Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones.

Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma forma de manter contacto com a família e amigos. As ferramentas digitais são também uma tábua de salvação para refugiados e menores não acompanhados, e podem-se tornar tão essenciais quanto água, comida ou abrigo.

No entanto, para muitos destes jovens, a falta de acesso a tecnologias digitais, os pacotes caros de banda larga ou os níveis de alfabetização muito baixos podem atuar como barreiras se quiserem viver num mundo digital.

Recentemente, investigadores do Reino Unido e da Hungria lançaram um projeto de pesquisa que tem como principal objetivo aumentar a alfabetização mediática e entender de que forma os jovens refugiados desacompanhados usam as tecnologias e as próprias redes sociais em seu benefício.

O trabalho de campo foi realizado durante dois anos em quatro países europeus – Suécia, Itália, Holanda e Reino Unido – com o intuito de descobrir se estas tecnologias podem mesmo ajudar a promover uma integração bem-sucedida.

De acordo com o The Conversation, os investigadores entrevistaram 56 refugiados, com idades compreendidas entre os 14 e os 19 anos, assim como os seus mentores e educadores.

As conclusões foram claras: os investigadores descobriram que os jovens refugiados se podem perder facilmente ao tentar aceder ao mundo digital. Por esse motivo, precisam de ferramentas para se integrarem com sucesso numa cultura cada vez mais conectada à rede.

A infinidade de provedores de serviços, plataformas e dispositivos também podem ser intimidadores. Ainda assim, a equipa ficou surpreendida com a rapidez com que alguns dos jovens conseguiram encontrar maneiras de negociar as suas novas circunstâncias digitais – geralmente depois de saírem dos países em guerra.

Desde o uso de aplicações de tradução até ao download de músicas dos seus próprios países, a verdade é que muitos dos jovens refugiados aprenderam muito rapidamente como funcionam estas ferramentas.

Além disso, a investigação permitiu perceber que os seus mentores ou responsáveis eram o seu primeiro ponto de ajuda quando encontravam algum problema online. Os jovens mais velhos foram considerados essenciais para ajudar os mais novos a entender como funciona o mundo digital.

A equipa descobriu ainda que muitos dos jovens não pensavam criticamente sobre as suas experiências online – e, numa era em que as fake news ganham terreno, este pode ser um ponto perigoso. Por esse motivo, os investigadores criaram uma aplicação – chamada Media + Mentor – direcionada para mentores ou educadores que trabalham diretamente com jovens refugiados desacompanhados.

O objetivo da aplicação é trazer mais mentores e prestadores de cuidados e indicar recursos, suporte e aconselhamento sobre os problemas online mais comuns enfrentados pelos refugiados: fake news, cyberbullying ou discurso de ódio.

A literacia mediática é essencial. Para qualquer jovem europeu, as aplicações e as plataformas online são recursos úteis para aprender coisas novas e encontrar informações relevantes. No entanto, como refugiado num novo país, pode ser difícil saber como aceder e como usar a Internet – a ajuda preciosa dos novos tempos.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Ljubomir Stanisic rescindiu contrato “de forma unilateral” com a TVI

A caminho da SIC, o apresentador rescindiu o contrato com a estação de Queluz, avança a TVI. Ljubomir Stanisic tinha contrato até dezembro de 2020. “O Chef Ljubomir Stanisic rescindiu hoje [esta sexta-feira], unilateralmente, o contrato …

Netflix tem uma nova funcionalidade. Os cegos e os surdos agradecem

A nova funcionalidade da Netflix permite alterar a velocidade de reprodução dos seus filmes e séries. Esta é uma novidade bem recebida por espetadores cegos e surdos. A Netflix tem uma nova funcionalidade que permite que …

Cientistas transformam tijolos em dispositivos de armazenamento de eletricidade

Uma equipa de investigadores descobriu como converter o pigmento vermelho dos tijolos num plástico condutor de eletricidade. Esse processo permitiu transformar os tijolos em dispositivos de armazenamento de eletricidade. Esses supercapacitores de tijolo podem ser …

Primeiro Museu do Godzilla abre no Japão (e os visitantes podem entrar na boca do monstro)

O primeiro Museu do Godzilla do mundo está agora aberto no Japão e tem uma estátua enorme do icónico monstro, em cuja boca se pode entrar de slide. De acordo com a Newsweek, atualmente, os visitantes …

Hubble faz a primeira observação de um eclipse lunar total

Tirando vantagem de um eclipse lunar total, astrónomos usaram o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA para detetar ozono na atmosfera da Terra. Este método serve como um substituto de como vão observar planetas semelhantes à Terra …

Biden tem 71% de probabilidade de vencer as eleições contra Trump

Joe Biden, candidato democrata à Casa Branca, tem 71% de probabilidade de vencer as eleições presidenciais norte-americanas frente a Donald Trump, o atual Presidente dos Estados Unidos, aponta uma nova sondagem. A pesquisa de opinião, levada …

Barcelona 2-8 Bayern | Atropelamento histórico na Champions

Noite histórica no Estádio da Luz. Em jogo dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, o Bayern goleou o Barcelona por impensáveis 8-2 – com 4-1 em cada uma das metades. Um resultado que se tornou …

Depois das sementes, norte-americanos recebem máscaras, óculos de sol e até meias sujas da China

Vários residentes da Flórida, nos Estados Unidos, receberam pacotes misteriosos da China pelo correio que não tinham encomendado. Desta vez não eram sementes, mas sim máscaras cirúrgicas, óculos de sol e até meias sujas. Em declarações …

Imposto sobre refrigerantes reduziu o seu consumo

O imposto especial sobre as bebidas com maior teor de açúcar levou mais de 40% dos inquiridos num estudo da Universidade Católica esta sexta-feira divulgado a reduzir o seu consumo, comportamento que adotariam também com …

Uma só teoria da conspiração sobre a covid-19 matou 800 pessoas. 60 ficaram totalmente cegas

Pelo menos 800 pessoas morreram e 60 ficaram cegas na sequência de uma teoria da conspiração sobre a covid-19, concluiu um novo estudo. A investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica American Journal …