Lei anti-LGBT. PCP não revela sentido de voto na resolução contra a Hungria

Patrick Seeger / EPA

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán

O Parlamento Europeu vai aprovar um projeto de resolução que condena Viktor Orbán. O PCP ainda não revelou o seu sentido de voto.

A Hungria aprovou a 15 de junho uma lei proibindo “a promoção” da homossexualidade junto de menores de 18 anos, o que desencadeou a inquietação dos defensores dos direitos humanos, numa altura em que o Governo conservador de Viktor Orbán multiplica as restrições à comunidade LGBTI.

O Observador avança, esta quinta-feira, que o Parlamento Europeu vai aprovar por larga maioria um projeto de resolução que condena Orbán. Os eurodeputados portugueses associaram-se ao movimento de repúdio, mas o PCP ainda não revelou o seu sentido de voto.

Fonte oficial do partido revelou ao jornal online que os deputados do PCP no Parlamento Europeu “defendem o direito à igualdade e os direitos das pessoas LGBTQI, em que país for, tal como consagrado no Artigo 13º da CRP, recusando qualquer forma de discriminação com base na orientação sexual”.

Ainda assim, defendem que “o incremento do quadro de ameaças, chantagens, imposições e sanções da UE contra os Estados e os seus povos não resolvem problemas existentes, antes podem contribuir para o acirramento de tensões e agravamento das situações que alegadamente as motivam”.

O Bloco de Esquerda assume uma posição diferente. Marisa Matias disse ao mesmo jornal que, em relação aos direitos humanos, “não pode haver neutralidade nem inação, temos que ser irredutíveis na defesa dos direitos humanos”.

Da mesma forma, Francisco Guerreiro, deputado eleito pelo PAN mas que acabou por se tornar independente, defende a condenação de Orbán.

PS e PSD, que pertencem às duas maiores famílias europeias, vão votar alinhados nesta matéria. Em declarações ao matutino, Maria Manuel Leitão Marques referiu que “a grande preocupação desta Resolução é a de passar uma mensagem clara de solidariedade com a comunidade LGBTIQ na Hungria”.

Viktor Órban já passou as linhas vermelhas demasiadas vezes e esta lei é mais um ataque direto aos valores da União Europeia. Aconteça o que acontecer no Conselho Europeu este voto do Parlamento traduz uma posição clara, de condenação de quem viola a Carta dos Direitos Fundamentais da UE e o Tratado da União Europeia”, sublinhou.

Nuno Melo, eurodeputado eleito pelo CDS, rejeita as medidas anunciadas pelo Governo Húngaro e vai votar favoravelmente , mas vai apresentar uma declaração de voto.

“Para que também fique claro, não discriminar quem seja em razão da orientação sexual, não significa que se aceite que a escola possa ser transformada num espaço para ativismo LGBTI+ ou implementação da chamada doutrinação de género, ambas questões hoje eminentemente políticas”, disse ao Observador.

“A educação dos filhos em muitas matérias aqui relacionadas é uma competência dos pais e não uma competência do Estado.”

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Um rato

Nova Iorque alvo de aumento recorde de casos de doença rara transmitida por ratos

Uma doença bacteriana rara, espalhada através da urina de rato, está a assolar a cidade de Nova Iorque. Este ano, pelo menos 15 pessoas terão contraído a doença. Destas, 13 foram hospitalizadas e uma morreu. A …

Portugal regista mais três mortes e 927 casos de covid-19

Portugal registou, esta quarta-feira, mais três mortes e 927 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 927 novos …

Festejos do Sporting. IGAI garante que "não omitiu informação ou branqueou factos"

A inspetora-geral da Administração Interna garantiu no Parlamento, esta quarta-feira, que a IGAI "não omitiu informação ou branqueou factos" no relatório sobre os festejos do Sporting, sustentando que tudo o que foi investigado consta do …

PAN só viabiliza OE "se houver compromisso do Governo em alterar" a proposta

A porta-voz do PAN afirmou, esta quarta-feira, que o partido só poderá viabilizar o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) se o Governo se comprometer com alterações à proposta na especialidade. Inês Sousa Real falava aos …

Colômbia condenada por não ter investigado agressões "verbais, físicas e sexuais" a jornalista

De acordo com a sentença, o Estado colombiano não investigou devidamente o caso de sequestro, tortura e violação da jornalista Jinedth Bedoya, que estava a trabalhar numa reportagem sobre a guerra civil em 2000. O Tribunal …

Rio diz ter "obrigação" de avançar com recandidatura à liderança do PSD

O presidente do PSD justificou a sua recandidatura à liderança, esta quarta-feira, pela "obrigação" de colocar o interesse do país e do partido à frente da sua vida pessoal. No final de uma audiência com o …

Fenprof e FNE convocam greve nacional de professores para 5 de novembro

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e a Federação Nacional da Educação (FNE) anunciaram, esta quarta-feira, que vão convocar uma greve nacional de professores para 5 de novembro. Em comunicado, a Fenprof refere que a greve …

PCP reconhece aproximação do Governo, mas diz que ainda é insuficiente

O líder parlamentar do PCP considerou, esta quarta-feira, que houve uma aproximação do Governo às propostas do partido, mas que ainda não é suficiente para alterar a avaliação feita sobre o Orçamento do Estado para …

Alemanha pode falhar objetivo de doação de vacinas contra a covid-19 (e culpa fabricantes)

A Alemanha pode falhar o seu objetivo de doar 100 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 a países mais pobres. Um funcionário do ministério da saúde alemão revelou, numa carta a Bruxelas, que a …

Alexei Navalny vence Prémio Sakharov 2021

O opositor russo Alexei Navalny é o vencedor do Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento 2021, anunciou o Parlamento Europeu, esta quarta-feira. Alexei Navalny foi nomeado pelos grupos políticos PPE e Renovar a Europa devido …