Juncker acusa primeiros-ministros britânico e italiano de enganarem os cidadãos

ECR Group / Flickr

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, acusou esta terça-feira os primeiros-ministros britânico, David Cameron, e italiano, Matteo Renzi, de enganarem os seus cidadãos sobre as negociações orçamentais na União Europeia (UE).

Não gostei da forma como alguns primeiros-ministros se comportaram depois da cimeira”, disse Juncker numa audição no Parlamento Europeu sobre os resultados da última reunião dos líderes europeus.

Juncker, citado pela agência France Presse, disse que as notas que tomou durante a cimeira mostram que “o que foi dito na sala e lá fora não coincide”.

“Disse a Matteo Renzi que não estou à frente de um bando de burocratas. Sou presidente da Comissão Europeia, uma instituição política, e quero que os primeiros-ministros respeitem essa instituição”, disse.

Se o ex-presidente da Comissão José Manuel Durão Barroso só tivesse ouvido burocratas, “o orçamento de Itália teria sido tratado de maneira completamente diferente”, disse, depois de Bruxelas ter aceitado os projetos de orçamento italiano e francês.

Ao chegar à cimeira europeia de 23 e 24 de outubro, Matteo Renzi criticou a Comissão Barroso pela carta enviada ao seu governo sobre um “desvio importante” do orçamento italiano em relação às regras orçamentais europeias.

O governo de Itália alterou depois o projeto de orçamento, prevendo reduzir o défice estrutural em 0,3% do PIB, contra 0,1% no projeto inicial.

number10gov / Flickr

Os primeiros-ministros britânico e italiano, David Cameron e Mateo Renzi

Os primeiros-ministros britânico e italiano, David Cameron e Mateo Renzi

Jean-Claude Juncker criticou igualmente a forma como David Cameron apresentou à opinião pública britânica a exigência de aumentar a contribuição britânica para o orçamento europeu em 2,1 mil milhões de euros devido ao aumento do PIB do Reino Unido.

Não é um problema britânico, é um problema de toda a UE, e devemos encontrar uma resposta geral. O impacto é maior no orçamento de alguns Estados que no do Reino Unido”, afirmou.

Todos os 28 Estados da UE contribuem para o orçamento europeu, de cerca de 135 mil milhões de euros anuais, através de contribuições nacionais correspondentes a uma percentagem do respetivo Produto Interno Bruto (PIB).

As cimeiras europeias “são feitas para resolver os problemas, não para os amplificar”, disse Juncker.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Enquanto estava em coma, bens de Navalny foram congelados pela justiça russa

Oficiais de justiça russos congelaram as contas e uma parte do apartamento do opositor ao governo Alexei Navalny quando este permanecia em coma após um presumível envenenamento no final de agosto, indicou esta quinta-feira a …

Mais cinco mortes e 899 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta sexta-feira, mais cinco mortes e 899 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quinta-feira, mostra o boletim mais recente da Direção-Geral de Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da …

Governo de Bolsonaro bate recorde de aprovação durante a pandemia

A aprovação do Governo brasileiro, presidido por Jair Bolsonaro, subiu para 40%, a maior percentagem desde o início do seu mandato, iniciado em janeiro de 2019, segundo uma sondagem do Instituto Ibope divulgada na quinta-feira. A …

Número de casos baixa nos EUA. Na Bélgica, deixa de ser obrigatório usar máscara na rua

A pandemia tem assolado toda a população mundial, mas há países que têm sofrido mais com o aumento de número de infetados e com mortes. Apesar de serem um dos países mais afetados, os EUA …

Seis enfermeiros infetados e cirurgias canceladas no hospital de Beja

O hospital de Beja detetou esta quinta-feira seis enfermeiros do bloco operatório infetados com Covid-19 e cancelou algumas cirurgias programadas por questões de segurança, disse à agência Lusa a presidente da Unidade Local de Saúde …

Reformas na função pública subiram para 43% (e um quinto são professores)

Mais de 6.500 trabalhadores das administrações públicas aposentaram-se na primeira metade deste ano, o que representa um crescimento de 43% face ao mesmo período de 2019. A maioria das saídas deriva de áreas como a …

“Arma de diagnóstico”. Teste que distingue covid-19 de outras infeções respiratórias chega a Portugal

A Unilabs vai disponibilizar um teste que permite “diferenciar o novo coronavírus de outros tipos de infeções respiratórias sazonais”, auxiliando os clínicos a realizarem diagnósticos mais precisos. “A ideia era tentarmos ter uma ferramenta de diagnóstico …

Jovem de 23 anos morre baleada em ação da PSP. Polícias vão alegar legítima defesa

Uma jovem de 23 anos morreu, na madrugada de quinta-feira, na sequência de ferimentos causados por uma arma de fogo, após uma intervenção policial em São João da Madeira. A mulher, de 23 anos, morreu na …

PS recua nas petições e propõe 7.500 assinaturas para ultrapassar veto de Marcelo

O PS vai avançar com uma proposta de alteração que coloca nos 7.500 o número de assinaturas necessário para que uma petição seja discutida na Assembleia da República.  O objetivo do PS é contornar o veto …

Rui Rangel endividava-se, teve execuções fiscais e contas penhoradas

Rui Rangel teve vários processos de execução fiscal por falta de pagamentos de impostos e até contas penhoradas. Era o seu alegado testa-de-ferro que o ajudava a regularizar os pagamentos. Era comum o ex-juiz Rui Rangel …