Há uma mancha de petróleo a contaminar o nordeste do Brasil há dois meses (e ninguém sabe de onde veio)

Uma mancha de petróleo cru foi avistada a 30 de agosto ao longo das praias de Tambaba e Gramame, município de Conde, e na Praia Bela, município de Pitimbu, no Brasil. 

Dois dias depois, a mancha de petróleo tinha chegado a Ipojuca e Olinda, em Pernambuco. Ao fim de quase dois meses, a mancha alargou-se a 225 praias brasileiras, colocou nove estados em alerta ambiental e ameaça com danos irreparáveis os ecossistemas marinhos na costa nordeste do Brasil.

De acordo com a Globo, a origem da mancha está a ser investigada pela Marinha do Brasil, pela Polícia Federal e pela Petrobras. Ninguém sabe de onde veio.

É necessário ter em conta o grau API, uma espécie de escala de Richter criada pelo Instituto Americano de Petróleo que relaciona a densidade dos derivados do petróleo com a água. O betume, que nessa escala está abaixo de 10, é mais denso e afunda no mar. Os derivados leves, menos densos, são mais valiosos, mas quanto mais tempo passam na superfície marítima, mais densos se tornam e têm tendência para afundar.

Quanto ao percurso da mancha, estudando as datas de avistamentos nas praias brasileiras, as trajetórias das correntes e o percurso dos navios ao largo do nordeste do país, as autoridades estimam que o derrame deve ter começado a centenas de quilómetros da costa de Pernambuco e da Paraíba e que viaja a um ritmo de 10 centímetros por segundo.

Nessa região, os ventos sopram de sudeste para noroeste, do centro do Atlântico em direção ao Caribe e ao nordeste do Brasil. As correntes marítimas seguem a mesma tendência de trajetória.

Segundo o Centro Integrado de Segurança da Marinha, as áreas foram navegadas por 140 navios-tanque durante o mês de agosto. Uma parte viajou entre as Caraíbas, o Golfo do México, o sul de África e o sudeste da Ásia. Outra seguiu do sudeste do Brasil para a Europa.

Segundo Jair Bolsonaro, o presidente brasileiro, e o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, há três opções em cima da mesa: o petróleo pode ter vindo de um navio afundado, de um acidente na transferência de um navio para outro ou de um despejo com mão criminosa.

A tese de que o petróleo podia ter escapado de um navio afundado perdeu força desde que se contabilizou em mil toneladas a quantidade de petróleo recolhido até 20 de outubro das praias brasileiras.

Há também a possibilidade de um derrame quando se transfere petróleo de um navio-tanque para outro. Rui Carlos Botter, professor de Logística e Transportes da Universidade de São Paulo, explica que “não é raro que esse processo seja feito no Brasil, às vezes com o navio parado, às vezes em portos, às vezes em andamento”.

Porém, Iderley Colombini Neto, especialista em geopolítica do petróleo no Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconómicos do Brasil, coloca problemas à tese: “Se fosse uma comporta a vazar, não teria esta magnitude. O que está a complicar é a quantidade. E não ter sido vista por nenhuma autoridade”.

A terceira hipótese é a de que esta mancha pode ser o resultado de um derrame criminoso. É possível que um navio fantasma tenha feito uma transferência de petróleo em alto-mar, mas que a operação tenha corrido mal.

A mancha já matou pelo menos cinco aves, 18 tartarugas-marinhas, um peixe e um réptil.

Brasileiros culpam Venezuela

De acordo com o Observador, um relatório publicado a 8 de outubro pela Petrobras, que analisou 23 amostras da mancha, aponta o dedo à Venezuela.

Bolsonaro retrai-se em dizer nomes: “Eu não posso acusar um país. Imagine que não é aquele país. Não quero criar problemas com outros países. É reservado. É um volume que não está sendo constante, não é? Se fosse um navio que tivesse afundado, estaria saindo ainda óleo. Parece que criminosamente algo foi despejado lá”, acusa.

