Jejum de dopamina é a nova moda de Silicon Valley para aumentar a produtividade

Quando James Sinka faz jejum de dopamina, desconecta-se de qualquer estímulo externo; pára de comer ou de beber (ingere apenas água) e ignora o seu telemóvel ou computador.

Além de evitar tecnologia e parar de comer ou de beber líquidos que não água, James Sinka também evita interagir com outras pessoas, chegando até a evitar qualquer tipo de contacto visual.

Com 24 anos, Sinka faz parte de um grupo que tem crescido no pólo tecnológico norte-americano – o dos adeptos do jejum de dopamina. Esta é a mais recente moda de Silicon Valley, uma região que adota constantemente novas estratégias para aumentar a produtividade e o bem-estar.

A dopamina, conhecida como a hormona do prazer, é um neurotransmissor cuja atividade está ligada à motivação que temos para fazer as coisas. Segundo Joshua Berke, professor de Neurologia e Psicologia na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, “a libertação de dopamina pode ser acionada por uma série de estímulos externos, especialmente eventos inesperados”.

Segundo a BBC, os adeptos do jejum de dopamina acreditam que os habitantes das grandes cidades são superestimulados por pequenas mas constantes doses de dopamina no cérebro. Para estes adeptos, evitar de forma deliberada os estímulos reduz os níveis de dopamina no cérebro.

Desta forma, defendem que, depois de um período de privação, são capazes de aproveitar melhor as atividades e que se sentem melhor ao fazê-lo. O jejum de dopamina “permite-me refletir e analisar a situação a partir de uma perspetiva mais ampla”, considera James Sinka.

O psicólogo norte-americano Cameron Sepah explica que o jejum de dopamina é baseado numa técnica de terapia comportamental conhecida como “controlo de estímulo”, usada para tentar ajudar dependentes químicos, removendo comportamentos que sejam o gatilho para o uso de drogas.

Sepah defende que a prática deste tipo de jejum já revelou melhorias no humor, na produtividade e na concentração. No entanto, nem todos estão convencidos com as vantagens desta prática.

Berke salienta que o jejum de dopamina é uma prática e não um estudo controlado, sublinhando que não existe qualquer evidência científica que comprove que evitar comida e tecnologia possa diminuir os níveis de dopamina no cérebro.

“O argumento de que descansar o cérebro do uso obsessivo das redes sociais ou de festas é algo positivo soa plausível. Mas é pouco provável que isso tenha alguma relação com a dopamina”, aponta o professor.

“Por definição, dar uma pausa em atividades stressantes é algo relaxante, mas isso não é o mesmo que recusar uma conversa com um amigo”, remata.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Experimentem também deixar de respirar durante um dia ou dois. Vão ver que se voltarem a respirar (o que será pouco provável) saberá muito melhor!
    O mesmo é válido para defecar durante um mês 😉

RESPONDER

Barack Obama: "Taxem os ricos, como eu," para financiar proposta de Biden

Apelo está relacionado com a aprovação de um grande plano legislativo proposto por Joe Biden e que deverá ser negociado nas duas câmaras do Congresso norte-americano ao longo das próximas semanas. Numa semana decisiva da governação …

As origens dos antigos Etruscos foram finalmente reveladas

Vestígios de ADN encerraram, finalmente, o debate sobre a origem dos Etruscos,  uma antiga civilização cujos restos mortais foram encontrados em Itália. De acordo com quase dois mil anos de dados genómicos, recolhidos de 12 locais …

Rússia acusa Navalny e aliados de extremismo em novo processo

A Rússia intensificou a campanha contra o opositor do governo Alexei Navalny, abrindo esta terça-feira um novo processo judicial, que poderá levá-lo a cumprir uma pena de prisão de mais uma década. Navalny cumpre dois anos …

Governo demite Chefe do Estado-Maior da Armada. Gouveia e Melo provável sucessor

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai propor ao Presidente da República a demissão do Chefe do Estado-Maior da Armada, confirmaram hoje à Lusa fontes ligadas à Defesa. O Governo propôs ao Presidente da …

Borussia Dortmund 1-0 Sporting | Um Mal(en) que veio só… e foi suficiente

O “bicho papão Haaland não jogou, mas nem assim os “leões” conseguiram contrariar o maior poderio germânico. O Sporting saiu de Dortmund com uma derrota, apesar da excelente réplica no Signal Iduna Park, e muito por …

FC Porto 1-5 Liverpool | Dragão atropelado em casa

O Liverpool é uma espécie de “besta” em tons de “red” para o FC Porto. Em nove jogos oficiais, os “azuis-e-brancos” nunca venceram, somando 3 empates e 6 derrotas, a mais recente foi pesadíssima e …

China desenvolve arma invisível capaz de destruir redes de comunicação em dez segundos

Uma equipa de cientistas chineses está a desenvolver uma arma sónica, que gera um intenso pulso eletromagnético, capaz de destruir redes de comunicação e de fornecimento de energia elétrica. A arma poderá ter um alcance …

Dezenas de mulheres abusadas por funcionários da OMS na República Democrática do Congo

Dezenas de mulheres e meninas foram abusadas sexualmente por voluntários da Organização Mundial de Saúde (OMS) destacados para enfrentar o Ébola na República Democrática do Congo (RDC), entre 2018 e 2020, concluiu um inquérito independente …

Evolução de parasita está a tornar mais difícil detetar e tratar a malária

Uma mutação do parasita que causa a malária está a "camuflar" as proteínas que são identificadas nos testes rápidos, tornando mais difícil detetar e tratar a doença. De forma semelhante aos testes à covid-19, baratos e …

Banguecoque em alerta. Mais de 70.000 casas inundadas na Tailândia

As autoridades tailandesas têm feito esforços para proteger partes de Banguecoque das cheias, que já inundaram 70.000 casas e mataram seis pessoas nas províncias no norte e centro do país. A tempestade tropical Dianmu causou cheias …