Japão cria fábricas de vegetais para substituir agricultura no campo

Nos arredores das cidades japonesas existem “fábricas de legumes” automatizadas que substituem a agricultura no campo, cada vez mais despovoado e atingido por repetidas catástrofes naturais.

Segundo noticiou o Diário de Notícias, citando a AFP, um dos exemplos dessas fábricas encontra-se num edifício comum numa área industrial entre Quioto e Osaca, no oeste do Japão. Nessas instalações da empresa Spread crescem cerca de 11 milhões de alfaces por ano – 30 mil por dia -, com a atuação de apenas 25 funcionários.

Como revelou a agência noticiosa, a produção ocorre numa sala asséptica, nas quais autómatos movem as alfaces de um lugar para outro ao longo do dia. À medida que crescem, são mudadas para lugares com as condições de luminosidade, temperatura e hidrometria adaptadas a esse estado de crescimento.

A produção é feita com água enriquecida com nutrientes, sem recurso a solo ou a pesticidas. Trata-se da agricultura hidropónica.

Tal como acontece na Dinamarca, o Japão é pioneiro no desenvolvimento de “fábricas de vegetais com luz artificial” há décadas, levando a que empresas como a Panasonic, a Toshiba, a TDK ou a Fujitsu tenham criado luz, sensores e outras tecnologias adaptadas para transformar as linhas de produção de semicondutores em “campos verticais”.

A Spread, uma empresa inicialmente direcionada para a logística de produtos frescos, é poucas que conseguiu tornar o negócio lucrativo. “No início, tivemos dificuldades em vender a alface, mas foi relativamente fácil criar uma imagem da marca para atrair clientes, pois podemos produzir qualidade pelo mesmo preço durante todo o ano”, explicou Shinji Inada, chefe da empresa.

“Temos poucas perdas”, explicou, e os produtos, facilmente encontrados nos supermercados de Quioto e nos de Tóquio, são preservados por algum tempo. O ajuste desse sistema automatizado levou anos.

Noutra antiga fábrica da Spread em Quioto, que produz 21 mil pés de alface por dia, existem cerca de 50 trabalhadores que mudam as plantas de um lado para outro.

“Com a falta de mão-de-obra, a baixa rendibilidade do setor agrícola e a queda na produção, senti que era necessário um novo sistema de produção”, explicou Inada, admitindo que pensou também na relevância ecológica antes de iniciar esta atividade.

E explicou: “É verdade que usamos mais energia em comparação com as culturas ao sol, mas, em troca, temos uma produtividade mais alta numa superfície semelhante”.

Nos campos verticais a mesma espécie de alface é produzida oito vezes por ano. No que diz respeito à quantidade de água, 98% é reutilizada em circuito fechado e é mínimo em comparação com as culturas tradicionais. “Com tudo isso, acho que contribuímos para a agricultura sustentável da nossa sociedade”, argumentou o chefe da empresa.

A Spread está a reproduzir o mesmo esquema em outras áreas no Japão para maximizar a produção para consumo local. Exemplo disso é uma fábrica em Narita, perto de Tóquio, na província de Chiba, danificada este ano por dois poderosos tufões.

“Pode-se exportar facilmente o nosso sistema de produção para um país de clima muito quente, ou frio, para cultivar alface”, completou Inada.

De momento, o Japão tem cerca de 200 fábricas de alface com luz artificial, a maioria pequena. Segundo a empresa de estudos especializados Innoplex, serão 400 em 2025. A Mitsubishi Gas Chemical está a construir uma fábrica do género na província de Fukushima.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Estive no Japão no passado mês de Outubro e tive a oportunidade de ver e fotografar uma dessas “fábricas” situada no oitavo andar de um prédio em Ginza (Tóquio). Em produção estariam umas 200 alfaces, todas com um excelente aspecto viçoso e sadio e o destino era exclusivo para abastecer e cobrir as necessidades da cafeteria de uma conhecida livraria. Com as limitações de terreno e constrangimentos geológicos e climáticos que o Japão enfrenta, afigura-se como uma solução válida. Aliás, durante os 21 dias que lá estive ocorreu o Tufão Hagibi que tanta destruição causou. Desde há muito tempo que muitos japoneses fazem cultura de algas para a sua alimentação em pequenos tanques à porta de suas casas, o que é frequentemente visto por todo o país, bem como hortas verticais e outras soluções semelhantes.

