Jeff Bezos lança fundo para ajudar famílias carenciadas (e recebe chuva de críticas)

(dr) European CEO

Jeff Bezos, CEO da Amazon

Jeff Bezos, um dos homens mais ricos do mundo, anunciou a criação de um fundo de dois mil milhões de dólares para ajudar as famílias mais carenciadas – e foi duramente criticado.

Jeff Bezos, o CEO da Amazon, anunciou a sua intenção de doar cerca de dois mil milhões de dólares para financiar “organizações sem fins lucrativos com o objetivo de ajudar famílias carenciadas e criar uma rede de pré-escolas novas e sem fins lucrativos em comunidades com baixos rendimentos”.

Bezos fez o anuncio no seu Twitter, o qual termina com uma declaração muito humana: “enche-me de gratidão e otimismo fazer parte de uma espécie tão empenhada no auto-aperfeiçoamento”.

Embora dois mil milhões de dólares pareça muito dinheiro, este montante representa apenas pouco mais de 1% do património líquido de Bezos. Ainda assim, a discrepância entre a fortuna do empresário e o fundo milionário não foi o único detalhe a chamar a atenção.

Uma reportagem publicada em junho no The Guardian relata casos de funcionários que se magoaram em serviço e acabaram sem casa e sem condições de regressar ao emprego. Em todos os casos, os funcionários trabalhavam nos armazéns Amazon, e eram famosos pela sua eficiência e rapidez.

Os funcionários dos armazéns da Amazon são conhecidos por terem péssimas condições de trabalho e salários miseráveis. Enquanto que a riqueza dos investidores aumenta e a capitalização de mercado da empresa também, o que torna o negócio tão eficiente é o facto de depender da automação e da mão-de-obra de baixo custo.

Este panorama lança o caos perante a atitude filantrópica de Bezos: há um problema de pobreza que o empresário quer contornar investindo o seu dinheiro em organizações, em vez de se concentrar em resolver as lacunas sistémicas da sua própria empresa.

Os bilionários da tecnologia parecem estar surdos e Jeff Bezos é exemplo disso. No fundo, o CEO da Amazon está a doar dinheiro para resolver um problema que a sua própria empresa perpetua, sintetiza a Fast Company.

Apesar de ter revelado a sua visão filantrópica, aquele que é um dos homens mais ricos do mundo deveria ter voltado as atenções para o seu círculo de funcionários. “Há algo de levemente irónico” nos planos de Bezos, desabafou o escritor James Bloodworth, autor de uma investigação sobre as condições de trabalho nos centros de distribuição da Amazon.

“Jeff Bezos pode promover-se como um grande filantropo, mas isso não o absolve de responsabilidade se os funcionários da Amazon continuarem a ter medo de fazer intervalos para ir à casa-de-banho ou de faltar quando estão doentes por temerem ser alvo de ação disciplinar no trabalho”, denunciou.

As redes sociais inundaram-se de críticas relativamente à suposta hipocrisia de Bezos, com muitos a citar os esforços da Amazon em reduzir o montante de impostos pagos pela empresa nos Estados Unidos e no exterior.

Ainda assim, Jeff Bezos não tentou sequer disfarçar o seu esforço filantrópico do modelo de negócios da sua empresa: “Vamos usar no fundo o mesmo conjunto de princípios que movem a Amazon”, escreveu num comunicado. “O mais importante será a obsessão genuína e intensa pelo consumidor. A criança carenciada será o consumidor.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Este marmelo deveria ter vergonha desta sua acção “filantrópica”, tendo em conta os miseráveis salários do seus trabalhadores e as péssimas condições de trabalho que possuem! Quer aliviar a sua consciência (penso que desconhece o que isso é) e ficar de bem com o Mundo? É pá, compra um iate com 100 metros, ou um jacto ao Musk…

RESPONDER

Criada para prevenir a guerra, a ONU enfrenta um mundo profundamente polarizado

Criada após a Segunda Guerra Mundial para evitar novos conflitos, a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora esta segunda-feira o 75.º aniversário, num mundo polarizado que enfrenta uma pandemia, conflitos regionais, uma economia em declínio …

Mulher cai de carro em movimento enquanto grava vídeo para o Snapchat

Uma mulher, que ocupava o lugar do passageiro de um carro em movimento, caiu numa auto-estrada enquanto filmava um vídeo para a rede social Snapchat, no Reino Unido. Segundo a CNN, a mulher estava pendurada na …

Nos Estados Unidos, a venda de discos em vinil ultrapassou a de CD pela primeira vez desde 1986

Pela primeira vez desde 1986, as vendas de discos de vinil ultrapassaram as vendas de CD nos Estados Unidos em 2020. Os números foram apresentados na semana passada pela Associação Americana da Indústria de Gravação, …

Mourinho espera ganhar sem jogar

Tottenham iria defrontar o Leyton Orient mas também no Reino Unido há jogos de futebol em causa por causa do coronavírus. O encontro entre Leyton Orient e Tottenham, relativo à terceira eliminatória da Taça da Liga …

A máfia italiana tem uma nova arma de recrutamento: o TikTok

Os jovens membros da Camorra, organização criminosa aliada à máfia siciliana, estão a recorrer ao TikTok para divulgar o seu estilo de vida e recrutar novos membros. Em maio, um vídeo foi publicado no TikTok que …

Os três segredos para ter um bom sistema imunológico são gratuitos, avisa Fauci

Manter o sistema imunológico saudável é um dos fatores-chave para lidar com a covid-19, o que não implica necessariamente a toma de suplementos vitamínicos. Há uns tempos, quando confrontado com o facto de a atriz Jennifer …

Pinguim encontrado morto no Brasil com uma máscara inteira no estômago

Um espécime de pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) foi encontrado morto numa popular praia brasileira e a autópsia ao corpo revelou que o animal tinha no seu estômago uma máscara de proteção facial N95. O animal foi …

Trump quer restabelecer sanções ao Irão. ONU rejeita apoiar posição norte-americana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que somente apoiará a restituição de sanções ao Irão, exigidas pelos Estados Unidos (EUA), se receber luz verde do Conselho de Segurança. Numa carta dirigida …

Designer holandês desenvolve "caixão vivo" feito com fibras de fungos

Um corpo humano pode demorar cerca de uma década a decompor-se dentro de um caixão. Com o Living Cocoon, o tempo é reduzido para dois ou três anos. Bob Hendrikx, biodesigner fundador da Loop, desenvolveu e …

Relógio em Nova Iorque mostra o tempo restante para reverter efeitos do aquecimento global

O Metronome, icónico relógio digital de Nova Iorque, deixou de mostrar o tempo do dia-a-dia e mostra agora o tempo restante que o nosso planeta tem para reverter os efeitos do aquecimento global. O relógio digital …