Kim Jong-un admite problemas na economia e convoca congresso extraordinário

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un

O líder da Coreia do Norte admitiu que as sanções internacionais, a pandemia e as recentes inundações afetaram a economia do país, tendo convocado, para janeiro, um congresso extraordinário do partido para elaborar um plano quinquenal de dinamização da economia.

O anúncio foi feito durante uma sessão plenária do Partido dos Trabalhadores, realizada na quarta-feira, na qual Kim Jong-un “falou sobre as falhas e conquistas” do regime desde a reunião anterior, em 2016, avançou a agência oficial norte-coreana KCNA.

Com uma franqueza invulgar, o líder norte-coreano defendeu a necessidade de adotar um plano de desenvolvimento de cinco anos para melhorar o fornecimento de energia e a produção agrícola e industrial da Coreia do Norte.

Kim reconheceu as deficiências económicas causadas por “desafios inesperados e inevitáveis” e “pela situação na região que rodeia a península coreana”, referiu a KCNA.

A economia norte-coreana é alvo de várias sanções da comunidade internacional, impostas pelo Conselho de Segurança da ONU para forçar Pyongyang a abandonar os seus programas nucleares e de armamento, que têm sido muito reforçados por Kim Jong-un.

Esta posição “tem como objetivo justificar o esperado fracasso do regime em atingir as metas económicas estabelecidas”, disse à AFP o analista do Instituto Coreano de Unificação Nacional, Hong Min.

Segundo este analista, a data escolhida para o congresso extraordinário – em janeiro, ou seja, próximo da data de tomada de posse do vencedor das eleições Presidenciais norte-americanas – é um sinal.

As relações entre Washington e Pyongyang estagnaram desde o fracasso, em fevereiro de 2019, da segunda cimeira entre Kim Jong-un e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Os dois países não chegaram a um acordo sobre o desmantelamento do programa nuclear da Coreia do Norte, que levaria ao levantamento de algumas sanções económicas internacionais.

A Coreia do Norte deixa, assim, entender que “quem quer que ganhe as próximas eleições deve aumentar os esforços para chegar a um acordo”, defendeu Hong Min.

Além das sanções económicas – que reduziram significativamente o comércio com a China, seu principal aliado e salvação económica –, a Coreia do Norte teve de enfrentar as consequências da pandemia da covid-19 e os danos causados por chuvas torrenciais que assolaram o país, nas últimas semanas, e destruíram milhares de casas e quase 100 mil acres de plantações.

Na semana passada, Kim demitiu o seu primeiro-ministro, após uma avaliação do desempenho do gabinete nas políticas económicas.

O líder norte-coreano sublinhou, no entanto, que o país manterá as suas fronteiras fechadas e irá rejeitar qualquer intervenção externa.

“A Coreia do Norte planeava celebrar prodigamente as suas conquistas económicas [desenhadas no primeiro plano de cinco anos de Kim) na celebração do 75.º aniversário da fundação do partido, a 10 de outubro, mas não podia prever os enormes reveses” causados pela covid-19 e pelas inundações, considerou o analista do Instituto Sejong da Coreia do Sul, Cheong Seong-Chang.

Embora a programação do novo congresso do partido para janeiro reflita a esperança de que a pandemia diminua até lá, a Coreia do Norte poderá decidir abrir-se ao comércio internacional, especialmente se o seu já precário sistema de saúde continuar a gerar preocupação, disse Cheong.

O último congresso extraordinário do Partido dos Trabalhadores aconteceu há 36 anos, tempo que representa todo o reinado de Kim Jong Il (1994-2011), pai de Kim Jong-Un.

De acordo com a CNN, o líder norte-coreano terá dado à sua irmã, Kim Yo Jong, alguma autoridade para supervisionar “assuntos gerais de estado” a fim de aliviar a sua carga de trabalho, tendo-se tornado a “segunda no comando”.

A estação televisiva adianta ainda que a familiar não terá sido a única a receber esta responsabilidade. Outros funcionários do Governo e do Partido dos Trabalhadores também foram alvos desta decisão, não só para aliviar o stress sobre os ombros de Kim Jong-un, mas também para eventualmente protegê-lo das eventuais culpas de má conduta ou incompetência do Executivo.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Irão disponível para negociações sobre acordo nuclear nas próximas semanas

O Irão retornará às negociações sobre a retomada do acordo nuclear de 2015 nas próximas semanas, avançou o Ministério dos Negócios Estrangeiros esta terça-feira, apesar das suspeitas das potências ocidentais sobre a estratégia de Teerão …

Depois do Loon, nasce o Taara. Projeto usou lasers para transmitir 700TB de dados

Depois da morte do Projeto Loon, no início do ano, nasceu o Projeto Taara, que utilizou lasers para transmitir 700TB de dados através do rio Congo. O projeto muda, o nome é diferente, mas a missão …

Vizela - Paços de Ferreira bateu recorde de assistência na I Liga

Maior número de adeptos do campeonato também foi registado nesta jornada, no Benfica-Boavista; mas em termos de ocupação do estádio, o Vizela deixou longe toda a concorrência. Desde os anos 80 do século passado que não …

150 anos antes da viagem histórica de Colombo, um frade italiano escrevia sobre a America

Por volta do ano 1340, Galvano Fiamma registou, na sua Cronica universalis, a existência de terras a oeste da Gronelândia habitadas "por gigantes". Trata-se da primeira menção documentada do continente americano no Mediterrâneo, cerca de …

Os antigos compadres zangaram-se de vez. Trump puxa os cordelinhos nos bastidores para correr com McConnell

A relação de altos e baixos entre os dois azedou de vez depois de McConnell ter reconhecido a vitória de Joe Biden. Trump quer agora que um Republicano concorra contra McConnell pelo cargo da liderança …

Bombeiros embrulharam a maior árvore do mundo em papel de alumínio. Tudo para a proteger

O incêndio consumiu milhares de acres na Califórnia e o National Park Service viu-se obrigado a intensificar os seus esforços para proteger as jóias naturais, incluindo as maiores árvores do mundo. Os incêndios Colony e Paradise …

EUA trocaram "guerra implacável" por "diplomacia implacável" no Afeganistão, diz Biden

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, disse esta terça-feira à Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) que o país se está a concentrar na "diplomacia implacável" e no encerramento de uma era de …

Presidente de El Salvador autodenomina-se "Ditador de El Salvador"

O Presidente de El Salvador, Nayib Bukele, alterou no domingo a descrição do seu perfil no Twitter para "Ditador de El Salvador", passando depois para "Ditador mais 'cool' do mundo mundial", situação registada após os …

Ordem dos Médicos abre processo disciplinar contra Fernando Nobre

O Conselho Disciplinar Regional do Sul da Ordem dos Médicos abriu um processo contra Fernando Nobre, por causa das suas declarações numa manifestação de negacionistas em frente à Assembleia da República. A Ordem dos Médicos (OM) …

Crise da energia obriga UE a enfrentar dependência do gás natural

Os países europeus estão a tentar proteger os consumidores de energia, numa região onde, desde o início do ano, os preços do gás aumentaram 250%, resultado de uma série de forças económicas, naturais e políticas.  Na …