Ricardo Salles, ministro do Ambiente, é menos cauteloso e diz que o petróleo que está a causar este “desastre ambiental” é “muito provavelmente” da Venezuela.

Já a Universidade Federal de Sergipe aponta o dedo à Shell. De acordo com a instituição, foram encontrados no mar barris dessa petrolífera cujo conteúdo corresponde ao que chegou às 225 praias brasileiras. A empresa já se defendeu, dizendo que os barris podem ter sido reutilizados por outras partes.

A Universidade Federal de Sergipe ainda insiste noutra hipótese: que o petróleo não tenha sido despejado na superfície do mar, mas sim que venha do fundo do oceano.

O que se sabe até agora é que a investigação prossegue com todas as possibilidades em aberto e a mancha não pára de se espalhar pelo nordeste do Brasil.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Pavilhão Rosa Mota transformado em "Hospital de Missão" com 300 camas

O Pavilhão Rosa Mota, no Porto, entrará, na próxima semana, em funcionamento como “Hospital de Missão” e, com 300 camas, servirá para acolher doentes com poucos sintomas de covid-19 ou até assintomáticos sem “retaguarda familiar”. “Trata-se …

Maduro acusa EUA de provocarem "perigoso momento de tensão" no continente

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enviou na segunda-feira uma carta aos governantes internacionais, alertando que os Estados Unidos (EUA), ao oferecerem uma recompensa por informações que levem à sua detenção, conduzem a "um perigoso …

Prestações ao banco vão subir para quem recorrer à moratória

As prestações dos créditos à habitação vão subir para empresas e clientes particulares que pedirem a sua suspensão no âmbito da moratória criada pelo Governo. Os juros vencidos durante os seis meses da moratória serão …

BE e PCP querem isenção do pagamento de propinas durante estado de emergência

O Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português consideram que os alunos do Ensino Superior devem ficar isentos do pagamento de propinas durante o estado de emergência. Tanto o BE como o PCP sempre defenderam …

Menina de 12 anos morre na Bélgica vítima da covid-19

Uma menina de 12 anos morreu esta segunda-feira na Bélgica devido à pandemia de covid-19, anunciaram esta terça-feira as autoridades de saúde deste país. "É um caso muito raro, mas que nos afeta muito, é um …

"Bomba" de Graça Freitas rebentou-lhe nas mãos. Governo rejeita cerco sanitário ao Porto

O Secretário de Estado da Saúde, António Sales, rejeitou, nesta terça-feira, a possibilidade de impor um cerco sanitário ao Porto. Esta hipótese foi avançada pela directora-geral da Saúde, Graça Freitas, e foi fortemente criticada por …

Novo máximo diário. Covid-19 mata mais 849 pessoas em Espanha

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 849 mortos com o novo coronavírus, um novo recorde de falecidos num só dia, elevando o balanço total para 8189. Os números do Ministério da Saúde espanhol revelam ainda um …

Termina esta terça-feira o prazo para reclamar das despesas para IRS

O prazo para consultar e reclamar das despesas gerais e familiares apuradas pelo fisco para efeitos de deduções à coleta termina esta terça-feira. Os contribuintes têm até esta terça-feira, 31 de março, para consultar e reclamar …

Ryanair avança com lay-off em Portugal a partir de 1 de abril

A Ryanair vai avançar com o lay-off simplificado, considerando o recurso à medida "indispensável para a manutenção da viabilidade e preservação dos postos de trabalho". Segundo a comunicação da sucursal em Portugal aos sindicatos relativamente à …

Recibos verdes arriscam ficar sem apoio em abril

A Segurança Social só vai disponibilizar o formulário para requerer apoio por paragem total de atividade a partir de 1 de abril. O apoio para minimizar os danos económicos dos trabalhadores independentes que enfrentem paragem …