Gulbenkian conclui venda da petrolífera Partex aos tailandeses

socialeurope / Flickr

Isabel Mota presidente da Calouste Gulbenkian

A Fundação Calouste Gulbenkian concluiu, esta segunda-feira, a venda da petrolífera Partex à tailandesa PTTEP por cerca de 622 milhões de dólares (cerca de 555 milhões de euros).

“Depois do acordo de venda, assinado a 17 de junho deste ano, e obtidas todas as autorizações necessárias, foram hoje assinados os documentos finais que permitem a esta prestigiada empresa tailandesa de exploração e produção de petróleo assumir o controlo da Partex“, pode ler-se num comunicado enviado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Segundo a instituição presidida por Isabel Mota, o acordo com a PTTEP permite à Partex, “um ativo que representava cerca de 18% dos investimentos totais” da fundação, “permitirá o crescimento e expansão da Partex e a sua entrada num novo ciclo de desenvolvimento”, bem como alinha “a Fundação com a visão de futuro sustentável que partilha com outras grandes fundações internacionais”.

“A operação teve um valor de US$ 622 milhões [dólares], sujeita aos ajustes habituais nestas transações”, de acordo com o comunicado, o que segundo fonte próxima do processo levou o total do negócio para um “encaixe líquido de cerca de 700 milhões de dólares [cerca de 627 milhões de euros], uma diferença justificada pelos juros, fundo de maneio e outros custos associados”.

O acordo de venda da Partex à PTT Exploration and Production, empresa pública tailandesa de exploração e produção de petróleo, já tinha sido anunciado no dia 17 de junho pela Fundação Gulbenkian, concretizando a intenção da instituição em sair daquele ramo de negócio fundado por Calouste Gulbenkian em 1938.

“Neste momento, tendo em conta o parceiro que escolhemos, tenho a certeza que a Partex vai ter um futuro brilhante no sentido de poder ter uma dimensão e os recursos necessários para evoluir e para poder aumentar a sua intervenção”, declarou Isabel Mota aos jornalistas, à data.

O presidente executivo da Partex, António Costa e Silva, na mesma ocasião, disse acreditar que o novo acionista vai permitir aumentar a produção e crescer em novas geografias sobretudo em países de língua portuguesa.

Em declarações aos jornalistas, Costa e Silva afirmou que a aquisição pela empresa pública tailandesa permite “criar em Portugal uma plataforma de crescimento da PTTEP no mundo, sobretudo para o hemisfério ocidental, começando no Médio Oriente, mas alargando a todas estas áreas sobretudo os países em que se fala português“.

Em 7 de outubro, os trabalhadores da Partex apresentaram em tribunal um pedido de impugnação do despacho ministerial que dispensa de autorização governamental a alienação da empresa pela Fundação Calouste Gulbenkian que, se julgado procedente, levará à nulidade do negócio.

Segundo comunicou a Gulbenkian em 17 de junho, a PTTEP comprometeu-se a manter a gestão e os restantes trabalhadores da empresa, o escritório em Lisboa e a marca Partex.

A PTTEP é uma empresa pública, cotada na Bolsa da Tailândia, que integra os índices Dow Jones Sustainability. A operar desde 1985, tem 46 projetos petrolíferos em 12 países espalhados pelo mundo.

Isabel Mota admitiu em junho que depois da venda da Partex, “a energia não pode estar fora de questão” dos planos de investimento futuros da Gulbenkian, e que “tudo que tiver a ver com efeito positivo para os grandes problemas da humanidade, e em particular das alterações climáticas” terá a atenção da Fundação em termos de oportunidades de mercado.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Os tailandeses também cá vieram comprar 14 hoteis em 2016. Três anos depois venderem 3 pelo preço que comparam os 14 iniciais. O que eles estão mais preocupados é em “crescer em novas geografias sobretudo em países de língua portuguesa”… Chamem-lhes parvos nos negócios.

RESPONDER

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …