Suspeito do homicídio de Bruno Candé nega ter agido impulsionado por racismo

Bruno Candé Marques / Facebook

O ator Bruno Candé Marques, morto a tiro em Moscavide, Loures

Evaristo Marinho disparou vários insultos racistas contra Bruno Candé: “Vai para a tua terra, preto, tens a família toda na sanzala e também devias lá estar”, foi um deles. Três dias depois acabou por matá-lo, mas agora diz que não foi impulsionado pelo racismo.

Os dois homens desentenderam-se porque, de acordo a acusação do Ministério Público,  a cadela de Bruno, ladrou a Evaristo, que a enxotou com a bengala. Por causa disso, Bruno Candé e Evaristo Marinho envolveram-se numa acesa discussão e o idoso tentou-o agredir com a bengala desviou-se, empurrou-o e referiu que não lhe batia “porque” era “velho”.

A discussão ocorreu em julho de 2020, e foi presenciada por várias testemunhas, que não só ouviram e relataram a discussão às autoridades como separaram os dois homens quando o confronto se tornou físico.

Evaristo, um auxiliar de ação médica então com 76 anos, garantiu à testemunha que o agarrou: “Eu vou matá-lo”. Desde aí, demorou três dias a cumprir a promessa.

Quando foi interrogado, apesar de assumir a autoria do homicídio e de ter “relatado os factos”, Evaristo Marinho negou qualquer motivação racista na morte de Bruno Candé, atribuindo-a ao desentendimento que ambos tiveram.

A tese que vai ser defendida pela defesa do homicida é que na altura do homicídio, os desentendimentos entre os dois homens e os insultos racistas de Evaristo a Bruno já vinham de trás. E sempre por causa da cadela da vítima.

Segundo a acusação, três dias depois da discussão, Evaristo Marinho viu Bruno Candé no mesmo banco onde o ator estava sempre “a ouvir música”, “tirou a arma do coldre” e, “de forma súbita”, disparou contra Bruno, que caiu de imediato no chão. Depois, aproximou-se e disparou mais quatro tiros à queima-roupa que atingiram a vítima no tronco e no abdómen, “provocando-lhe a morte”.

O crime de Evaristo Marinho foi cometido em plena luz do dia e foi testemunhado por várias pessoas, que o agarraram quando tentou fugir e chamaram a polícia para o prender.

Atualmente, está em prisão preventiva numa cela do Estabelecimento Prisional de Lisboa e ainda esta semana um juiz de instrução criminal confirmou que irá continuar preso até ao julgamento, dada a “gravidade e natureza do crime” e o “alarme social” que a sua libertação provocaria.

De acordo com o depoimento de vários vizinhos ouvidos pelo jornal Expresso na altura do crime, o auxiliar de ação médica, que serviu no Exército durante a Guerra do Ultramar, era “muito quezilento”, “nevrótico” e “impulsivo”, o que deu origem a alguns episódios tensos com a vizinhança.

Tal como Evaristo Marinho, também a polícia negou que este fosse um crime racista, mas a procuradora Alexandra Nunes acusa-o de ter agido não só “por razões vãs”, por “estar desagradado com a discussão”.

ZAP ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Aproveitamento politico ,interessa a muita gente e associaçoes,fundaçoes,partidos etc ,transformar estes tristes Incidentes em Crimes racistas

RESPONDER

Paços de Ferreira 0-5 Benfica | Seferovic “parte tudo” na Capital do Móvel

Na noite deste sábado, o Benfica somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato, ao golear o Paços de Ferreira por 5-0, num embate relativo à 26.ª jornada do campeonato. A equipa de Jorge Jesus, que acabou …

Após terramotos e deslizamentos, a "cidade moribunda" de Itália ainda resiste no topo de uma montanha

Chamar-se a si mesmo de "Cidade Moribunda" pode não parecer a melhor forma de atrair turistas, mas Civita, em Itália, aprendeu a viver com o facto de estar a morrer. Há vários séculos, a cidade …

"Alexa, estou com calor." Já é possível controlar o ar condicionado de um Lamborghini apenas com a voz

A Amazon está a dar um grande passo na indústria automóvel ao integrar a Alexa no Huracán EVO da Lamborghini, não apenas para fazer perguntas, mas dando ao assistente virtual a capacidade de controlar as …

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea. A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais …

Livro lança "caça ao tesouro" a urna de ouro oferecida por Inglaterra a França antes da Entente Cordiale

Um novo enigma literário está prestes a chegar às estantes de livros com uma recompensa incomum. Pistas em "The Golden Treasure of the Entente Cordiale" podem levar leitores no Reino Unido e França a um …

Para evitar casos de burnout, LinkedIn deu uma semana de férias aos quase 16 mil funcionários

O LinkedIn decidiu dar uma semana de férias (remunerada), que começou esta segunda-feira, a todos os seus funcionários espalhados pelo mundo. O objetivo? Desconectar, recarregar baterias e prevenir casos de burnout.  "Queríamos ter a certeza de …

Pequenos nadadores-robô curam-se a si próprios (e em movimento)

Uma equipa de investigadores da American Chemical Society desenvolveu pequenos robôs nadadores que conseguem curar-se a si mesmos magneticamente. O tecido vivo pode curar-se autonomamente de muitos ferimentos, mas fornecer habilidades semelhantes a sistemas artificiais, como …

Tondela 0-2 FC Porto | Missão cumprida com serviços mínimos

Missão cumprida. O FC Porto fez poupanças no jogo com o Tondela, mas levou os três pontos para casa, graças a um triunfo por 2-0. Os “dragões” foram claramente superiores no primeiro tempo, marcaram por Toni …

Portugal pode atingir linha vermelha dos 120 novos casos por 100 mil habitantes em dois meses

Portugal pode atingir uma taxa de incidência de de 120 casos por 100 mil habitantes daqui a dois ou mais meses se se mantiver o atual ritmo de crescimento deste indicador. Esta é a conclusão de …

Akon ainda não construiu a "Wakanda da vida real", mas o Uganda já lhe está a dar terrenos para a segunda

O artista de R&B Akon ainda não concretizou a sua visão ambiciosa de uma cidade “futurística” alimentada por uma criptomoeda chamada “Akoin” e construída num terreno que lhe foi dado pelo governo senegalês. Contudo, o …