“Inocente” jardineiro era, afinal, um serial killer

Esta terça-feira, Bruce McArthur admitiu que matou os oito homens. Há um ano tinha sido detido. A sentença vai ser proferida na próxima segunda-feira.

“Culpado”, disse Bruce McArthur. Culpado pela morte de Andrew Kinsman, 49 anos. “Culpado”, pela segunda vez. Culpado pela morte de Selim Esen, 44 anos. Por oito vezes se disse culpado: pela morte de Skandaraj Navaratnam, 40 anos, Soroush Mahmudi, 50 anos, Dean Lisowick, 47 anos, de Abdulbasir Faizi, 42 anos, de Majeed Kayhan, 58 anos, e de Kirushna Kanagaratnam, 37 anos.

Estes oito homens viveram naquele que é conhecido como o bairro gay em Toronto, no Canadá. Todos desapareceram entre 2010 e 2017. Mais tarde, soube-se, que foram mortos. Agora, sabe-se quem os matou. Chama-se Bruce McArthur, tem 67 anos, é canadiano e jardineiro.

A lei prevê que a condenação por homicídios em primeiro grau seja, automaticamente, prisão perpétua. Isto significa que Bruce McArthur nunca vai conseguir candidatar-se a liberdade condicional antes de fazer 91 anos.

“Teve intenção e provocou todas as mortes. Durante cada um destes homicídios, um ou mais dos seguintes fatores esteve presente: planeamento e deliberação, um assassinato cometido no decurso de abuso sexual às vítimas ou assassinato cometido enquanto as vítimas estavam ilegalmente confinadas”, pode ler-se num documento divulgado pelo supremo Tribunal de Justiça do Canadá. “Depois de matar os homens, com o intuito de evitar ser detetado, desmembrou os corpos.”

Em tribunal, o juiz fez uma descrição detalhada de como foram os crimes praticados. Em alguns casos, os restos mortais das vítimas foram descobertos em vasos de plantas no terreno onde McArthur trabalhava como jardineiro.

Numa residência sénior, McArthur cortava a relva e, em troca, deixavam-no usar um barracão para guardar as suas ferramentas. A polícia canadiana encontrou ainda restos mortais junto a uma ravina.

O homicida montava um cenário e fotografava os homens que matara, ficava com objetos do morto em jeito de lembrança. “É satisfatório saber que ele vai para a prisão e, provavelmente, não vai sair. É um alívio”, contava Candace Shaw, vizinha do homicida.

Bruce McArthur casou com a namorada do liceu, foi pai de dois filhos e hoje é avô, mas acabaria por se afastar da família quando assumiu ser homossexual e mudou-se para uma casa dos pais em Toronto.

“Costumava chamar-lhe Pai Natal”, recordou o dono de um bar, há um ano, quando o homem foi detido. McArthur chegou até a fazer de Pai Natal em centros comerciais.

Em 2003, McArthur já fora condenado: dois anos em liberdade condicional, proibido de se aproximar de prostitutos e de andar pelas ruas do Gay Village. No seu apartamento, atacou um homem que havia contratado para ter relações sexuais.

Bruce entregou-se à polícia e assumiu a culpa das suas ações. Uns anos depois, um outro homem apresentou queixa às autoridades, após McArthur o ter tentado estrangular durante um encontro. Mas não houve condenação.

A atual investigação já foi considerada pelas autoridades do Canadá como uma das maiores de sempre na cidade de Toronto – e ainda continua, porque é possível que McArthur tenha feito mais vítimas.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Sondas espaciais com "cunho" português vão passar perto de Vénus

As sondas espaciais europeias Solar Orbiter e BepiColombo, ambas com tecnologia e ciência portuguesas, vão passar perto de Vénus a 9 e 10 de agosto, respetivamente, anunciou esta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA). A passagem …

Elvis Presley terá morrido de doenças genéticas (e não por overdose de medicamentos)

Segundo um novo livro de Sally Hoedel, a morte de Elvis Presley estará, afinal, relacionada com o tratamento para doenças congénitas das quais sofria. O cantor norte-americano, que morreu há quase 44 anos, estava fortemente medicado …

A cidade mais populosa de África está a viver em contra-relógio

Os habitantes da Nigéria, o país mais populoso de África, já estão habituados a contornar as inundações anuais que invadem o país. No entanto, este ano a situação saiu fora do controlo, com o principal …

"Pensávamos que a Casa Branca mandava". Biden sob fogo devido ao fim da proibição dos despejos

A inacção de Joe Biden perante o fim das moratórias que proíbem os despejos durante a pandemia está a ser criticada até dentro do próprio Partido Democrata. A moratória federal aos despejos acabou este sábado, para …

Na ausência de Biles, Sunisa Lee coroou-se rainha da ginástica. É a primeira hmong a ganhar ouro

Sunisa Lee chegou a Tóquio com a missão de ajudar os Estados Unidos a garantir o ouro e de garantir a presença em finais individuais de aparelhos. Com o abandono de Biles, tornou-se a estrela …

Presidente afegão culpa retirada “abrupta” dos EUA pelo rápido avanço dos talibãs

O chefe de Estado afegão prometeu vencer o conflito com as milícias talibãs e os Estados Unidos dizem-se prontos a receber mais milhares de refugiados. O Presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, prometeu esta segunda-feira vencer o …

42% das pessoas em enfermaria no Hospital de são João têm vacinação completa

No Centro Hospitalar de São João (CHSJ), 42% das pessoas internadas em enfermaria e 15% das internadas em unidades de cuidados intensivos tinham a vacinação completa. Segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), apenas …

António Oliveira e uma arbitragem "conveniente"

Athletico Paranaense perdeu novamente no Brasileirão e a equipa de arbitragem ajudou os vencedores, queixou-se o treinador português. O Athletico Paranaense, líder do Brasileirão nas primeiras jornadas, está numa fase negativa: apenas uma vitória nas últimas …

André Ventura - Chega

Autárquicas. Chega concorre sozinho a 220 municípios para avaliar o seu "impacto"

André Ventura anunciou esta segunda-feira que o Chega irá concorrer nas eleições autárquicas a “cerca de 220 municípios” do país, sublinhando que o partido vai a votos sozinho para avaliar o seu “impacto”, mas sem …

Ex-guarda nazi julgado aos 100 anos por cumplicidade em assassinatos

Um homem de 100 anos que supostamente serviu como guarda num campo de concentração nazi será julgado em outubro por cumplicidade no assassinato de mais de 3.500 pessoas durante a Segunda Guerra Mundial, informou a …