Juncker acusa primeiros-ministros britânico e italiano de enganarem os cidadãos

ECR Group / Flickr

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, acusou esta terça-feira os primeiros-ministros britânico, David Cameron, e italiano, Matteo Renzi, de enganarem os seus cidadãos sobre as negociações orçamentais na União Europeia (UE).

Não gostei da forma como alguns primeiros-ministros se comportaram depois da cimeira”, disse Juncker numa audição no Parlamento Europeu sobre os resultados da última reunião dos líderes europeus.

Juncker, citado pela agência France Presse, disse que as notas que tomou durante a cimeira mostram que “o que foi dito na sala e lá fora não coincide”.

“Disse a Matteo Renzi que não estou à frente de um bando de burocratas. Sou presidente da Comissão Europeia, uma instituição política, e quero que os primeiros-ministros respeitem essa instituição”, disse.

Se o ex-presidente da Comissão José Manuel Durão Barroso só tivesse ouvido burocratas, “o orçamento de Itália teria sido tratado de maneira completamente diferente”, disse, depois de Bruxelas ter aceitado os projetos de orçamento italiano e francês.

Ao chegar à cimeira europeia de 23 e 24 de outubro, Matteo Renzi criticou a Comissão Barroso pela carta enviada ao seu governo sobre um “desvio importante” do orçamento italiano em relação às regras orçamentais europeias.

O governo de Itália alterou depois o projeto de orçamento, prevendo reduzir o défice estrutural em 0,3% do PIB, contra 0,1% no projeto inicial.

number10gov / Flickr

Os primeiros-ministros britânico e italiano, David Cameron e Mateo Renzi

Os primeiros-ministros britânico e italiano, David Cameron e Mateo Renzi

Jean-Claude Juncker criticou igualmente a forma como David Cameron apresentou à opinião pública britânica a exigência de aumentar a contribuição britânica para o orçamento europeu em 2,1 mil milhões de euros devido ao aumento do PIB do Reino Unido.

Não é um problema britânico, é um problema de toda a UE, e devemos encontrar uma resposta geral. O impacto é maior no orçamento de alguns Estados que no do Reino Unido”, afirmou.

Todos os 28 Estados da UE contribuem para o orçamento europeu, de cerca de 135 mil milhões de euros anuais, através de contribuições nacionais correspondentes a uma percentagem do respetivo Produto Interno Bruto (PIB).

As cimeiras europeias “são feitas para resolver os problemas, não para os amplificar”, disse Juncker.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Francisco Rodrigues dos Santos não se quer eternizar "na cadeira de presidente do CDS"

"À medida que as pessoas se vão eternizando nos lugares, começam a confundir o interesse público com o interesse particular". Por isso, Francisco Rodrigues dos Santos não se quer eternizar no CDS-PP. Em entrevista à TVI, …

Menos 115 deputados. Itália realiza referendo para reduzir Parlamento

A Itália organiza em 29 de março um referendo sobre a alteração da Constituição e a redução do número de deputados, uma data esta proposta pelo Governo de coligação entre o Movimento Cinco Estrelas (M5S) …

Flamengo chega a acordo com o Inter por Gabigol

Flamengo e Inter de Milão já chegaram a acordo para a transferência definitiva de Gabigol, jogador que esteve durante a última temporada na equipa brasileira por empréstimo. Segundo o portal brasileiro Globo Esporte, os dirigentes do …

Espanha quer "assaltar" o lugar de Centeno no Eurogrupo

Nadia Calviño, a número dois do Governo Espanhol, assume-se como favorita para assumir a presidência do Eurogrupo, caso o ministro das Finanças português, Mário Centeno, decida não entrar na corrida. A notícia é avançada esta terça-feira …

Dívidas de hospital de Lisboa travam compra de dois medicamentos para cancro

As dívidas do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte, que inclui os hospitais de Santa Maria e Pulido Valente, levaram o Tribunal de Contas (TdC) a chumbar a compra de dois medicamentos para um cancro …

Em 15 dias, foram transferidos 73 milhões da Sonangol para uma empresa de Isabel dos Santos

Em 15 dias, foram transferidos 73 milhões das contas da petrolífera estatal Sonangol no private banking do Eurobic, em Lisboa, para uma empresa de Isabel dos Santos, avança o Correio da Manhã esta terça-feira. …

Livro de John Bolton pode prolongar julgamento de Donald Trump

  Ao segundo dia de defesa dos advogados da Casa Branca no julgamento do impeachment de Donald Trump, caiu uma "bomba" no Senado. O livro escrito por John Bolton, ex-conselheiro de segurança nacional do Presidente dos …

Afinal, Bruno Fernandes pode rumar ao Barcelona (e fazer escala no Valência)

Afinal, o futuro do internacional português Bruno Fernandes pode passar por Espanha e não por Inglaterra, onde foi dado como quase certo. O negócio envolve dois emblemas espanhóis e o avançado ex-Benfica Rodrigo Moreno. De …

Coronavírus já matou 106 pessoas na China. E já chegou à Alemanha

A China elevou para 106 o número de mortos causados pelo coronavírus e o número de infetados já chegou aos quatro mil. Esta segunda-feira, confirmou-se um caso na Alemanha, sendo agora o segundo país da …

Iniciativa Liberal quer privatizar CGD, TAP e RTP

O Iniciativa Liberal quer privatizar a Caixa Geral de Depósitos, a TAP e a RTP. Esta segunda-feira, no Parlamento, o deputado único João Cotrim Figueiredo defendeu ainda a redução do IVA na eletricidade para uma …