“Se há sítio seguro, esse sítio é a escola”. Ministra refuta ideia de que escolas não está preparadas

António Pedro Santos / Lusa

A ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, rejeitou a “ideia de que as escolas não estão preparadas”, dizendo mesmo que “se há sítio seguro, esse sítio é a escola”.

Em entrevista à TVI esta segunda-feira, a ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, disse que “o mais importante é dizer a todos os portugueses que, desde julho, as escolas estão a trabalhar para receber as crianças e jovens” e considera que o Governo está a fazer “o esforço necessário e a estabelecer as regras necessárias”.

Mariana Viera da Silva frisou o “reforço significativo de assistentes operacionais, de professores e de técnicos” e refutou a “ideia de que as escolas não estão preparadas”.

“Se há sítio seguro, se há sítio que está a trabalhar para garantir todas as condições, esse sítio é a escola”, afirmou.

A ministra admitiu que “estamos a ver hoje uma evolução mais negativa da pandemia, pior do que estávamos há 15 dias”. Em relação às novas medidas de contingência, em vigor a partir desta terça-feira, a Mariana Viera da Silva salientou que o Governo tomou essa decisão “por saber que teríamos uma grande movimentação de pessoas”.

O plano de contingência serve “para podermos acomodar este regresso às escola de todos os jovens e crianças e o regresso ao trabalho de muitos que até agora estavam em teletrabalho. São as medidas “necessárias e nunca mais do que as necessárias”.

Questionada sobre os ajuntamentos em Fátima e na Festa do Avante!, Mariana Vieira da Silva disse que “o Governo não tem neste momento condições para limitar eventos políticos ou religiosos”.

Ministro destaca investimento em recursos humanos

O ministro da Educação assegurou esta segunda-feira em Abrantes que o sistema está preparado para dar “resposta célere para que não haja ausência de docentes e não docentes”, destacando o “enorme investimento em recursos humanos” para este ano letivo.

“Este ano, de forma considerável, pudemos fazer um enorme investimento em recursos humanos, são mais 3.300 professores que chegaram às nossas escolas para trabalhar nas coadjuvações e no apoio tutorial específico”, alargado este ano do 5º ao 12º anos de escolaridade, disse à agência Lusa Tiago Brandão Rodrigues, à margem de uma visita à Escola Secundária Dr. Solano de Abreu, em Abrantes (Santarém), e que marcou o início do ano letivo naquele estabelecimento de ensino.

Questionado sobre as afirmações da Federação Nacional de Professores (Fenprof), de que o ano letivo vai arrancar com falta de funcionários e docentes na maioria das escolas portuguesas, o governante, além do referido reforço de mais 3.300 professores, disse ainda que “chegaram às escolas cerca de 900 técnicos de intervenção”, para apoio ao “esforço de consolidação e recuperação de aprendizagens”, dando como exemplos psicólogos e terapeutas da fala.

António Cotrim / Lusa

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Brandão Rodrigues lembrou o “esforço considerável recente de reforço dos assistentes operacionais” e a “criação de uma bolsa de substituição que permite automaticamente substituir os assistentes técnicos e operacionais, cumprindo o verdadeiro efetivo de não docentes”, destacando ainda a importância da medida em ambiente pandémico.

Quanto às eventuais baixas de professores, o governante afirmou que “as reservas de recrutamento vão continuar a existir”, podendo os Agrupamentos de Escolas “semanalmente proceder a substituição, a pedido do diretor, dos profissionais que não estejam ao serviço” das escolas.

Brandão Rodrigues reiterou a aposta na transição digital educativa, tendo afirmado que ainda durante o primeiro período letivo “100 mil computadores chegarão às escolas”, a par da disponibilidade para “fazer chegar, de forma relevante, a todos os alunos, priorizando os de ação social escolar, mas também aos professores, com meios informáticos e de conectividade, necessariamente importante na eventualidade de não podermos ter aulas presenciais”.

Psicólogos defendem que escolas devem ter equipas

A Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) alerta para o eventual agravamento dos problemas educativos dos alunos e recomenda às escolas o reforço de equipas que estejam sempre disponíveis para ajudar os estudantes.

Mais de um milhão de alunos dos 1.º aos 12.º anos regressam esta semana às escolas e a OPP alerta que poderá haver um agravamento de situações como o insucesso ou abandono escolar. “As escolas devem reforçar as estruturas e recursos que dão resposta aos problemas educativos, de saúde psicológica e de inclusão mais frequentes”, defende a OPP, num documento sobre o regresso às aulas que realizou em conjunto com a UNICEF.

