Durante a Guerra Fria, os melhores agentes da CIA não eram humanos

A CIA desclassificou dezenas de documentos da época da Guerra Fria, que revelam detalhes das suas missões. A agência de inteligência norte-americana não apostava só em humanos.

De acordo com a agência France-Press, os documentos revelam que a CIA terá tentado treinar gatos, cães, golfinhos e até pássaros – pombos e corvos – para o adotar como agentes no terreno.

Um dos agentes de voo mais altos da CIA terá sido um corvo, conhecido como Do Da, que se transformou num agente operacional do mais alto nível de espionagem. O pássaro era uma figura central num programa secreto da CIA de treino de animais como agentes, que durou cerca de uma década. Do Da desapareceu e meio de um teste, no início de 1974.

Segundo as informações agora conhecidas, a agência contratou, para o programa de treino de aves, ornitólogos profissionais, numa tentativa de determinais quais as aves que regularmente passavam uma parte do ano em Shikhany, uma cidade russa de acesso restrito na bacia do rio Volga.

A CIA considerava as aves migratórias como “sensores vivos” e estava convencida que, através da análise dos tecidos destas aves, a sua alimentação iria revelar que tipo de substâncias os russos estavam a testar.

No início da década de 1970, a CIA usava aves de rapina e corvos na expectativa que estes animais pudessem ser treinados para missões de “implantação” – como o lançamento de dispositivos de escuta no parapeito de uma janela, por exemplo – e em missões fotográficas, adianta a Sputnik News.

O Do Da era a estrela deste projeto, o candidato mais promissor para missões na União Soviética. No entanto, durante uma missão de treino, o animal terá sido atacado por corvos e, a partir desse momento, nunca mais foi visto.

Mais tarde, a agência terá adquirido centenas de pombos. Os treinadores colocaram câmaras nos animais que sobrevoavam regiões norte-americanas, de modo a determinar se estes pássaros poderiam ser treinados especificamente para fazer determinados percursos estratégicos. O objetivo era tirar fotografias aos estaleiros navais em Leningrado e, durante os treinos, algumas das aves conseguiram tirar fotografias perfeitas.

Não eram só as aves a integrar parte do programa clandestino de treino para espionagem. Há informações que revelam que a CIA estudou e testou gatos como possíveis “veículos de vigilância áudio“. Segundo os dados revelados, os cães tinham até implantes elétricos no cérebro para tornar o controlo remoto mais fácil.

Mas a maior parte dos esforços estava concentrada no treino de “golfinhos de combate” para os tornar capazes de impedir o desenvolvimento da frota de submarinos nucleares da União Soviética.

No entanto, segundo os documentos da CIA, nenhum destes programas teve sucesso.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Conceição pode estar de saída. FC Porto pode dar 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …

EUA com pior recorde mundial diário de mortes. 10 milhões perderam o emprego

Os Estados Unidos registaram, esta quinta-feira, 1169 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. O número recorde de mortes em 24 horas …

Real Madrid sonda Maximiano. Sporting quer blindá-lo com cláusula de 60 milhões

O Real Madrid está atento a Luís Maximiano, o guarda-redes de 21 anos do Sporting. Os 'leões' querem blindar o jogador com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros. O Real Madrid está interessado …

Lares britânicos recomendam idosos a assinar cláusula de "não-reanimação"

Lares britânicos recomendaram aos mais velhos que assinassem uma cláusula de "não-reanimação" para que as camas dos hospitais não fossem ocupadas por pessoas com uma menor probabilidade de sobreviver. No Reino Unido, surgem denúncias de que …

Costa admite segunda onda de covid-19. E dá 4 de maio como limite para normalizar ensino

Esta sexta-feira, em entrevista à Rádio Renascença, o primeiro-ministro disse que não é altura de se "baixar a guarda" e assegurou que a decisão mais difícil é a da reabertura das escolas. Para vencer esta batalha …

Encontradas centenas de garrafas de cerveja tóxica da era vitoriana

Mais de 600 garrafas de cerveja com cerca de 140 anos foram encontradas no Reino Unido. Muitas ainda continham cerveja, que estava contaminada com elevados níveis de chumbo. Uma equipa de arqueólogos encontrou mais de 600 …

Há um fármaco, ainda em teste, que bloqueia efeitos da covid-19

Investigadores conseguiram decifrar como o SARS-CoV-2 interage e infeta as células humanas do rim e, a partir daí, começaram a testar o potencial do fármaco. Investigadores de um estudo internacional identificaram um fármaco, em fase clínica …