com a lei atualmente em vigor. Apesar disso, Carlos César afirmou que ninguém está posto de parte nas negociações.

O PS já teve também avisos do Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa afirmou não querer que a porta fique definitivamente fechada em relação às PPP.

Na tarde desta terça-feira estará a votos a famosa base 18, relativa à gestão e funcionamento do Serviço nacional de Saúde (SNS). Os olhos estão postos no ponto 3, relativo à existência de privados.

Depois de ser confirmada pela comissão parlamentar de Saúde, vai a plenário para votação final global. Ainda assim, está tudo em aberto, uma vez que não há garantias de que sobreviva a todo este processo.

LM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Fernando Pimenta é campeão do mundo em K1 1.000 (e aponta a "mais medalhas" do que os golos de Ronaldo)

O canoísta Fernando Pimenta sagrou-se campeão mundial de K1 1.000 metros, ao bater o húngaro Balint Kopasz na final, nos Mundiais de Copenhaga, aumentando para dois os pódios de Portugal na Dinamarca. Na pista quatro, Pimenta …

MNE garante que todos os afegãos que trabalharam com o Exército português foram retirados do país

O ministro dos Negócios Estrangeiros garantiu esta sexta-feira que o Governo apoiou a retirada de todos os afegãos que trabalharam com as forças portuguesas no Afeganistão, reconhecendo ser "provável" alguns não terem respondido aos contactos. "Nós …

"Não quero ser arrogante: o melhor médio da Premier League sou eu"

Yves Bissouma joga no Brighton e tem despertado o interesse de clubes ingleses de outro nível. Cresceu no Mali ao serviço do Majestic SC, passou pelo AS Real Bamako antes de rumar à Europa. Começou por …

Tratamento inovador para cancro pesa nos orçamentos do IPO de Porto e Lisboa

Os custos associados ao tratamento de cancros do sangue com células CAR-T estão a ser suportados apenas pelos hospitais autorizados a aplicá-la, no caso, os IPO do Porto e de Lisboa. De acordo com o Jornal …

Gravuras descobertas no Tibete são as mais antigas da arte pré-histórica. Foram feitas por crianças

Uma equipa encontrou antigas pegadas e marcas de mãos feitas por crianças no planalto tibetano. Esta descoberta traz novos detalhes sobre a presença humana no local. O estudo, publicado na revista Science Direct, revela que estes …

Comissão nos EUA desaconselha terceira dose da Pfizer a maiores de 16 anos

Uma comissão consultiva da agência reguladora dos EUA para os medicamentos e a alimentação (FDA, na sigla em inglês) pronunciou-se esta sexta-feira contra a aplicação de uma terceira dose da vacina Pfizer contra a covid-19 …

Santos Silva quer preços da eletricidade na agenda da UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, defendeu esta sexta-feira que a União Europeia (UE) tem de colocar em agenda o problema do aumento dos preços da eletricidade no continente, alertando que a reação …

Já há uma calculadora que prevê o risco de se ser infetado com covid-19 (em diversos cenários)

Já existe uma ferramenta online que calcula o risco de se ser infetado com covid-19. Chama-se microCOVID, baseia-se em dados recentes, analisa diferentes cenários e foi desenvolvida por um grupo de amigos. Numa altura em que …

Alargamento de teletrabalho não deve abranger empresas de menor dimensão

O Governo defendeu esta sexta-feira, na Concertação Social, que "as empresas de menor dimensão" devem ficar excluídas da medida que prevê o alargamento do teletrabalho a pais com filhos menores de oito anos, sempre que …

Costa acusa oposição de “absoluta impreparação” por não saber o que é o PRR

O secretário-geral do PS, António Costa, acusou esta sexta-feira a oposição de “absoluta impreparação” por não saber o que é o PRR, nem a “missão patriótica” que consiste em pô-lo “em marcha para o bem …