De surpresa, Índia destrói satélite em teste de nova arma espacial

De surpresa e numa operação de minutos, a Índia destruiu esta quarta-feira um satélite de órbita baixa no Espaço, recorrendo a um míssil. Para o primeiro-ministro indiano, o feito afirma o seu país como uma “potência espacial” global.

A operação, batizada de Mission Shakti (“força” em hindi), foi levada a cabo por uma agência de investigação militar indiana, a DRDO, que lançou o míssil anti-satélite a partir de uma ilha próxima ao estado de Odisha, a leste do país, noticia a agência Reuters.

“Os nossos cientistas destruíram um satélite de órbita baixa a uma distância de 300 quilómetros”, declarou o líder do Executivo indiano, Narendra Modi.

No seu primeiro discurso exibido na televisão desde 2016, o governante dirigiu-se à nação, declarando o sucesso da missão, dando conta que esta é uma “conquista sem precedentes”, que coloca o seu país como uma “potência espacial”. O anúncio e a missão ocorreram a apenas duas semanas das eleições legislativas neste país do sul da Ásia.

Com esta operação, que durou três minutos, a Índia juntou-se aos Estados Unidos, à China e à Rússia na lista dos poucos países do mundo capazes de destruir um satélite com um míssil. Apesar do feito, o líder do Executivo indiano garante que a nação por si governada não tem como objetivo criar uma atmosfera de guerra.

“O nosso objetivo é estabelecer a paz e não criar uma atmosfera de guerra. [Esta operação] não está direcionado contra nenhum país”, completou Modi no discurso, que não foi anunciado com antecedência. “É um momento de orgulho para a Índia”, frisando qe o país une-se assim às “super-potências do espaço”. Antes da Índia, a China tinha sido o último país a executar uma operação deste tipo, em 2007.

Apesar de o satélite destruído ser propriedade de Índia, toda a missão comporta questões polémicas, envolvendo preocupações políticas, militares e científicas.

No que respeita ao Espaço, a  destruição de satélites com míssil tem o inconveniente de projetar milhares de fragmentos em grande velocidade na órbita terrestre, representando um perigo para outros objetos espaciais, apontam os especialistas.

Contudo, o ministério das Relações Exteriores descartou este problema: “O exercício aconteceu numa atmosfera baixa para assegurar que não houvesse detritos espaciais. Quaisquer que sejam os resíduos gerados, desintegrar-se-ão e devem cair na Terra em algumas semanas”, afirmou o órgão do Governo.

Tal como observa a agência AFP, a militarização do Espaço é outro assunto que preocupa muitos especialistas, uma vez que os satélites são fundamentais para as telecomunicações, ajudando também a acompanhar eventos meteorológicos e a fornecer informações de cariz militar. Esta preocupação foi também rebatida pelo Governo indiano.

“A Índia não tem nenhuma intenção de entrar na corrida de armamento espacial”. “Sempre declarámos que o Espaço deve ser utilizado apenas com fins pacíficos”.

Tal como recorda a CNN, o programa espacial da Índia têm crescido substancialmente na última década. Em 2014, o país pôs um satélite em órbita em torno de Marte e a agência espacial indiana anunciou entretanto que irá enviar uma missão tripulada ao espaço nos próximos três anos, observa a emissora norte-americana.

De acordo com a Popular Mechanics, que frisa o fator surpresa da missão, a Índia conduziu nesta missão um teste à sua nova arma espacial. O mesmo portal destaca que, até então, o país não tinha demonstrado publicamente a intenção de desenvolver e/ou testar um sistema de armas anti-satélite. Este foi um “teste surpresa”, pode ler-se.

Provocação para a China e o Paquistão?

Apesar de o Governo ter reiterado que o teste se destina à defesa e segurança da Índia, a missão poderá ser vista pelo Paquistão e pela China como uma provocação.

É conhecida a escalada de tensão entre a Índia e o Paquistão, que disputam a região de Caxemira. Recentemente, os países “trocaram” ataques aéreos e acusações. A Índia ameaçou ainda cortar cursos de água que fluem para o Paquistão.

Importa ainda frisar que o Paquistão tem vários satélites em órbita, entres os quais está um que foi lançado o ano passado com a ajuda da China.

Prova da tensão entre estes países está a rápida reação do Paquistão ao feito “sem precedentes” da Índia. Em comunicado citado pela CNN,  um porta-voz do Ministério paquistanês das Relações Exteriores afirmou que “gabar-se de tais capacidades lembra a inclinação de Dom Quixote contra os moinhos de vento”, sugerindo que as autoridades indianas estariam a combater inimigos imaginários.

“O espaço é património comum da humanidade e cada país tem a responsabilidade de evitar ações que possam levar à militarização desta arena”, refere a mesma nota.

