Derrapagem nas obras do Hospital Militar. Cravinho insiste em não revelar relatório (e ignora parecer)

Rodrigo Antunes / Lusa

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho

As obras de adaptação do antigo Hospital Militar de Belém, em Lisboa, ascenderam aos 3,2 milhões de euros, sendo que a previsão inicial era de 750 mil.

O Ministério da Defesa Nacional mantém a posição de não revelar o relatório da auditoria interna à derrapagem nas obras no antigo Hospital Militar de Belém, em Lisboa, avança, esta quarta-feira, o Expresso.

Em resposta a um parecer emitido pela Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos (CADA), que deu razão a uma queixa do Expresso, o gabinete de João Gomes Cravinho faz saber que “apenas poderá ser facultado acesso ao relatório da IGDN [Inspeção-Geral da Defesa Nacional] quando, e se, o mesmo for desclassificado“.

A tutela lembra também que o documento foi classificado como ‘confidencial’ pela IGDN.

Tomando “boa nota do parecer da CADA e das suas recomendações”, o Ministério da Defesa invoca, sem os explicitar, “procedimentos atualmente em curso relativos à salvaguarda da segurança no manuseamento do relatório da IGDN”.

“Caso se venha a verificar a desclassificação do referido relatório, o mesmo será disponibilizado nos termos em que foi solicitado”, remata.

Ora, segundo o parecer da CADA, em matéria de contratação pública, “rege o princípio da transparência, essencial para o escrutínio das decisões tomadas no procedimento e na execução do contrato, até porque está em causa a utilização de dinheiros públicos, o que implica um maior controlo e sindicância da atividade administrativa”.

O relatório de 43 páginas, a que a TSF teve acesso, conclui que “os atos e procedimentos administrativos e financeiros auditados denotam inconformidades legais”, à cabeça com a “falta de evidência do pedido expresso à tutela para autorizar a despesa (…) e consequente ausência de competência por parte do diretor-geral da DGRDN para autorizar a despesa, escolher as entidades a convidar, aprovar as peças do procedimento e decidir a adjudicação”.

O documento acrescenta ainda que há uma “ausência do projeto de execução e da aprovação das peças do procedimento nos contratos” e o “objeto contratual das empreitadas foi defeituosamente definido”.

Além disso, foi contratada uma outra empresa de serviços para fiscalizar a obra, “sem convite ou caderno de encargos”, e que se veio a provar que aquilo que fez foi apresentar “uma vasta reportagem fotográfica e um texto geral pouco cuidado”, tendo por isso recebido 67.500 euros.

Também esta quarta-feira, o Diário de Notícias noticiou que o ministro João Gomes Cravinho nomeou Alberto Coelho, ex-diretor-geral de Recursos da Defesa Nacional (DGRDN), para presidente do Conselho de Administração da ETI (EMPORDEF – Tecnologias de Informação, S.A), uma empresa detida pelo Estado.

Alberto Coelho é o ex-diretor-geral do ministério a quem a auditoria interna atribuiu responsabilidades na derrapagem nas obras de reabilitação do antigo Hospital Militar.

  ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Domingo invulgar: 17 grandes jogos para ver, em poucas horas

A ementa começa em França, ao meio-dia, e acaba no Chile, já depois das oito da noite. Não estamos perto do Carnaval mas vem aí um "domingo gordo" no futebol. Vários jogos grandes, uns mais mediáticos …

Sporting 1-0 Moreirense | Capitão Coates embala leão

O Sporting igualou hoje o FC Porto na liderança provisória da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Moreirense, por 1-0, em jogo da nona jornada. O capitão Sebastián Coates marcou, aos …

Relatório médico indica que jovem chinês morreu após beber uma garrafa de Coca-Cola em dez minutos

Um homem chinês morreu depois de beber uma garrafa de 1,5 litros de Coca-Cola em dez minutos, informaram os médicos num relatório. O jovem de 22 anos, que não tinha doenças subjacentes, dirigiu às urgências do …

Universidade no Reino Unido tem arquivo de "casas assombradas"

A Universidade de Sheffield, no Reino Unido, tem um arquivo aberto ao público com quase 80 mil fotografias de "casas assombradas" de várias feiras populares. Para muitos, o medo é parte integrante da experiência de uma …

J&J acusada de usar manobra para impedir processos judiciais relativos à venda de pó de talco com propriedades cancerígenas

A Johnson & Johnson está a ser criticada por usar uma manobra para impedir cerca de 38 mil processos judiciais que alegam que o famoso baby powder da marca causa cancro. De acordo com a NPR, …

Tondela 1-3 FC Porto | Hat-trick de Taremi castiga insolência beirã

O iraniano Mehdi Taremi foi a grande figura da vitória do FC Porto em casa do Tondela, por 3-1. Os homens da casa marcaram primeiro, mas cedo se viram reduzidos a dez elementos e tiveram …

Chamam-lhe "Lady Trump". A candidata a governadora do Nevada que está a gerar polémica

Conhecida como "Lady Trump", Michele Fiore anunciou a sua candidatura a governadora do estado do Nevada em estilo, gerando polémica nos Estados Unidos. Michele Fiore, vereadora de Las Vegas, anunciou esta terça-feira a sua candidatura a …

Benfica abre inquérito a envolvimento de colaboradores em negócio de ações da SAD

O Benfica abriu um inquérito interno para averiguar o possível envolvimento de dois colaboradores num eventual negócio de transação de ações da SAD ‘encarnada’, informou hoje o clube, em comunicado. “Tendo em conta as recentes notícias …

Um hipopótamo na água

Tribunal norte-americano reconhece hipopótamos de Pablo Escobar como pessoas jurídicas

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do legado deixado na Colômbia por Pablo Escobar, recebeu o estatuto de "pessoas jurídicas". Um tribunal federal dos Estados Unidos defendeu que os descendentes dos hipopótamos do barão da …

Mais rapidez e menos ruído. E-bikes permitem que militares em ação passem despercebidos

Os soldados do Regimento de Cavalaria da Infantaria Montada de Queensland, na Austrália, estão a testar e-bikes para perceber se o veículo poderá ser uma opção válida para operações no terreno. Passar despercebido no terreno é …