Hungria proíbe “promoção” da homossexualidade junto de menores

A lei húngara proíbe a “representação” da homossexualidade e da transexualidade em espaços públicos, e foi aprovada por 157 deputados.

A Hungria aprovou, esta terça-feira, uma lei que proíbe a “promoção” da homossexualidade junto dos menores de 18 anos, apesar da contestação dos últimos dias e da preocupação dos defensores dos direitos das pessoas LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero).

A lei, que proíbe a “representação” da homossexualidade e da transexualidade em espaços públicos, foi aprovada por 157 deputados, incluindo os do partido no poder, o Fidesz, durante uma sessão parlamentar transmitida ao vivo pela televisão.



Na segunda-feira, esta legislação foi contestada numa manifestação que juntou mais de 5.000 pessoas em Budapeste e que foi convocada pela organização humanitária Amnistia Internacional.

“Amanhã [esta terça-feira], quando os deputados votarem, vão lembrar-se que estão a brincar com a vida das pessoas à conta de campanhas políticas cruéis”, referiu a Amnistia Internacional em comunicado.

Para esta organização, que acusa a Hungria de “copiar modelos ditatoriais que vão contra os valores europeus“, a aprovação da lei constitui uma “grave restrição” à liberdade de expressão e aos direitos das pessoas.

Um canal comercial de televisão, o RTL Klub Hungary, sublinhou na segunda-feira que a aprovação da lei implica proibir os menores de 18 anos de verem filmes como “Bridget Jones”, “Harry Potter” ou “Billy Eliot”, nos quais a homossexualidade é mencionada.

Além disso, anúncios, como um da Coca-Cola que mostra um casal de homens – e que provocou, em 2019, apelos a boicotes à compra daquela bebida – deixam de ter autorização para serem divulgados, tal como o livro “Um conto de fadas para toda a gente” – uma antologia de contos de fadas com personagens como uma Cinderela de etnia cigana ou uma Branca de Neve lésbica — que foi alvo, no outono de 2020, da ira do primeiro-ministro nacionalista, Viktor Orban.

A legislação aprovada pelo parlamento faz parte de um conjunto de medidas de proteção de menores que, segundo o Governo, visa combater a pedofilia e que inclui a criação de um banco de dados de pessoas condenadas acessível ao público ou o seu banimento de certas profissões.

A Hungria já tinha proibido, em dezembro do ano passado, a adoção de crianças por casais do mesmo sexo e interditado o registo civil de mudanças de sexo. A Hungria é desde 2004 membro da União Europeia (UE), cuja Carta dos Direitos Fundamentais proíbe qualquer discriminação com base na orientação sexual.

Antes do regresso de Viktor Orban ao poder, em 2010, a Hungria era um dos países mais progressistas da região: a homossexualidade foi descriminalizada no início dos anos 1960 e a união civil entre pessoas do mesmo sexo passou a ser reconhecida a partir de 1996.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O que é que homossexualidade tem a ver com pedofilia? Para não dizer pior, isso é, no mínimo, desonestidade intelectual e puro cinismo.

RESPONDER

Corrida à Câmara de Lisboa divide CDS. Mesquita Nunes junta-se aos críticos

A escolha de Filipe Anacoreta Correia, em vez de João Gonçalves Pereira, para número dois da lista à Câmara de Lisboa está a gerar uma guerra interna no CDS. A escolha de Filipe Anacoreta Correia para …

Tragédia Hillsborough: morreu uma vítima, depois de 32 anos em estado vegetativo

Andrew Devine faleceu aos 55 anos. É oficialmente a 97.ª pessoa a morrer por causa do desastre em 1989, em Sheffield. De 15 de abril de 1989 até 27 de julho de 2021 passaram mais de …

Trabalhadores da Google só regressam aos escritórios em outubro e todos vacinados

A maioria dos trabalhadores da Google só regressará aos escritórios em meados de outubro, depois de ser totalmente vacinada, numa tentativa de combater a disseminação da variante Delta do novo coronavírus SARS-COV-2, anunciou esta quarta-feira …

Primeiro-ministro tunisino terá sido agredido antes de concordar em renunciar

O primeiro-ministro da Tunísia, Hichem Mechichi, terá sido alegadamente agredido dentro do palácio presidencial antes de ser afastado de cargo pelo chefe de Estado do país, Kais Saied. Mechichi e o restante governo foram demitidos na …

Comissão Europeia envia primeiro “cheque” do PRR na próxima semana

A Comissão Europeia irá fazer o pagamento da primeira verba do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) no decorrer da próxima semana. Na sessão de assinatura dos contratos do Mecanismo de Recuperação e Resiliência da União …

Marcelo pede ao TC fiscalização do artigo 6.º da Carta de Direitos na Era Digital

O Presidente da República pediu, esta quinta-feira, ao Tribunal Constitucional a fiscalização sucessiva do artigo 6.º da Carta Portuguesa de Direitos Humanos na Era Digital em vigor, tendo em conta o "importante debate público" sobre …

Portugal regista mais 10 mortes e 3009 casos de covid-19

Portugal registou, esta quinta-feira, mais 10 mortes e 3009 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3009 novos …

Ministra da Coesão diz que Portugal vai precisar de imigrantes

A ministra da Coesão Territorial disse hoje que a perda de população é preocupante e que Portugal vai ter de trabalhar numa política de imigração muito ativa e acolhedora para fazer face aos investimentos previstos. "Estando …

Testes rápidos serão gratuitos até ao final de agosto

A comparticipação a 100% dos testes rápidos de antigénio (TRAg), que vigorava até final do mês, foi alargada até 31 de agosto, segundo uma portaria esta quinta-feira publicada em Diário da República. "Perante a atual situação …

Tiago Antunes acusa Rui Rio de usar Constituição como "moeda de troca" para agradar ao Chega

No podcast Política com Palavra do PS, o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Tiago Antunes, acusou Rui Rio de propor a revisão da Constituição e do sistema eleitoral como "moeda de troca" para o …