Lei da cópia privada aprovada com votos da maioria

 

Alexandre Normand / flickr

-

O parlamento aprovou hoje com os votos da maioria PSD/CDS-PP duas propostas de lei do Governo relativas a direitos de autor, direitos conexos e cópia privada e rejeitou um projeto do PCP sobre a partilha de dados informáticos.

A proposta de lei do Governo que estabelece uma taxa entre 0,05 cêntimos e 20 euros, a aplicar aos equipamentos e dispositivos como leitores de mp3, telemóveis ou CD, foi aprovada pela maioria PSD/CDS-PP, a abstenção do PS, e os votos contra do PCP, BE, PEV e de 11 deputados do PS.

Jorge Manuel Gonçalves, António Cardoso, Glória Araújo, Paulo Campos, André Figueiredo, Fernando Serrasqueiro, José Lello, Rui Paulo Figueiredo, Isabel Santos, Renato Sampaio e Ana Paula Vitorino foram os deputados socialistas que optaram pelo voto contra.

A maioria PSD/CDS-PP aprovou ainda, também na generalidade, uma proposta de lei que regula as entidades de gestão coletiva do direito de autor e dos direitos conexos, “inclusive quanto ao estabelecimento em território nacional e à livre prestação de serviços das entidades previamente estabelecidas noutro estado-membro da União Europeia ou do Espaço Económico Europeu.

PCP, BE e PS abstiveram-se relativamente a este diploma, mas o PEV e nove deputados socialistas votaram contra: Glória Araújo, Paulo Campos, André Figueiredo, Fernando Serrasqueiro, Renato Sampaio, Ana Paula Vitorino, José Lello, Rui Paulo Figueiredo, Isabel Santos.

Com os votos favoráveis do PSD, CDS-PP, PS e a abstenção do BE, PCP e PEV foi aprovada uma proposta de lei que transpõe uma Diretiva comunitária “relativa a determinada utilizações de obras órfãs” [que estão protegidas pelo direito de autor e direitos conexos mas cujos titulares não estão identificados ou localizáveis].

Segundo o diploma aprovado, a utilização destas obras passa a beneficiar bibliotecas, escolas, arquivos, museus, instituições responsáveis pelo património cinematográfico e sonoro e de radiodifusão de serviço público.

Um projeto de lei do PCP que propunha um regime jurídico relativo à partilha de dados informáticos foi chumbado com os votos contra da maioria PSD/CDS-PP e a abstenção do PS e do BE.

No projeto, o PCP propunha a compensação monetária de autores que não proíbam a partilha de dados informáticos contendo obras ou partes de obras protegidas.

As verbas seriam provenientes da cobrança aos fornecedores dos serviços de Internet de uma contribuição mensal de 0,75 euro por contrato de fornecimento de serviços.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Cavani: brasileiros com milhões... mas pessimistas

O Grémio estabelece quatro parcerias para contratar o uruguaio. No entanto, a direção do clube não acredita que Cavani se vai mudar para Porto Alegre. "Na vida, se não conversas, nada sabes. Até pode surgir uma …

Ministério da Saúde indiano sem dados sobre médicos que morreram de covid-19. Associação fala em 382 óbitos

Depois de o Ministério da Saúde indiano ter afirmado esta semana que o não dispõe dos dados sobre os profissionais de saúde que morreram devido à covid-19, a Associação Médica do país publicou uma lista …

Chega apresenta proposta que prevê castração química para pedófilos

O projeto de revisão constitucional do Chega, entregue hoje no parlamento, prevê a remoção dos órgãos genitais a criminosos condenados por violação de menores, algo que em si mesmo encerra dúvidas de conformidade com a …

Fluminense: as derrotas pós-Evanilson e as quatro ausências de Fred

O reforço do FC Porto deixou a equipa brasileira que, desde essa transferência, contabiliza mais derrotas do que vitórias. A instabilidade de Fred não ajuda. Portugal continua mais atento ao Flamengo do que ao Fluminense, mesmo …

MP suíço pede 28 meses de prisão para presidente do PSG e 3 anos para Valcke

O Ministério Público suíço pediu, esta terça-feira, uma pena de 28 meses de prisão para Nasser Al-Khelaïfi, presidente do Paris Saint-Germain, e de três anos para Jérôme Valcke, antigo número dois da FIFA. Trata-se dos primeiros …

Empresa japonesa cria lâmpada UV inócua para humanos que inativa coronavírus

Uma empresa japonesa desenvolveu uma lâmpada de radiação ultravioleta que inativa o novo coronavírus, recorrendo a um comprimento de onda que um estudo científico diz ser inócuo para os seres humanos. A lâmpada Care 222 foi …

Trump pede à ONU atribuição de sanções à China por ter "ocultado factos relevantes"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, exortou hoje as Nações Unidas a “pedirem responsabilidades à China” pela sua atuação na fase inicial da expansão da pandemia de covid-19. Na sua intervenção durante o debate geral da …

Há um "clima de medo e insatisfação" nas Forças Armadas, diz Associação de Sargentos

O presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), Lima Coelho, disse à Rádio Renascença que se vive um "clima de medo e insatisfação nas Forças Armadas", que inclui ameaças, avaliações injustas, demora excessiva das reclamações …

Teletrabalho e questões ambientais são prioridade para o PS no início da sessão legislativa

A líder parlamentar do PS afirma que duas das principais prioridades da sua bancada no início da presente sessão legislativa vão passar pela regulamentação do teletrabalho e pela aprovação de uma lei de bases do …

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie

A justiça alemã abriu um novo inquérito contra o principal suspeito do desaparecimento de Maddie McCann, relativo à violação de uma jovem irlandesa, em 2004, anunciou, esta terça-feira, o procurador de Brunswick. "Posso confirmar que investigamos …