Iniciativa Liberal quer substituir salário mínimo nacional por salário mínimo municipal

Gatopolitico / Wikimedia

Carlos Guimarães Pinto, presidente do Iniciativa Liberal

A Iniciativa Liberal (IL) pretende trocar o salário mínimo nacional, estipulado pelo Governo, por um salário mínimo municipal, a ser definido por cada autarquia do País.

A medida consta do programa eleitoral, aprovado este domingo, no Conselho Nacional da IL e que será divulgado ainda esta semana.

A proposta visa dar autonomia aos municípios para adotarem a remuneração mínima que mais se adeque à economia local e, de acordo com um documento que serviu de base à apresentação da ideia aos conselheiros, ao qual a Visão teve acesso,, a IL defende que a retribuição mínima mensal para cada trabalhador seja aprovada pelas assembleias municipais “por sugestão” dos respetivos executivos camarários, ao passo que nos Açores e na Madeira seriam fixados salários mínimos regionais.

Além disso, o valor atual do salário mínimo serviria como referência para o primeiro ano de aplicação da medida, podendo crescer a partir a partir daí. A ideia tem três objetivos adicionais: “descentralizar uma componente da política económica que depende fortemente das condições económicas locais”, “fomentar a coesão territorial” e “flexibilizar o mercado de trabalho”.

A direção dos liberais alega que “as condições mínimas de sobrevivência dependem do custo de vida do local onde as pessoas vivem” e usa como exemplo dois gráficos que espelham as assimetrias no acesso à habitação: um com o valor mediano das casas vendidas (euros por metro quadrado) e outro com o valor mediano do arrendamento (euros por metro quadrado).

A IL considera que um salário mínimo nacional pode garantir “boas condições de vida” em determinados concelhos e, ao mesmo tempo, não o assegurar noutros pontos do País. Da mesma forma observa que a fixação de um salário mínimo nacional “que garanta mínimos de subsistência em Lisboa pode empurrar para fora do mercado de trabalho formal pessoas com poucas qualificações que moram no interior e estariam disponíveis para receber um salário mais baixo (que ainda assim lhes garantiria boas condições de vida)”.

O partido sublinha ainda que alguns países, como os EUA, “descentralizaram a definição do salário mínimo”, variando, assim, de estado para estado.

Em Portugal, um trabalhador do setor privado aufere no mínimo 600 euros, enquanto um funcionário com vínculo ao Estado recebe, pelo menos, 635,07 euros.

Na reunião do Conselho Nacional, foi também validada a proposta para revisão do sistema eleitoral, que contempla a criação de círculos uninominais, isto é, um modelo no qual em cada circunscrição territorial seria eleito apenas um deputado, acompanhado pelo aparecimento de um círculo nacional de compensação (que serviria para agregar os votos “deitados fora” em cada círculo uninominal).

Outra medida que obteve luz verde dos conselheiros foi a elaboração de orçamentos de base zero – uma técnica financeira que consiste em construir um orçamento sem ter como referência as receitas e despesas dos exercícios anteriores.

Antes da aprovação do programa, a IL já tinha anunciado duas medidas que geraram alguma controvérsia: a implementação da chamada flat tax de IRS (15%) e a possibilidade de alargamento da ADSE aos trabalhadores do setor privado.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Helicóptero do INEM avariou durante missão. Vítima que ia socorrer acabou por morrer

Um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), localizado em Loulé, teve uma avaria a meio de uma missão de socorro, sendo obrigado a abortar a viagem que visava ajudar uma mulher de 22 …

Águas do Porto alerta para cobranças fraudulentas porta a porta

A empresa municipal Águas do Porto alertou, esta segunda-feira, para uma fraude que está a ser cometida em seu nome com falsos funcionários que tentam fazer cobranças à porta. De acordo com a Águas do Porto, …

Um terço dos universitários de Lisboa já sofreu violência sexual física

Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violência sexual física pelo menos uma vez, mas são muitos poucos os que denunciam as agressões, raramente o fazendo à …

OE2020: Esquerda vai negociar "até ao último minuto". PSD não comenta eventual traição madeirense

O Governo apresentou, nesta terça-feira, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) aos partidos com representação parlamentar. Dos encontros, não saiu fumo branco, com o Bloco …

Turismo fez subir o custo de vida dos portugueses. Salários continuam estagnados

O crescimento do turismo em Portugal fez crescer o custo de vida dos portugueses, especialmente nos que vivem nas grandes cidades, apesar de estes continuarem com os salários estagnados, escreve o Jornal de Notícias. Entre 2013 …

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …

Falhas no acesso a remédios não são exclusivo do SNS. No resto da Europa também há, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou que as falhas no acesso a medicamentos não são "um exclusivo nacional", estando em discussão entre os Estados-membros uma "estratégia global para o acesso ao medicamento". A ministra da Saúde afirmou …