Guterres enumera os “Quatro Cavaleiros do Apocalipse” que desestabilizam o mundo

ZIPI / EPA

António Guterres listou, esta quinta-feira, os “Quatro Cavaleiros do Apocalipse” que causam incerteza e instabilidade: mudança climática, desconfiança da população, tensões geopolíticas e ameaças tecnológicas.

O secretário-geral da ONU identificou esta quinta-feira, numa intervenção em Davos, os “Quatro Cavaleiros do Apocalipse” que provocam atualmente incertezas e instabilidade no mundo: as alterações climáticas, a desconfiança dos cidadãos, as tensões geopolíticas e as ameaças tecnológicas.

Entre as quatro ameaças assinaladas, António Guterres, que falava no Fórum Económico Mundial que arrancou na terça-feira na Suíça, destacou as alterações climáticas que, pela primeira vez na história da Humanidade, estão a impor, segundo frisou o representante, um limite físico e real às possibilidades de crescimento.

“É absolutamente necessário” admitir, prosseguiu Guterres, que as alterações climáticas são uma ameaça à existência humana e que estão a progredir mais rápido do que o esperado.

Durante a intervenção, Guterres mencionou que ainda existem pessoas que argumentam que o planeta Terra pode “resistir a tudo”. Ideia que refutou, alertando que a capacidade da espécie humana em habitar este planeta e as condições necessárias para tal estão a desvanecer e, como tal, “é urgente” mudar o curso dos acontecimentos.

No discurso, o secretário-geral da ONU apontou algumas situações que confirmam que a crise climática é uma realidade: a subida média das temperaturas do ar e da água dos oceanos e os incêndios que têm devastado países e territórios como a Austrália, Canadá ou a Sibéria.

A boa notícia, referiu António Guterres, é a total consciência e empenho da comunidade científica, que sabe, defendeu o representante, quais são as medidas a tomar, nomeadamente a descarbonização e a redução das emissões globais dos gases com efeito estufa até 2050.

Apesar de considerar que os avanços no dossiê climático estão a acontecer muito devagar e de defender que os grandes países “poluentes” têm de se comprometer “a sério” nesta matéria, Guterres reconheceu que os grandes bancos, as empresas de investimento, os bancos centrais e o mundo financeiro, a par dos cidadãos comuns, estão a começar a ter consciência do problema.

Ainda em Davos, o secretário-geral da ONU mencionou a desconfiança dos cidadãos em relação às classes governantes, um sentimento, lembrou o responsável, que esteve na origem de uma vaga sem precedentes de manifestações, protestos e motins que agitou, em 2019, mais de 60 países em todo o mundo.

Segundo o antigo primeiro-ministro português, todas estas crises têm uma explicação e uma origem próprias, mas, segundo frisou, todas elas têm um elo comum, ou seja, a desconfiança generalizada em relação às elites e a uma globalização que apenas aumentou as desigualdades, nomeadamente de género.

António Guterres destacou ainda as tensões geopolíticas e os potenciais conflitos entre certos atores internacionais, como foi o caso recente dos Estados Unidos e do Irão. Para o representante, tais cenários de conflito só poderão ser evitados com o fortalecimento das instituições de cooperação e de colaboração.

O líder da ONU finalizou a intervenção com uma referência aos riscos associados às novas tecnologias, que classificou como o “lado obscuro“, que deixam, em muitos casos, os cidadãos indefesos. Nesse sentido, Guterres defendeu e apelou a uma regulação do ciberespaço.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

    • Bom… As mortas em conflitos estão obviamente incluidas nos conflitos geo-estratégicos de que ele falou… Os abortos representam um número desprezível comparado com o resto. Daqui a bocado vamos também incluir as que são atropeladas a atravessar a estrada sem olhar?.. Sem caricaturas… Os abortos, ainda que muitas vezes recrimináveis (não sou a favor do aborto excepto em violação (só até 12 semanas) ou risco de morte da Mãe), não apresentam número significativo nem são comparáveis a mortes de crianças com anos de vida.

Responder a Tab Cancelar resposta

Governo da Malásia pede desculpa após recomendações sexistas para período de confinamento

O Governo da Malásia pediu desculpas após reações contra recomendações consideradas sexistas dirigidas às mulheres durante o período de confinamento devido à pandemia de Covid-19, que já causou naquele país causou três mortes e 2.766 …

Linha SNS 24 está a atender mais de 18 mil chamadas por dia

O secretário de Estado da Saúde saudou a capacidade de adaptação dos profissionais de saúde e do Governo à pandemia covid-19, dando como exemplo a Linha SNS 24 que está a atender mais de 18 …

Bolsonaro mais moderado. "A minha preocupação sempre foi salvar vidas”

O Presidente brasileiro adotou um tom mais moderado naquele que foi o seu quarto discurso ao país sobre o novo coronavírus, mas voltou a insistir na importância de a população manter os empregos durante a …

Diabéticos representam 9% das mortes por covid-19

Os doentes da diabetes são um grupo de risco, representando “mais de 9% das pessoas falecidas com covid-19”, mas não têm mais probabilidades de ser infetados pelo novo coronavírus. A informação foi avançada esta quarta.feira pelo …

Covid-19: Infarmed diz que nenhum medicamento provou eficácia no tratamento

O Infarmed assegurou, na terça-feira, estar a acompanhar todos os esforços nacionais e internacionais para o desenvolvimento de potenciais tratamentos e vacinas para a covid-19, mas insistiu que nenhum fármaco provou ainda a sua eficácia …

Adolescente de 13 anos morre no Reino Unido devido a Covid-19

Um adolescente britânico de 13 anos morreu na segunda-feira depois de testar positivo para o novo coronavírus, informou na terça-feira o hospital. Segundo a família, o jovem não sofria de nenhuma outra doença. Segundo noticiou a …

"Por favor, não venham". Autarca de Vila Real apela a emigrantes que não regressem a Portugal

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, apela aos emigrantes para que, "por favor", não regressem agora ao país e nesta Páscoa "fiquem nas terras" que os "acolheram em segurança". "Este vírus infernal que …

84 pessoas detidas por desobediência ao estado de emergência

A PSP e a GNR detiveram, até esta terça-feira, 84 pessoas pelo crime de desobediência e encerraram 1600 estabelecimentos, no âmbito do estado de emergência. Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) refere que, entre as …

Há creches, ATL e colégios privados a cobrar valores indevidos na quarentena

Há creches, ATL e colégios privados a cobrarem valores indevidos referentes a alimentação, transporte e atividades extracurriculares. O alerta foi dado pela Associação de Defesa do Consumidor (Deco). De acordo com a jurista da Deco, Carolina …

Pedro Proença acredita que "vai ser possível jogar na presente temporada"

O Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) admitiu, esta terça-feira, a possibilidade de realizar jogos à porta fechada e ainda esta temporada. Em entrevista à rádio TSF, Pedro Proença disse acreditar que ainda "vai …