Ir viver para o interior pode garantir apoios até 4800 euros

Manuel de Almeida / Lusa

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho

O programa “Trabalhar no Interior” vai ser apresentado, esta segunda-feira, pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Em declarações à rádio TSF, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, explicou que um dos objetivos do programa “Trabalhar no Interior” é dar apoio financeiro a trabalhadores ou estudantes que estão a entrar no mercado de trabalho que se mudem para o interior.

Para os interessados neste apoio, que vai começar durante o 1.º trimestre de 2020, é necessário que celebrem um contrato de trabalho no interior.

A governante declarou que o valor base do apoio, dado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), se situa nos 2600 euros, mas que este pode chegar aos 4800 euros, em função das despesas de instalação e transporte, bem como por cada membro do agregado.

Segundo a ministra, também será dado um apoio financeiro às empresas — como a majoração de 25% no apoio à criação de empresa para a contratação de desempregados —, majorações em estágios no interior e no Programa Regressar.

Ana Mendes Godinho adiantou à TSF que vão ser criados 13 novos centros Qualifica e que vão “flexibilizar as regras quanto aos cursos de formação que acontecem no interior”, prometendo ainda o reforço de novos cursos, sobretudo nas áreas digitais e tecnológicas.

A ministra considera que este programa vem colmatar uma lacuna, tratando-se de “criar medidas de discriminação positiva para atrair e fixar pessoas e trabalhadores nos territórios do interior, apoiando as pessoas e as empresas”.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Ah, ah, ah, ah!
    Uma anedota e uma mão cheia de nada, apenas isso!
    Mais centros qualifica? Ok, já se está a ver para onde vai o dinheiro. Para um teatro em que se finge que se aprende e se ensina, mas que na prática pouco mais serve do que para aperfeiçoar e cristalizar maus vícios.
    E que tal tirar as portagens das auto-estardas do interior? Isso sim era útil (sempre ajudava a compensar a medida de transportes públicos altamente subsidiados no porto e em Lisboa).
    E que tal voltar a pôr a taxa de IRC das empresas do interior ao nível do que estava há uns anos?

    • Concordo 110%. Este programa vai beneficiar quem NÃO mora no interior e quer vir passear uns anos até cá. Seria preferível discriminar positivamente quem já cá está.
      “Majoração para criação de empresas”!!! Ou seja: quem cá está, não interessa. Já estamos a pagar impostos, por isso não há apoios. Há, sim, apoios para quem vier do “litoral” para cá, criar uma empresa, que vai funcionar uns anos, ajudando a afundar quem já cá estava, e depois vai-se embora deixando um buraco maior.
      Não há dúvida que os nossos governantes se fartam de pensar. Pena não serem inteligentes…

RESPONDER

Atletas que sorriem durante as corridas gastam menos oxigénio

Os atletas que sorriem gastam menos oxigénio, trabalham de forma mais económica e têm um nível de esforço menor, refere um estudo realizado pelas universidades de Ulster e Swansea, divulgado esta terça-feira. Os investigadores pediram a …

OMS analisa possíveis primeiros casos de infeção de animais para o homem

A Organização Mundial de Saúde (OMS) admite que pelo menos três infeções por Covid-19 nos Países Baixos possam ser os primeiros casos conhecidos de transmissão do novo coronavírus dos animais para o homem, tendo martas …

Na Suíça, é possível estar em teletrabalho e a empresa pagar parte da renda

O Tribunal Federal da Suíça condenou uma empresa de contabilidade a pagar parte da renda de casa a um funcionário que se encontrava em teletrabalho. Segundo revelou na segunda-feira o swissinfo e o Tages-Anzeiger, citados pelo …

Governo negoceia até mais 35 milhões em apoios para agricultura

A ministra da Agricultura disse hoje que está em curso a negociação de medidas adicionais para apoiar o setor agrícola, face ao impacto da covid-19, através do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), que podem mobilizar …

Moro não assinou exoneração de ex-diretor da Polícia, admite Presidência do Brasil

A Secretaria-Geral da Presidência brasileira admitiu na segunda-feira que o agora ex-ministro da Justiça Sergio Moro não assinou o decreto de exoneração de Maurício Valeixo da direção-geral da Polícia Federal, confirmando a versão original do …

Norte foi região que mais contribuiu para aumentar produtividade do trabalho no país

O Norte foi a região que mais contribuiu para aumentar a produtividade laboral entre 2000 e 2017, crescendo 20% quando a Área Metropolitana de Lisboa subiu 3,3%, revelou na segunda-feira a Comissão de Coordenação e …

Vai nascer uma praia fluvial nas margens do Alqueva em 2021

Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, devendo começar a funcionar no verão do próximo ano. Uma nova praia fluvial começou a ser construída nas margens do Alqueva, junto à aldeia …

Câmara de Bragança vai ajudar com até 100 euros a pagar renda

As famílias mais vulneráveis do concelho de Bragança vão poder contar com um apoio financeiro até 100 euros mensais para pagar a renda. A Câmara de Bragança vai ajudar as famílias do concelho em situação vulnerável …

Parlamento chumba lay-off para sócios-gerentes, mas acaba com teto de faturação ao apoio

A Comissão de Economia chumbou, esta terça-feira, o alargamento do lay-off simplificado aos sócios-gerentes. Por outro lado, aprovou o fim do teto de faturação para aceder ao apoio a estes portugueses. A proposta do PSD, BE …

Comissão Europeia admite que Portugal fica "em desvantagem" nas ajudas estatais

Margrethe Vestager, vice-presidente executiva da Comissão Europeia, admite que países como Portugal, com menor capacidade orçamental do que Estados-membros como Alemanha ou França, fiquem “em desvantagem” nas ajudas estatais em altura de crise gerada pela …