Entre os problemas, a OPP aponta os casos de absentismo, abandono escolar, problemas de aprendizagem, mas também dificuldades emocionais, relacionais, motivacionais e de ajustamento.

Depois de meio ano em casa, a OPP alerta ainda para eventuais dificuldades de atenção e concentração, assim como para problemas de comportamento e indisciplina, discriminação, exclusão social e estigma.

Por exemplo, os serviços de psicologia devem ter um local onde todos os alunos possam, espontaneamente, aparecer, sozinhos ou acompanhados, para falar com um adulto, refere o documento.

As escolas também devem estar atentas para os casos de alunos cujas famílias foram afetadas financeiramente pela pandemia sendo obrigados a uma rutura com o seu estilo de vida anterior, assim como a casos em que os alunos estiveram expostos a abuso e negligência.

A OPP sugere a criação de grupos de trabalho para planear e avaliar as políticas e práticas de saúde escolar, nomeadamente a saúde psicológica, e o reforço de programas ou projetos que apostem na proteção e inclusão de todos os alunos. No geral, as escolas devem recolher informação de forma regular e sistemática, que permita monitorizar a saúde psicológica de toda a população escolar.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ninguém sabe do paradeiro dos Evangelhos Garima, um dos maiores tesouros do mundo cristão

Depois de terem sobrevivido a 1.500 anos de história num mosteiro remoto, os Evangelhos Garima enfrentam agora a sua ameaça mais grave. Um dos maiores tesouros do mundo cristão, guardado durante mais de 1.500 anos no …

"Estou preocupado". Ex-piloto da Marinha dos EUA diz que via OVNIs "todos os dias"

Um antigo piloto da Marinha dos Estados Unidos diz que, durante anos, viu Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) "todos os dias". Depois de anos a ignorar a questão, uma task force do Pentágono prepara-se para revelar …

Peru está a investigar se a lixívia pode curar a covid-19

O congresso do Peru votou para investigar se beber ou injetar uma lixívia industrial poderia curar a covid-19. A moção foi aprovada com 49 votos a favor e 39 votos contra. Está a ser criado um …

Há vestígios de ouro nesta imagem de satélite

As operações de mineração num dos maiores depósitos de ouro da Rússia, em Aldan, incluem um método que deixa rastos na paisagem. E são visíveis do Espaço. A imagem de satélite, tirada em setembro de 2019, …

Dezenas de corpos de vítimas de covid-19 encontrados nas margens do rio Ganges

Ciclone Tauktae faz pelo menos 33 mortos na Índia (e paralisa vacinação contra covid-19)

Pelo menos 33 pessoas morreram e quase cem estão desaparecidas na Índia, devido ao impacto do ciclone Tauktae, esta terça-feira. O país também registou o maior número de mortes diárias provocadas pela covid-19. Centenas de milhares …

Cientistas criam dispositivos de testagem que produzem resultados em tempo recorde

Cientistas criaram dispositivos que permitem detetar infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 num segundo ou em menos de 30 minutos, conforme a técnica usada, revelam dois estudos distintos divulgados esta terça-feira na imprensa da especialidade. Investigadores das …

CP está a vender bilhetes com 80% de desconto

A CP tem uma nova campanha, que entra em vigor esta terça-feira, através da qual disponibiliza cerca de 17.920 viagens com descontos até 80% nos comboios intercidades. De acordo com o jornal Público, os bilhetes abrangidos …

Mais de 40 pessoas, quase todas crianças, no hospital de Beja com vómitos

Um total de 35 crianças e seis adultos oriundos de diversas escolas do concelho de Beja deram esta terça-feira entrada no Hospital José Joaquim Fernandes, naquela cidade alentejana. A notícia foi avançada por fonte hospitalar, que …

Novo Banco. "Não era um banco bom, foi preciso fazer dele um bom banco", diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, afirmou esta terça-feira que o Novo Banco “não era um banco bom” e “foi preciso fazer dele um bom banco”, recordando o “legado do BES” que marca …

Ensino superior com vagas especiais para lusodescendentes

O Governo alargou o contingente especial de acesso ao ensino superior dirigido a emigrantes e seus familiares permitindo que, no próximo ano letivo, se possam candidatar todos os lusodescendentes, de nacionalidade portuguesa e residentes no …