Jardim admite ser candidato a Belém se reunir as assinaturas

PSD / Flickr

Presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim

Presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim

O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, admitiu esta noite entrar na corrida para Belém, não para ser Presidente da República, mas para ter a oportunidade de apresentar as suas ideias para o país.

“Vou a jogo para apresentar ideias para o país, mas sem qualquer ambição de ser Presidente da República”, afirmou Jardim no programa “Grande Entrevista”, da RTP Informação.

O líder madeirense referiu que este cenário se colocaria apenas no caso de conseguir “reunir as assinaturas” necessárias para formalizar a candidatura, argumentando, contudo, que “só candidatos da partidocracia é que ganham eleições e conseguem reunir os meios financeiros para a campanha”.

Ainda sobre o seu futuro político, Jardim colocou também como hipótese vir a ocupar o lugar de deputado na Assembleia da Republica.

“É uma das possibilidades que admito, até por curiosidade“, declarou o responsável madeirense, acrescentando: “até por ter sido sempre eleito [deputado] e nunca ter posto lá os pés“, embora vincando que tal “não é importante para o país”.

Falando sobre política nacional, o líder madeirense adiantou que a coligação PSD/CDS no próximo mandato deve ter uma “mensagem apontada à pessoa humana e às famílias” e que a classe média “tem de ser refeita”.

Jardim disse “temer que, se não suceder qualquer coisa de novo no seio da coligação”, os portugueses possam não renovar a confiança neste projeto político.

E, se tal acontecesse, admitiu que seria favorável à formação de um Bloco Central, liderado pelo PSD, embora declare que, “pessoalmente, tem confiança em António Costa“.

No que diz respeito às eleições internas do PSD/Madeira, Alberto João Jardim rejeitou a ideia de que a “vitória de Miguel Albuquerque tenha sido a derrota do jardinismo”, argumentando que não foi candidato e que quando os dois se defrontaram, em 2012, venceu esse ato eleitoral.

“Seria hipócrita dizer que Albuquerque era o meu candidato, mas uma vez eleito é o meu líder e o PSD/M tem que ganhar próximas eleições”, destacou.

O governante insular também reconheceu que a dívida pública da Madeira, superior a 6 mil milhões de euros, “é o principal problema que deixa” depois de quase 37 anos de governação, mas insistiu que o dinheiro foi para efetuar obras.

“Essa dívida não foi para fazer planos para o TGV e depois não se fez o TGV”, declarou, considerando que “foi obra feita em Portugal e não há razão para ser considerada à parte pelo Estado Português”.

“O poder é efémero”

Instado a comentar a política do Governo da República, o líder madeirense recusou fazer qualquer abordagem, por “respeito pessoal” para com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, devido a um problema de saúde da sua mulher.

Outra questão abordada na entrevista foi a prisão do ex-primeiro ministro José Sócrates, tendo Jardim opinado que “até prova em contrário, toda a gente está inocente“.

Jardim disse “não ver razão para a prisão preventiva” e criticou o “espetáculo mediático que tem sido feito à volta deste caso”.

Para presidente do Governo da Madeira, este caso envolve “coisas demasiado sérias”, pelo que devia ter sido “tratado com pinças”.

Na opinião de Jardim, “esgrimir esse caso nas eleições pode ser uma faca de dois gumes”, preconizando que o “PSD não deve cair nesta armadilha”.

Alberto João Jardim conclui estar “preparado para o dia seguinte”, argumentando que “o poder é efémero” e que o que mais se orgulha na sua governação foi a transformação social operada na sociedade madeirense.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Ele sabe que nunca na vida vai ser eleito por isso esta candidatura só pode ter um motivo… Financiamento, vai engrenar uma forma de o financiamento da campanha ir parar às suas belas contas pessoais! E assim se vive neste belo pais de 3º mundo encostado à Europa…

  2. ainda não está satisfeito com o que amealhou durante cerca de 40 anos. Porra para esta treta toda da politica, só os tesos como eu não têm voz activa para dizerem livremente o que lhes vai na alma.

  3. Há coisas que só mesmo o Sr. Alberto entende e também só elhe mêsmo é quepaz de respundêêêr a algumas perguuuntas:
    1) Como é que há alguns anos dizia que este país era dominado por um lobby gay e agora parece ter perdido o medo de vir para cá sem temer poder vir a ser sodomizado?!
    2) Será que e no caso de ganhar as eleições, irá presidir à República a partir da ilha da Madeira?!
    3) Será porque o Sr. Jaime Gama agora já não lhe chama Bokassa?!
    Se calhar é…

RESPONDER

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …

China inaugurou o comboio mais rápido do mundo

O comboio-bala maglev, que pode atingir uma velocidade de 600 quilómetros por hora, fez a sua estreia em Qingdao, na China, esta semana. Tal como conta a cadeia televisiva CNN, este comboio-bala maglev foi desenvolvido pela …

Quatro portugueses detidos em Espanha por alegada violação de duas mulheres

A polícia espanhola anunciou, este sábado, ter detido quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país. Segundo a …

Stonehenge pode perder estatuto de património mundial da UNESCO

Depois de Liverpool, também Stonehenge pode perder o estatuto de património mundial da UNESCO. O aviso surge após o secretário dos transportes, Grant Shapps, ter dado luz verde aos planos de construção de um túnel …

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …

Há dezenas de autarcas envolvidos em processos sem fim à vista

Dezenas de autarcas foram neste mandato acusados por corrupção, negócios imobiliários duvidosos e abuso de poder, entre outros, em processos judiciais que se arrastam, na maioria, sem desfecho à vista a dois meses de novas …

Milhares de pessoas manifestam-se na Austrália contra o confinamento

Milhares de australianos manifestaram-se, este sábado, em várias cidades do país contra as restrições impostas pelo Governo para controlar o aumento de casos de covid-19. Em Sidney, cerca de mil manifestantes protestaram contra o confinamento decretado …

Há 406 farmácias com testes comparticipados pelo Estado

Há 406 farmácias de 104 laboratórios em Portugal continental com testes comparticipados pelo Estado. Saiba quais. O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) atualizou recentemente a lista das farmácias e laboratórios que disponibilizam testes …

Há 33 cursos com emprego garantido. Abandono no Ensino Superior aumentou

Este ano, há 30 licenciaturas e três mestrados integrados sem recém-diplomados inscritos no Instituto de Emprego e Formação Profissional. Segundo o Observador, o número total (33) é inferior ao de 2020 e de 2019, quando foram …