As armas anti-satélite, como o míssil que a Índia testou esta semana, são capazes de atacar satélites inimigos, bloqueando-lhes as comunicações ou destruindo-os. O armamento também pode fornecer uma base tecnológica para o desenvolvimento de capacidades de defesa de mísseis balísticos.

O anúncio do Governo ocorreu no momento em que o primeiro-ministro aspira obter um segundo mandato de cinco anos nas eleições que arrancam a 11 de abril. 900 milhões de eleitores serão chamado às urnas, num ambiente de descontentamento crescente devido ao desemprego e à queda de salários entre os trabalhadores rurais e agricultores. Os resultados serão anunciados a 23 de maio.

Muitos políticos indianos celebraram o avanço tecnológico e felicitaram as agências governamentais, ao passo que os rivais de Modi acusaram o político de ter utilizado o momento como propaganda eleitoral.

SA, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O povo morre à fome e o governo “estoura” dinheiro em armamento…
    O mundo é um lugar muito perigoso. Só tem gente doida.

    • é verdade. lamentavelmente, angustia tanta forma ridícula de agir. é tão mau mas mesmo tão mau que deixa tristeza no ar. mas é em todo o planeta a mesma história, os egos e as lutas, a exteriorização do vazio interior.

  2. A mania das pessoas dizerem, “isto é meu”, “património da humanidade”, até existe um tipo americano que diz que é dono da lua…que pensamento miserável. O planeta terra não pertence ao Trump, não pertence à Rainha de Inglaterra, não pertence a ninguém! E claro está que o espaço também não pertence à humanidade, não é pertença de ninguém, e assim deve continuar!

RESPONDER

O maior avião do mundo vai ser uma plataforma de lançamento para veículos hipersónicos

A empresa que criou o maior avião do mundo, que apenas voou uma vez, encontrou uma nova funcionalidade para a aeronave: será usado como plataforma de lançamento para veículos hipersónicos, o que poderá revolucionar a …

Sondas da missão a Mercúrio vão passar pela Terra (e vão ser visíveis a olho nu)

A missão conjunta europeia e japonesa BepiColombo está a caminho de Mercúrio. Porém, para chegar lá, terá de passar novamente pela Terra. Este evento acontecerá em 10 de abril e as pessoas nas latitudes do sul …

Xiaomi lança máscara elétrica que carrega via USB

A pandemia de Covid-19 tem impulsionado o surgimento de alguns recursos melhorados para fazer face ao combate do novo coronavírus. É o caso da nova máscara de esterilização elétrica da Xiaomi, que carrega via USB. A …

Em paradeiro incerto, ministra da Guiné-Bissau diz correr perigo de vida

Ruth Monteiro, ministra da Justiça e dos Negócios Estrangeiros no Governo da Guiné-Bissau deposto no golpe do dia 27 de fevereiro, está em parte incerta e diz correr perigo de vida. De acordo com o semanário …

Ovelhas e bactérias estão a ajudar a combater o coronavírus

Anticorpos que podem ajudar a combater o SARS-CoV-2, o vírus que causa a covid-19, estão a ser testados em ovelhas. Estes podem ser usados para desenvolver testes de diagnóstico. O SARS-CoV-2, o vírus que causa a …

Marcelo sai uma vez por semana, usa máscara e luvas nas compras (e passa a Páscoa em Belém)

O Presidente da República afirmou este sábado que, para se proteger do surto de covid-19, só sai em trabalho uma vez semana, usa máscara nas compras e vai passar a Páscoa confinado no Palácio de …

A procura por sumo de laranja está a disparar (e a culpa é do coronavírus)

A procura por sumo de laranja tem disparado nos últimos tempos, muito devido à pandemia de covid-19. As pessoas querem reforçar o seu sistema imunitário. Já quase ninguém está indiferente à ameaça da pandemia de covid-19, …

Nove pessoas com covid-19 curadas após receberem plasma de doentes recuperados

Pelo menos nove pessoas internadas nos cuidados intensivos em Itália com covid-19 já foram curadas, depois de receberem plasma de pacientes recuperados. De acordo com o jornal italiano Corriere della Sera, os doentes receberam o plasma …

Grace tem seis anos e pode ser a autora mais nova de sempre de um artigo científico

Uma menina de seis anos, que vive na Austrália, pode ser a autora mais nova de sempre a ter um artigo científico publicado numa revista da especialidade. Grace Fulton tem uma enorme paixão por animais e, …

Geco encheu Lisboa com autocolantes (e a polícia de Roma está a pedir ajuda para o encontrar)

A polícia de Roma está a pedir ajuda à Associação Vizinhos de Lisboa para encontrar o graffiter Geco, cujas pinturas e autocolantes se podem ver por toda a capital portuguesa, e que está em investigação …