M3DIMAKER, a primeira impressora 3D que fabrica medicamentos personalizados

A M3DIMAKER é uma impressora 3D especialmente desenvolvida para desenvolver comprimidos personalizados em apenas alguns minutos.

A FabRx Ltd, uma empresa de biotecnologia farmacêutica da University College of London (UCL) pioneira em impressão 3D de produtos farmacêuticos, lançou recentemente a primeira impressora 3D que fabrica medicamentos personalizados em apenas alguns minutos.

Atualmente, os medicamentos são produzidos através de métodos de fabricação em massa que criam formas de dosagem com características idênticas. Estas práticas podem levar a doses inadequadas, resultando em efeitos colaterais indesejáveis ​​ou, pelo contrário, na falta de eficácia do tratamento em muitas populações de pacientes – nomeadamente crianças e idosos, que muitas vezes não conseguem engolir os medicamentos.

No caso especial da pediatria, os comprimidos são frequentemente divididos ou triturados para atender aos requisitos de dosagem para crianças, o que pode levar a erros de imprecisão e, ocasionalmente, ao uso incorreto de certos fármacos.

Apesar de haver uma necessidade clara de formulações farmacêuticas adequadas à idade, as técnicas convencionais de fabricação não fizeram, até ao momento, progressos significativos na criação de medicamentos personalizados.

No caso desta impressora farmacêutica, a confiabilidade da fabricação é assegurada pelo controlo de acesso por impressões digitais, que permite que só o pessoal qualificado possa utilizar este equipamento.

A impressora 3D é também equipada com procedimentos avançados de controlo de qualidade e todo o processo de impressão é filmado por uma câmara, de modo a assegurar o devido acompanhamento e detetar falhas durante a fabricação. Possui ainda um sistema de bicos alternados de impressão que permitem adaptar o sistema aos aos requisitos específicos do farmacêutico.

De acordo com a Manufactur 3D, este equipamento tem um grande número de aplicações no setor da produção de fármacos, desde a preparação de pequenos lotes para estudos clínicos e pré-clínicos até produtos farmacêuticos totalmente personalizados.

Dependendo do medicamento em causa, a preparação de um fármaco para um mês (28 cápsulas, por exemplo) pode ser realizada em, aproximadamente, oito minutos – o que revoluciona por completo a linha de tempo da fabricação de medicamentos.

Com a evolução das dosagens personalizadas, graças à tecnologia de impressão 3D, o fármaco pode, agora, ser completamente personalizado e adaptado para atender as necessidade de qualquer paciente.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Harry Potter. HBO Max trabalha em possível série de televisão

A saga Harry Potter pode estar a caminho da televisão. Segundo o The Hollywood Reporter (THR), o projeto ainda está em fase inicial, mas os diretores executivos da HBO Max já estão em reuniões com …

Intrigante sistema de seis exoplanetas com movimentos rítmicos desafia teorias de formação planetária

Com o auxílio de vários telescópios, incluindo o VLT (Very Large Telescope) do Observatório Europeu do Sul (ESO), os astrónomos descobriram um sistema com seis exoplanetas, cinco dos quais estão presos numa dança rítmica rara …

Boavista 0-2 Sporting | Leões garantem dérbi confortável

O Sporting cumpriu a sua “obrigação” e foi vencer por 2-0 a casa do Boavista, numa 15ª jornada fundamental, uma vez que na próxima segunda-feira a formação de Alvalade recebe o Benfica, no grande dérbi …

Violino põe em risco compromisso da Alemanha de devolver objetos saqueados pelos nazis

Um violino com 300 anos está no centro de uma disputa que ameaça minar o compromisso da Alemanha em devolver objetos saqueados pelos nazis. Ninguém sabe por que Felix Hildesheimer, um negociante de instrumentos musicais judeu, …

Consumo de álcool aumentou durante a pandemia de covid-19

Embora o consumo de álcool tenha aumentado mais entre os jovens, os adultos mais velhos, sobretudo os que sofrem de ansiedade e depressão, também revelaram estar dentro desta tendência. “O aumento do consumo de álcool, especialmente …

Alphabet diz adeus ao Loon, projeto que queria espalhar Internet através de balões

O projeto da Alphabet que tinha como objetivo levar Internet às partes mais remotas do mundo "perdeu o fôlego" e os seus responsáveis decidiram pôr-lhe um ponto final. Num comunicado divulgado na última sexta-feira, Alastair Westgarth, …

Estudo identifica cidades europeias com maior mortalidade devido à poluição do ar

Madrid, Antuérpia e Torino (em Espanha, Bélgica e Itália, respetivamente) lideram o ranking de mortes associadas à poluição por dióxido de azoto (NO2). Já a maior mortalidade atribuível a partículas finas é encontrada em cidades …

Fim do Flash Player colapsou sistema de estação ferroviária chinesa

O sistema ferroviário na cidade de Dalian, no nordeste da China, ficou paralisado por causa da desativação do programa Flash Player da Adobe. A Adobe encerrou o suporte técnico do seu player de multimédia Flash Player …

Eis o que o mundo pode aprender com o confinamento da China

O confinamento na China tem apresentado resultados excecionais no controlo da pandemia, à custa da perda de liberdade das pessoas. Ainda assim, há muito que se pode aprender com o exemplo chinês. Colocar o autoritarismo contra …

Descoberto fármaco "100 vezes mais potente" contra a covid-19 (e "nasceu" das seringas-do-mar)

Uma equipa internacional de investigadores descobriu um medicamento antiviral que é "100 vezes mais potente" do que o remdesivir no tratamento da covid-19. Trata-se de um fármaco usado para tratar um cancro sanguíneo, que só foi …