/

O cenário de legislativas antecipadas está na mira do PSD

PSD / Flickr

O presidente do PSD, Rui Rio

O PSD considera que este Governo não tem as mesmas condições que o anterior e, por isso, quer estar preparado para todos os cenários. Até mesmo para eleições legislativas antecipadas.

O PSD não esconde que admite a possibilidade de haver eleições legislativas antecipadas e está a preparar-se até para os cenários mais inusitados. A garantia foi dada ao SOL pelo secretário-geral social-democrata, José Silvano.

“O objetivo do congresso foi traçar um caminho que levasse Rui Rio a primeiro-ministro e o PSD ao Governo. E, portanto, quanto mais cedo melhor, porque neste período de quatro anos tanto podem acontecer legislativas no meio do mandato como no fim. Nós temos de estar preparados para isso, esse é o objetivo”, assinalou.

Não restam dúvidas de que a geringonça está mais frágil e prova disso foram as negociações do primeiro Orçamento do Estado desta legislatura. O PSD acredita que não se avizinham tempos fáceis e, por isso, quer estar pronto para atacar.

“O Governo pode durar os quatro anos, isso é possível, mas este Governo não tem as mesmas condições que teve o anterior porque não tem um casamento de papel passado. Vimos as dificuldades que surgiram no primeiro Orçamento e a tendência é agravarem-se nos próximos”, considerou José Silvano.

A estratégia que Rui Rio não esconde é que o objetivo do PSD é posicionar-se ao centro e criar pontes com os partidos de direita, como fez recentemente com o CDS, admitindo convergências. Ao matutino, o secretário-geral do PSD garante que “o PSD tem como objetivo formar um Governo do centro-direita e se o CDS estiver mais à direita e o PSD mais ao centro até pode ajudar a conquistar eleitorado nesse espaço”.

“A única forma de chegar a um governo com maioria absoluta é o PSD e o CDS subirem.”

Aliás, o encontro de Rui Rio com Francisco Rodrigues dos Santos serviu mesmo para isso: abrir a porta a entendimentos futuros a pensar nas coligações para as eleições autárquicas do próximo ano. O tiro de partida para as autárquicas será dado ainda antes do Verão, e pode ser só o despoletar de um boa aliança para legislativas – antecipadas ou não.

  LM, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.