Juncker para deputados britânicos: Porque é que estão aqui?

European Parliament / Flickr

Jean-Claude Juncker

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sublinhou esta terça-feira que o pedido formal britânico para sair da União Europeia deve ser feito “o mais rapidamente possível”. Pelo meio, interrompeu o discurso para se dirigir aos eurodeputados do UKIP.

“Quero que o Reino Unido clarifique a sua posição o mais rapidamente possível”, e “sem haver notificação da parte do Reino Unido não haverá negociações”, foram as frases que Juncker mais repetiu na intervenção no Parlamento Europeu (PE), que se reuniu esta terça-feira para debater o resultado do referendo britânico que, na quinta-feira, ditou o Brexit (saída da UE).

“Houve decisão, tem que haver consequências“, disse.

O líder do executivo comunitário referiu ainda ser “preciso que os britânicos levem a sério o seu próprio voto, é preciso que o Reino Unido leve a sério o que o seu povo disse, em vez de começar com jogos sombrios”.

Jean-Claude Juncker dizia que é necessário respeitar a decisão democrática britânica quando interrompeu o discurso para se dirigir a um eurodeputado do Partido Independentista do Reino Unido (UKIP), que começou a bater palmas de forma provocadora.

Esta é a última vez que aplaude aqui“, disse.

O presidente da Comissão Europeia dirigiu-se depois ao grupo do UKIP: “Em certa medida, estou muito surpreendido que estejam aqui. Lutaram pela saída. Os britânicos votaram a favor da saída. Porque é que estão aqui?“.

“Todos se riram de mim. Agora não estão a rir-se”

O momento de Nigel Farage acabou por chegar. O líder eurocético do UKIP e do grupo da Liberdade e Democracia no Parlamento Europeu perguntou aos eurodeputados se agora já não se estavam a rir, antes de ser interrompido por gritos das bancadas.

“Não é engraçado? Quando aqui cheguei há 17 anos e disse que queria liderar uma campanha para tirar o Reino Unido da União Europeia, todos vocês se riram de mim. Bem, agora não estão a rir-se.”

Farage foi mais longe e recordou as críticas que ao longo dos anos foi fazendo à UE: “Vocês, como um projecto político, estão em negação; estão em negação que a vossa moeda está a falhar”.

“O maior problema e a razão principal pela qual o Reino Unido votou é que nunca disseram a verdade ao povo europeu”, afirmou o eurodeputado britânico, acrescentando que a “união política” foi imposta e agora as pessoas votaram contra isso.

“O que as pessoas oprimidas fizeram, foi rejeitar os bancos e as multinacionais e disseram ‘queremos o nosso país de volta‘”, afirmou, reforçando a necessidade de promover um acordo favorável e “de gente crescida” porque quebrar os laços com o Reino Unido no comércio seria pior para a Europa do que para o seu país.

O eurodeputado britânico aproveitou ainda para deixar uma previsão: “O Reino Unido não será o último Estado-membro a abandonar a União Europeia“.

Durante o seu discurso, Farage virou ainda as baterias para os deputados.

“Eu sei que virtualmente nenhum de vocês teve alguma vez um trabalho sério nas vossas vidas”.

Perante a onda de vaias, o presidente Martin Schulz pediu que o eurodeputado retirasse este comentário e pediu ainda aos restantes eurodeputados que não apupassem, ou seja, “não se comportassem como os eurodeputados do UKIP”.

Depois de Farage dizer que para o ano espera que o Reino Unido celebre o dia 23 de junho como o Dia da Independência, Guy Verhofstadt afirmou que vai finalmente terminar o maior desperdício do orçamento da União Europeia desde há 17 anos, o salário de Nigel Farage.

Eurodeputados querem “aplicação imediata” de mecanismo de saída

O Parlamento Europeu aprovou por larga maioria uma resolução conjunta de três grupos políticos em que se pede a “aplicação imediata” do processo de retirada do Reino Unido da União Europeia (UE).

A aprovação da resolução conjunta dos grupos políticos do PPE (que integra os eurodeputados do PSD e CDS), S&D (onde estão os do PS) e ALDE (que inclui o eleito pelo MPT) seguiu-se a um debate sobre o referendo que decidiu a saída do Reino Unido da União Europeia.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o Brexit ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira passada.

No seu discurso, Juncker referiu ainda: “proibi os comissários e os diretores-gerais de discutirem com representantes britânicos qualquer negociação, dei ordem para que não haja negociações de corredor” até ser acionado, por Londres, o artigo 50º do Tratado de Lisboa, que prevê o abandono do bloco europeu por um dos seus membros.

“Não podemos ficar nesta situação por muito tempo. Não nos podemos instalar numa situação de incerteza prolongada”, referiu.

“O voo [da UE] continua, apesar de estar agora com uma velocidade reduzida com este voto”, adiantou Juncker, garantindo não estar “doente nem cansado”.

“Vou lutar pela Europa até ao meu último alento”, assegurou ainda, perante o PE.

Sobre a decisão do primeiro-ministro britânico demissionário, David Cameron, de deixar nas mãos do seu sucessor o início do processo de saída da UE, Juncker foi claro: “sou contra que agora se procure distinguir este Governo britânico do próximo, isto não acontecerá”.

