Hospitais só vão receber um terço dos reforços que precisam

Marcello Casal Jr. / ABr

A dois dias da entrada em vigor das 35 horas semanais, as Finanças autorizaram o reforço de dois mil profissionais de saúde, mas não serão suficientes para colmatar a redução do horário de trabalho.

O Ministério das Finanças já autorizou os hospitais a contratar os cerca de dois mil profissionais de saúde para assegurar a passagem às 35 horas semanais, a partir deste domingo. No entanto, este valor representa apenas um terço das necessidades, deixando ainda em falta quatro mil profissionais.

Alexandre Lourenço, presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares (APAH), diz que os dois mil funcionários não serão suficientes e aponta a necessidade de cerca de seis mil profissionais para fazer face à entrada em vigor das 35 horas semanais, um horário que se traduz num decréscimo de 12,5% da força de trabalho.

“Os contratos que vão ser feitos são a termo de seis meses com possibilidade de renovação. É um ajuste temporário, não resolve o problema. É um contra-senso que o Ministério das Finanças, que devia acabar com a precariedade, permita esta estratégia para necessidades permanentes”, afirma.

Ao Público, a secretária de Estado da Saúde afirma que “o planeamento dos recursos humanos tem sido feito de forma regular e atempada” e que, desde o início de 2018, a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) tem-se reunido regularmente com as unidades de saúde, “encontrando-se este processo em fase de conclusão”.

Mas, o facto de este processo ainda não estar terminado, é um ponto que merece as críticas dos enfermeiros, que estiveram em greve esta quinta-feira.

A secretária de Estado da Saúde não esclareceu como serão realizadas as novas contratações. Em vez disso, explicou apenas que os profissionais serão distribuídos pelas unidades de saúde “tendo em conta a proporção de número de trabalhadores que transitarão para as 35 horas semanais e também as medidas de reorganização que cada entidade está a preparar”.

Ainda assim, domingo “vai ser o caos total”, frisa o presidente do Sindicato Independente dos Técnicos Auxiliares de Saúde, sublinhando que “contratar a prazo é resolver o problema a prazo”.

Muitos dos profissionais já fazem horas extraordinárias, sem que as consigam gozar. “Para as escalas de Julho quase 100% dos auxiliares estão a ser convidados – e uso esta palavra de forma irónica – a fazer mais uma hora extra por dia.” Se em Agosto não houver reforço, Paulo de Carvalho admite convocar greve às horas extra.

O sindicalista sublinha ainda que o período de férias está a aproximar-se a passos largos o que agrava a pressão sobre os recursos humanos, dado que os novos profissionais precisam de um mês para se integrar.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mais seis mortes e 232 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, nesta segunda-feira, mais seis mortes por covid-19 e mais 232 novos casos, dos quais 195 na região de Lisboa e Vale do Tejo. O boletim epidemiológico desta segunda-feira, divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), …

Quebras no turismo triplicam desemprego no Algarve

O desemprego no Algarve aumentou mais de 200% em maio para quase 28 mil desempregados, atingindo sobretudo o setor da hotelaria, que desespera pela chegada de turistas para atenuar o "golpe" de quase três meses …

Marques Mendes elogia "voz independente" de Medina (e diz que a TAP pode ser um crematório político)

Luís Marques Mendes elogiou neste domingo as críticas que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, fez ao combate à pandemia, considerando ainda que a resolução da TAP, que culminou na saída de David …

O “Grenadier” já não vai ser português. Fabricante automóvel Ineos desiste de fábrica em Estarreja

A INEOS Automotive, empresa do ramo automóvel, transmitiu à Câmara de Estarreja que vai suspender o investimento de 300 milhões de euros numa fábrica no concelho, revelou este domingo fonte municipal. "A empresa transmitiu à Câmara …

Grécia e Austrália recuam na abertura de fronteiras. Marrocos isola cidade após recorde de casos

Grécia e Austrália anunciaram neste fim-de-semana um recuo na abertura das suas fronteiras, enquanto que Marrocos isolou uma cidade após um número recorde de novas infeções de covid-19 registadas em 24 horas. A Grécia anunciou …

Dinheiro dos pobres usado para "vida de luxo". Presidente, mulher e filha da Mão Amiga acusados

O presidente da Associação Mão Amiga, em Gulpilhares, Vila Nova de Gaia, a mulher e a filha foram acusados pelo Ministério Público (MP) de usarem o dinheiro da instituição para pagarem uma "vida de luxo". …

Fisco tem por cobrar 15 mil milhões de euros em impostos

O Jornal Económico escreve esta segunda-feira que a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) tem por cobrar 14.919 milhões de euros em impostos. De acordo com o diário de economia, mais de metade da dívida dos contribuintes está …

"Armada espanhola" assegura 70% do mercado das obras públicas em Portugal

As empresas espanholas estão a assegurar 70% do mercado das obras públicas em Portugal, escreve esta segunda-feira o jornal Público, citando uma análise ao Portal Base, às obras públicas acima de sete milhões de euros No …

"Oitavos" da Liga dos Campeões não vão ser jogados em Portugal

A UEFA cedeu à pressão dos clubes e decidiu que os encontros da segunda mão dos oitavos-de-final vão ser disputadas nos respetivos estádios dos clubes. Os encontros por jogar relativos aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões …

Turmas repartidas e aulas ao sábado. O que muda no novo normal do Ensino Superior

Para o regresso às aulas do Ensino Superior no próximo ano letivo, as universidades estão a preparar medidas que permitam cumprir as regras sanitárias e zelar pela aprendizagem dos seus alunos. Se tudo correr como planeado, …