Houve diálogo entre PS e PCP, resta saber se o mesmo acontece com Passos

Manuel de Almeida / Lusa

-

O secretário-geral do PCP reafirmou esta quarta-feira ao seu homólogo socialista a disponibilidade para viabilizar um elenco governativo do PS e impedir novo executivo da coligação PSD/CDS-PP, após uma reunião na sede comunista.

“O PS terá de escolher entre associar-se à viabilização e apoio a um Governo PSD/CDS ou tomar a iniciativa de formar um Governo que tem garantidas as condições para formação e entrada em funções”, analisou Jerónimo de Sousa, ladeado por Francisco Lopes, Jorge Cordeiro e João Oliveira, no final da reunião com António Costa, que durou uma hora e um quarto.

O líder comunista destacou a convergência com o PS na rejeição de um novo Governo PSD/CDS-PP, mas esclareceu que a reunião, apesar de “produtiva”, não serviu para discutir eventuais composições de um futuro executivo de esquerda, mas antes da “resposta aos anseios e necessidades dos trabalhadores, do povo e do país”.

Depois da declaração de António Costa, que foi acompanhado por Carlos César, Ana Catarina Mendes, Pedro Nuno Santos e Mário Centeno, o líder comunista reafirmou, contudo, a prontidão e preparação do PCP “para assumir todas as responsabilidades, incluindo governativas”.

“Estando PSD e CDS em minoria e havendo uma maioria que pode viabilizar outras soluções de Governo, seria incompreensível que se desperdiçasse essa oportunidade. A questão coloca-se no plano do relacionamento interpartidário, podendo abrir para uma composição que traduza uma convergência política mais abrangente”, afirmou o secretário-geral do PCP.

Segundo o dirigente comunista, “o programa do PS”, afinal, “corresponde a uma aspiração de rutura com a política de direita” e, entretanto, “no quadro constitucional e na correlação de forças existente na Assembleia da República, nada impede o PS de formar Governo, apresentar o seu programa e entrar em funções”.

“Mesmo num quadro em que o PS insista no seu programa e que não seja fácil encontrar uma convergência sobre um programa de Governo nem assim se pode concluir que a solução seja um Governo PSD/CDS”, assegurou, prometendo que os deputados do PCP recusarão qualquer executivo da PàF e contribuirão para “derrotar qualquer iniciativa que vise impedir outra solução”.

Para Jerónimo de Sousa, “resolvido problema institucional e de Governo”, há que “fazer um caminho”, uma vez que os comunistas não irão abdicar de várias questões de princípio, como a renegociação da dívida ou o estudo da saída da moeda única, entre outras.

Do outro lado da mesa, o líder socialista disse que houve uma “reunião franca” e um “diálogo sério” entre o PS e o PCP, abrindo oportunidade para os dois partidos continuarem a falar nos próximos dias, diz o Diário de Notícias.

Costa reiterou que o principal objetivo destas reuniões é estudar “alternativas de política”, e não uma fusão entre os dois partidos, para satisfazer “a vontade dos cidadãos”, ou seja, referindo-se à maioria de esquerda na Assembleia.

Próxima reunião é com Passos

Depois do PCP, António Costa segue na sexta-feira para uma reunião com Passos Coelho, já que o primeiro-ministro quer chegar a um entendimento para os próximos quatro anos, principalmente no que toca ao Orçamento de Estado para 2016.

Fonte da direção social-democrata disse ao DN que existem vários pontos em comum que podem fazê-los chegar a um entendimento, mas que também existem temas que serão mais difíceis de negociar.

O dirigente acredita que “é nas questões orçamentais e na Segurança Social, assunto que continuamos a querer discutir com o PS, que haverá as mais difíceis negociações, no resto acreditamos que o entendimento será fácil”.

Passos Coelho piscou o olho ao PS porque, ao contrário dos outros partidos, é “conhecida a sua vinculação à pertença de Portugal à UE e à zona euro“. Graças a isto, o líder acredita ser possível “colocar de lado as diferenças mais significativas”.

Como um sinal de abertura da direita, a mesma fonte diz ao jornal que o PSD pode fazer algumas cedências, nomeadamente como o cargo para a presidência do Parlamento. Ferro Rodrigues e Helena Roseta são dois dos nomes que a direita pode chegar a considerar.

António Costa tinha ainda uma reunião marcada com o Bloco de Esquerda para a manhã desta quinta-feira que, entretanto, foi adiada.

A pedido do partido coordenado por Catarina Martins para “permitir uma melhor preparação técnica” e “compatibilizar a presença de todos os elementos da delegação”, a reunião fica agora marcada para a próxima segunda-feira, pelas 11h00, na sede do Bloco, em Lisboa.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Governo pondera criar nova contribuição sobre a banca para financiar Segurança Social

O Governo de António Costa está a estudar a criação de uma contribuição adicional de solideriedade sobre o setor bancário para ajudar a financiar a Segurança Social e fazer face aos custos de resposta à …

Arqueólogos encontram rara ferramenta de caça com 300 mil anos

Arqueólogos encontraram uma ferramenta de madeira utilizada na caça há 300 mil anos. É muito raro encontrar artefactos paleolíticos feitos de madeira, realça o autor do estudo. Uma equipa de investigadores da Universidade de Tübingen e …

Twitter não descarta suspender conta de Donald Trump

Um alto responsável da plataforma digital Twitter não excluiu a suspensão da conta da Donald Trump caso o Presidente norte-americano prossiga a publicação de mensagens incendiárias que transgridam as regras daquela rede social. Com 81,7 milhões …

Patrões agradados com o plano do Governo. PSD diz que "é muito fraco"

Enquanto patrões e sindicalistas ficaram bastante satisfeitos com o Programa de Estabilização Económica e Social apresentado pelo Governo, o PSD deixou duras críticas. Esta quinta-feira, no final do Conselho de Ministros, onde foi aprovado o plano …

Na resposta a uma crise, ligações humanas podem piorar ainda mais as coisas

Um novo estudo sugere que a conexão humana nem sempre é uma coisa boa, sobretudo quando se trata de ultrapassar uma crise com sucesso. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 2480 voluntários …

Brasil ultrapassa Itália e torna-se no terceiro país com mais mortes

O país sul-americano, que tem uma população estimada em 210 milhões de habitantes, contabiliza 34.021 vítimas mortais e 614.941 casos confirmados. O Brasil ultrapassou a Itália e tornou-se no terceiro país do mundo com mais mortes …

PCP é o primeiro partido a retomar comícios ao ar livre

O PCP foi o último partido a fazer um comício, em março, antes de o país "parar" devido à pandemia de covid-19 e vai ser o primeiro a organizar uma iniciativa deste tipo, no domingo, …

Asteróide que matou os dinossauros criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que Yellowstone

O asteróide que dizimou os dinossauros da face da Terra criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que a caldeira do supervulcão Yellowstone, localizado nos Estados Unidos, conclui um novo estudo agora divulgado. De acordo …

Encontrar uma agulha num palheiro cósmico. Astrónomos resolvem mistério do primeiro Anel de Einstein

Determinados a encontrar uma agulha num palheiro cósmico, um par de astrónomos viajou no tempo através dos arquivos de dados antigos do Observatório W. M. Keck em Mauankea e do Observatório de Raios-X Chandra da …

As pequenas (e estranhas) estrelas quentes são atormentadas por manchas gigantes e explosões

Há uma classe de estrelas que perplexa os cientistas há seis décadas, conhecidas como estrelas de ramos horizontais extremos (EHB). Apesar de terem metade da massa do Sol, são quatro a cinco vezes mais quentes …