Juncker lembrou ainda que estará hoje na reunião do Conselho Europeu com Cameron, a quem vai pedir “que esclareça a situação”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. Este monte de estrume que é o esquentador (Juncker) tem uma moral para falar…
    Ele e o seu Luxemburgo mafioso, é que podiam ir de vela da UE o mais rápido possível, já que andam a roubar dinheiro diariamente aos outros países da UE…

  2. Se o UK tem a sua dose de culpa, a Europa tem mais ainda. Porque faz por dar razão a Nigel Farage e a tudo o que ele diz…

    Sim… O parlamento Europeu é uma cambada de gordos que nunca fizeram a ponta de um corno nas suas vidas e têm mordomias incríveis numa Europa em dificuldades, deviam ser todos despedidos!

    Sim… A Europa, em particular a Alemanha e a bosta da Merkel anda a impingir “”refugiados”” a torto e a direito e a obrigar os restantes estados membros a pagar por mão de obra que não necessita a a importar terrorismo. Não só não devia aceitar muçulmanos como se devia livrar de todos os que cá estão já há décadas e, também neste caso, com pesadas culpas do UK, que os admitiu em boa percentagem assim como a França e a Alemanha…

    Sim… A moeda europeia está a falhar porque criam regras especiais para uns enquanto que os outros, quando têm déficit, são penalizados. Está a falhar porque os bancos centrais emprestaram dinheiro sem olhar a quem nem como para que esses países lhe comprassem as mercadorias a eles e, ainda por cima, lhes ficassem a dever dinheiro… (com a culpa partilhada e conivência desses países, também, claro, o nosso incluído)

    No final, o que fez virar o barco inglês foram os imigrantes. Não estou a dizer que não se deixe entrar ninguém, mas só deve entrar quem por nós fôr seleccionado e terá que adoptar as nossos costumes e cultura ou levar um pronto chuto no traseiro!! A Europa é dos Europeus!!!!

  3. É preciso ter prepotência desmedida, este Juncker e outros que andam a encher os bolsos na CE… a falta de respeito por um povo que teve a coragem de dizer Não…. é nojenta.

  4. Convido a todos os que comentaram este artigo com lucidez a ir ao Facebook fazer ouvir as vossas vozes sobre a cambada de bem-pensantes que por lá pululam.

  5. Os eurodeputados, começando pelo esquentador, entraram em paranoia, desesperados por verem que pelo caminho que as coisas parecem tomar vão acabar por perder os salário e as mordomias obscenas de que gozam para ir dizer umas larachas três dias por semana no primeiro e único parlamento na história que não faz leis.

  6. Nao vou postar nada, se o Jaeleth nao se importar, faço minhas as suas palavras. É esse o meu sentimento em relação a Europa.

RESPONDER

Leipzig 2-1 Atlético | Alemães ganham asas e passam às “meias”

O 2.º semi-finalista desta edição da Liga dos Campeões está encontrado. Na noite desta quinta-feira em Alvalade, o Leipzig venceu o Atlético de Madrid por 2-1 e assegurou uma presença inédita nas meias-finais da prova …

EUA apreendem 1,6 milhões de euros em criptomoedas de organizações terroristas

O Departamento da Justiça dos Estados Unidos apreendeu 2 milhões de dólares (1,6 milhões de euros) em contas de criptomoedas que vários grupos, incluindo a Al-Qaida e o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI), utilizavam para …

"Janelas de Vinho". Itália ressuscita tradição do tempo da peste

Centenas de bares e restaurantes italianos "ressuscitaram" a tradição antiga das chamadas "Janelas de Vinho" durante a pandemia de covid-19, tentando assim servir os seus clientes com o mínimo contacto pessoal. A tradição remonta aos …

Um dos maiores telescópios do mundo ficou gravemente danificado devido a um cabo partido

O radiotelescópio de Arecibo, um ícone da busca para entender o Universo, sofreu graves danos como resultado do rompimento de um cabo. A causa da quebra e quanto tempo o telescópio demorará a ser consertado …

Pumpkin Island já custou 78 dólares. Agora pode comprá-la por 17 milhões

Se ainda não decidiu onde passar férias fica aqui uma dica: uma ilha privada na costa da Austrália está à venda por 17 milhões de dólares (cerca de 14,5 milhões de euros). A Pumpkin Island …

Desaparecem oito mulheres por dia no Peru, mais três do que antes da pandemia

O número de mulheres desaparecidas no Peru, um fenómeno endémico no país, subiu de cinco por dia, em média, para oito, desde a quarentena decretada para travar a pandemia de covid-19, indicou o provedor de …

EUA já gastaram quase tanto com a covid-19 como com a II Guerra Mundial

Até ao momento, os Estados Unidos da América gastaram quase tanto com a pandemia de covid-19 como gastaram com a II Guerra Mundial. A Segunda Guerra Mundial travou-se entre 1939 e 1945 e deixou milhões de …

Sporting recusou proposta de 32 milhões por Joelson Fernandes

O Sporting CP rejeitou uma proposta de 32 milhões de euros do Arsenal por Joelson Fernandes. Os 'leões' pedem 45 milhões pelo jovem extremo de 17 anos. Continua o leilão pela promessa sportinguista Joelson Fernandes. Depois …

CIA tentou desenvolver um "drone-pássaro" nuclear para espiar a União Soviética na Guerra Fria

Durante a Guerra Fria, a CIA tentou desenvolver um drone nuclear do tamanho de um pássaro para espiar a União Soviética e outros países do bloco comunista. Porém, o projeto nunca foi concluído. De acordo com …

Para combater o desperdício, China acaba com os banquetes tradicionais

Conhecidos pela gastronomia e pelo bom apetite, os chineses terão de adotar a austeridade, invertendo a tradição, que exige que sejam servidos à mesa tantos pratos quantos forem os convidados e mais um. A nova regra …