Juíza insultada e com viatura pontapeada à porta do tribunal

Santa Lúcia perante o Juíz (excerto), óleo de Lorenzo Lotto, 1532

Santa Lúcia perante o Juíz (excerto), óleo de Lorenzo Lotto, 1532

Uma juíza do Tribunal da Comarca da Covilhã foi “vilipendiada e insultada” à saída do tribunal por uma cidadã, que resolveu ainda pontapear a viatura onde a magistrada se refugiou da agressora, foi hoje divulgado.

Segundo a Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), só a intervenção de terceiros e da polícia terminou o incidente, ocorrido ao final de terça-feira, tendo face “à gravidade dos acontecimentos” e à falta de segurança nos tribunais, solicitado “a intervenção imediata do Conselho Superior da Magistratura (CSM) para acautelar e impedir que situações como a relatada se repitam”.

A mulher, que foi constituída arguida e sujeita a Termo de Identidade e Residência, aguarda em liberdade o desenrolar dos trâmites legais e consequente marcação de julgamento.

Em declarações à agência Lusa, Maria José Costeira, da direção da ASJP, salientou que a associação tem vindo a alertar sucessivamente para o “problema grave e sério que é a falta de segurança nos tribunais”, sem que esta problemática seja devidamente solucionada.

“A ASJP vem de há muito a denunciar publicamente a completa inexistência de segurança nos Tribunais e dos juízes, segurança que é indispensável para que estes possam exercer as suas funções de garantia dos direitos dos cidadãos e a alertar para os problemas que dessa falta de segurança podem advir”, diz uma nota da ASJP a propósito do caso agora tornado público.

Para a ASJP, o incidente agora ocorrido vem “lamentavelmente” demonstrar que as preocupações da ASJP são “legítimas e que urge dotar os tribunais de um sistema de segurança eficaz e que impeça estas situações”.

A ASJP considera “lamentável” que um juiz, no exercício e por força da sua profissão e enquanto titular de órgão de soberania, seja “violentamente insultado e vilipendiado publicamente”, nos “termos e circunstâncias” em que a magistrada judicial o foi.

A associação já manifestou pessoalmente à juíza (cuja identidade não foi divulgada) a sua solidariedade, disponibilizando todos os meios de apoio jurídico e outros que sejam necessários.

Já em janeiro de 2009, a ASJP alertava para a “insustentável” situação de muitos tribunais em termos de falta de segurança, realçando que era altura do então governo PS “encarar a questão de frente e fazer o que devia ter sido feito há muito tempo”, nomeadamente colocação de detetores de metais e policiamento nos edifícios.

“O Governo tem encarado os tribunais como instituições sem prestígio, sem dignidade. Os tribunais não podem ser menosprezados, desprezados e maltratados como têm sido”, disse então a ASJP.

Na altura foi feita referência a uma situação ocorrida no Tribunal da Figueira da Foz, onde um arguido se mutilou à frente de uma juíza, tendo o então presidente da ASJP, António Martins, dito “Quando acontecer uma desgraça, os políticos vêm com lágrimas de crocodilo”.

/Lusa

RESPONDER

NASA mostra como o furacão Ofélia influenciou os incêndios em Portugal

A estação espacial norte-americana NASA divulgou um vídeo que ilustra o impacto dos furacões que atingiram o Oceano Atlântico, nos últimos meses, mostrando em particular como o Ofélia teve influência nos grandes incêndios que abalaram …

Cesarianas e tempos de espera nas urgências vão condicionar financiamento

Os hospitais com taxas de cesariana superiores a 29,5% ou 31,5%, consoante o grau de diferenciação, não vão receber do Estado o pagamento pelos respetivos episódios de internamento, no âmbito do programa para a redução …

Empresas públicas escondem das Finanças os salários dos gestores

Cerca de metade das empresas públicas não comunicaram dados sobre os salários dos membros do conselho de Administração ao Ministério das Finanças, como está estipulado na Lei. O Correio da Manhã apurou que, em 2016, 118 …

"0 tiros disparados". PSP publica (e depois retira) post polémico sobre tiroteio

O post partilhado no Facebook da PSP, que parecia fazer alusão ao tiroteio que, na semana passada, provocou a morte de uma mulher, já foi retirado desta rede social. "0 tiros disparados", podia ler-se. A PSP …

PJ descarta abuso sexual na Queima das Fitas de Porto e Braga. Autores dos vídeos ainda por apurar

A Polícia Judiciária descartou o crime de abuso sexual nos dois casos, mas mantém a investigação aos crimes de de gravação ilícita e devassa da vida privadas. Dois jovens envolvidos numa cena de sexo num autocarro …

Negociações para formar Governo fracassam na Alemanha

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, lamentou no domingo em Berlim o fracasso das negociações da CDU com os liberais do FDP e com Os Verdes para a formação de um novo governo. Desde as eleições …

Armada argentina duvida que chamadas de satélite sejam do submarino desaparecido

No sábado, bases navais da Argentina anunciaram ter recebido contactos por telefone-satélite que poderiam ter sido feitos a partir do submarino militar argentino Ara San Juan. De acordo com o Diário de Notícias, sete chamadas de …

Morreu o infame Charles Manson

Na sequência dos assassínios brutais que levou a cabo com a sua seita, Charles Manson tinha sido condenado à morte em 1971. Um dos criminosos mais famosos dos Estados Unidos, Charles Manson, líder de uma seita …

Portugal prepara-se para o regresso dos seus jihadistas

As autoridades portuguesas estão a preparar-se para o regresso dos jihadistas que partiram de Portugal para combater nas fileiras do Estado Islâmico. Polícia e entidades de apoio social estão a receber formação para prevenir a …

Criminologista espanhol encontrou a "mulher de roxo" do caso Maddie

A polícia inglesa procurava a "mulher de roxo", que tinha saído da Praia da Luz com o marido - um pedófilo condenado que entretanto morreu -  na mesma altura do desaparecimento de Madeleine McCann, em …