Jorge Sampaio nega qualquer acordo para dissolver AR em 2004

José Coelho / Lusa

O antigo presidente da República, Jorge Sampaio

O antigo presidente da República, Jorge Sampaio

O antigo Presidente da República Jorge Sampaio negou este domingo qualquer tipo de combinação na dissolução do Parlamento em 2004 e afirmou-se uma pessoa “de boa fé” e sem arrependimentos.

Convidado no ciclo de conversas, no Centro Cultural de Belém, da jornalista Anabela Mota Ribeiro, Jorge Sampaio acabou por abordar a polémica dissolução do Parlamento quando o social-democrata Pedro Santana Lopes era primeiro-ministro, ainda que sem nunca falar diretamente do atual provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, nem responder às suas críticas.

Num livro (biografia política) que será lançado na segunda-feira, Jorge Sampaio diz que se fartou de Santana Lopes como primeiro-ministro e que este estava a deixar o país à deriva. Na última semana, Santana Lopes tem-se desmultiplicado em críticas a Sampaio (às quais este não respondeu) e pediu mesmo um debate televisivo sobre o assunto.

Santana disse, por exemplo, que Jorge Sampaio tem “um peso terrível” na consciência por ter dissolvido o Parlamento em 2004 e permitir um executivo que “pôs o país à deriva” e que, na decisão, o que pesou foi o pedido de empresários e banqueiros e não do povo.

“Tem havido uma ideia de que é tudo uma coisa sinistra, combinada, é tudo absolutamente mentira”, afirmou Jorge Sampaio quando questionado sobre o assunto, embora falando sempre de forma geral sobre o tema.

Sampaio lembrou que no seu mandato teve dois primeiros-ministros que “se foram embora”, recordou a saída de António Guterres em 2001 do Governo e o convite que lhe foi feito em 1999 para presidir à Comissão Europeia, e falou da dificuldade que disse ter em não dissolver logo o Parlamento quando da saída de Durão Barroso.

E, depois, o convencimento de que “só a dissolução” podia servir o país, porque “havia sinais maiores que apontavam para a legitimação popular”.

Sampaio falou ainda da sua ‘queda’ para promover diálogos, da sua “preocupação antiga” de dar estabilidade (“tive sempre governos minoritários”), mas também da sua forma de ser, de ouvir mas de tomar decisões sozinho. Foi assim quando se candidatou à Câmara de Lisboa, depois também a Presidente.

E é um homem sem arrependimento. Disse-o por duas vezes, que já não tinha idade para arrependimentos, que não se arrepende de nada.

A polémica com Santana Lopes foi pouco falada. Na verdade a maior parte do tempo Jorge Sampaio, uma pessoa “de boa fé” e não “ordinária” falou dos pais e da infância, dos tempos de estudante e depois dos cargos públicos. E contou histórias, a maior parte delas que fizeram rir a audiência, acabando-as muitas vezes com a frase “foi assim que aconteceu”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Fotografia mostra princesa Latifa em Espanha

Uma fotografia da princesa Latifa do Dubai, cuja situação preocupa a ONU depois de ter sido apanhada quando tentava fugir do emirado em 2018, foi divulgada esta segunda-feira numa rede social e descrita como tendo …

Microlino, o pequeno carro elétrico com teto dobrável, está cada vez mais perto da produção

Em desenvolvimento há mais de cinco anos, e originalmente com produção prevista para 2019, o terceiro protótipo do Microlino 2.0 da Micro Mobility Systems AG foi concluído. O terceiro protótipo do Microlino é o mais próximo …

Constitucional "absolve" (mas critica) socialista que chamou "cigana" a deputada

O Tribunal Constitucional (TC) anulou a decisão do PS de condenar o ex-eurodeputado, mas o presidente fez uma declaração de voto em que reprovou o "chocante racismo". O caso remonta a junho de 2017, quando Manuel …

EUA convida Coreia do Norte a retomar diálogo sobre armamento nuclear

Os Estados Unidos (EUA), a Coreia do Sul e o Japão convidaram esta segunda-feira Pyongyang a retomar o diálogo sobre armamento nuclear na península coreana, depois de o líder norte-coreano ter anunciado estar a preparar-se …

Polícias em protesto abandonaram parlamento (mas voltaram para trás)

A manifestação de elementos das forças de segurança pertencentes ao Movimento Zero abandonou esta segunda-feira, cerca das 15h30, o parlamento, alegadamente em direção ao Ministério da Administração Interna, mas a meio do percurso voltou para …

Sobrevivência da TAP depende da “implementação rigorosa” da reestruturação

O presidente executivo interino da TAP, Ramiro Sequeira, despediu-se esta segunda-feira dos trabalhadores sublinhando que a sobrevivência da companhia aérea dependerá da "implementação rigorosa" do plano de reestruturação. Num email enviado aos trabalhadores, a que a …

Novo (e nono) caso positivo de covid-19 no Euro 2020

Billy Gilmour não vai participar no último jogo da Escócia na fase de grupos, que pode terminar com uma qualificação inédita. Há mais um futebolista infetado pelo novo coronavírus, entre os que foram convocados para a …

Governo britânico estuda isenção de quarentena para vacinados

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, admitiu esta segunda-feira estar a avaliar a possibilidade de isentar de quarentena pessoas totalmente vacinadas contra a covid-19 que cheguem do estrangeiro, mas evitou falar sobre a expansão da “lista …

Temido quer “ganhar tempo” para conter variante Delta. Em julho, serão administradas 130 mil doses por dia

A ministra da Saúde admitiu esta segunda-feira que a variante Delta do coronavírus SARS-Cov-2 se tornará dominante em Portugal e disse que a estratégia é acelerar a vacinação contra a covid-19. “O que estamos a assistir …

Pais de bombeiro que morreu relatam vegetação lastimável na EN 236-1

Os pais do bombeiro Gonçalo Conceição, que morreu na sequência de queimaduras nos incêndios de Pedrógão Grande, relataram esta segunda-feira, no Tribunal Judicial de Leiria, que a vegetação junto à Estrada Nacional (EN) 236-1 estava …