  2. Não tivesse o homem se embebedado com intelectualidade excessiva pra legitimar suas desculpas pra se manter na linha da ganância e não enfrentar seus erros, e não tivesse estragado a terra, e iria continuar a colher o naturalmente saudável com todos os componentes existentes na natureza…
    Na China já até fabricam repolho e outros com uma pasta que colocam em água fervendo.
    Pelo caminho que as coisas levam, estarão comendo plástico transformado em frango ou peixe, e uma sola de sapato virando bife ou lula.
    Deus tenha misericórdia dos que não erram o alvo e desça a destruição como reprimenda.

RESPONDER

"Adiem a Liga dos Campeões", pede o Borussia Dortmund

Sorteio está marcado para esta quinta-feira mas Michael Zorc avisa: "Faltam requisitos legais para a fase de grupos arrancar". A fase de grupos da Liga dos Campeões vai começar, pela primeira vez, em outubro. A primeira …

Artista "ressuscita" 54 Imperadores Romanos com ajuda da Inteligência Artificial

Artista canadiano usou um ramo da Inteligência Artificial para criar retratos ultra-realistas de antigos Imperadores Romanos como, por exemplo, Calígula, Nero e Adriano. A aparência física destes antigos Imperadores Romanos foi preservada em centenas de esculturas …

Cantar pode ser uma má ideia durante a pandemia

Uma nova pesquisa revelou que cantar em grupo pode ser perigoso em termos de propagação de patógenos. Esta é só mais uma prova de que 2020 chegou para pôr um travão na diversão. A Universidade de …

Emirados Árabes Unidos anunciam missão espacial à Lua para 2024

Um alto responsável dos Emirados Árabes Unidos disse hoje que o país tenciona enviar para a Lua uma nave com um veículo não tripulado em 2024. O desejo de pisar a lua é uma ambição de …

Exército norte-americano quer ter acesso à rede de satélites da SpaceX

O exército dos Estados Unidos está de olho na Starlink, a constelação de satélites da SpaceX, cujo CEO é o multimilionário Elon Musk e que tem como objetivo levar Internet de banda larga a todos …

Portugal tem cada vez menos água disponível

Portugal tem cada vez menos água disponível e nos próximos cem anos a precipitação em certas regiões do país, como o Algarve, pode sofrer uma redução de até 30%, alertou esta terça-feira a Associação Natureza …

Tel Aviv vai ter estradas elétricas que recarregam autocarros em movimento

Tel Aviv, em Israel, está a trabalhar na criação de estradas elétricas sem fios para carregar e fornecer energia aos transportes públicos da cidade. As estradas elétricas são parte de um programa piloto liderado pelo município …

Suicídio entre militares norte-americanos aumenta 20% em época de covid-19

Os suicídios entre os militares subiram 20% este ano em comparação com o mesmo período de 2019, registando-se um aumento nos incidentes de comportamento violento à medida que as tropas lutam contra a covid-19 e …

Turista apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma. Arrisca ser condenado a prisão

Um turista foi apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma, em Itália, e arrisca ser punido com um até um ano de prisão. De acordo com o diário italiano La Repubblica, o turista, …

Função Pública. Fesap exige subida de remuneração mínima para 693 euros

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) exige que a primeira posição da Tabela Remuneratória Única avance para 693,13 euros em 2021 e uma atualização do subsídio de refeição para seis euros. Estas duas medidas …