Groundforce em risco de insolvência. Governo ainda sem soluções

O Governo ainda não tem soluções para resolver o problema dos trabalhadores da Groundforce, indicou o ministro das Infraestruturas e da Habitação numa reunião, esta segunda-feira, com os representantes dos colaboradores.

“O ministro informou-nos que não estava ali para discutir soluções, mas na condição de informar o que tinha acontecido no dia de hoje. Descobriu que a maioria das ações está penhorada num banco, mas que Alfredo Casimiro [principal acionista] não quis dizer qual e está protegido pelo sigilo bancário. E que outras ações estão numa entidade que não conhece. Está a tentar descobrir”, adiantou João Alves, da Comissão de Trabalhadores (CT) à agência Lusa.

“Se nem o Estado nem a TAP injetavam dinheiro sem uma garantia, hoje em dia já sabemos que não há ações para penhorar” e, por isso, nem o Estado nem a companhia aérea vão “investir nenhum dinheiro” na empresa de handling, disse.

“A empresa é viável, tem boa estrutura e o problema é conjuntural. Temos todas as condições de, numa situação normal, fazer a operação da empresa dar lucro e assim que haja uma retoma tem todas as condições para começar a faturar“, garantiu.

João Alves disse também que o governante “não está ainda em condições de poder avaliar as situações” porque não depende só dele. “Assim que tiver mais dados concretos diz que nos volta a contactar”, referiu.

Segundo fonte oficial do Ministério, as negociações, que já se arrastavam há vários dias, falharam, porque Alfredo Casimiro, dono da Pasogal, empresa que detém 50,1% da Groundforce, não pode entregar as ações como garantia para o empréstimo, uma vez que já se encontram penhoradas.

Em causa estão as negociações para um adiantamento de 2,05 milhões de euros para pagamento de salários em atraso, relativos a fevereiro, que seria feito pela TAP à Groundforce, em que as ações da Pasogal seriam dadas como garantia.

“O nosso receio é esse, é em vez de estarmos a lutar pelo salário já estarmos a lutar pelo posto de trabalho”, afirmou João Alves.

De acordo com o jornal online ECO, a TAP está a tentar perceber quais as condições destes penhores. Parte diz respeito à banca, que não deverá ter interesse em gerir a participação, mas há um outro penhor.

A companhia aérea e o Governo podem tentar retomar a mesma solução, mas com o detentor desse penhor. Caso isso não seja possível, a insolvência da empresa é uma possibilidade, mas obrigaria a TAP a arranjar um plano B quando começar a retoma da atividade, à partida nos meses de verão.

A nacionalização é vista como último recurso, apesar de não estar excluída, adianta o mesmo jornal digital. Na conferência de imprensa na quinta-feira, Pedro Nuno Santos já tinha afirmado que o Executivo não tinha qualquer intenção de nacionalizar a Groundforce.

O ministro explicou ainda que Alfredo Casimiro tinha aceitado um penhor das ações relativas à sua participação para receber o adiantamento, mas exigiu – em caso de execução – manter o controlo da empresa.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Mas a gerência não usou o Layoff?
    Alguém pode investigar porque existe essa falta de pagamento, se existe um mecanismo bem claro que o governo disponibilizou?

  2. Espero bem que se esta empresa de tachos for nacionalizada, se aplique o mesmo critério a todas as empresas em dificuldades. Eu não quero mais um buraco para oportunistas e vigaristas enterrarem o meu dinheiro.

  3. Querem ver que é mais um BES!?
    Como qualquer empresa, não sendo bem gerida, vai à falência, ponto.
    Neste caso, e noutros, então o governo teria de acudir a todas as empresas na mesma situação, era só o que faltava!!! O governo não é a “Santa Casa da Misericórdia”. Se esse fulano (Alfredo Casimiro – principal acionista) não quis dizer qual e está protegido pelo sigilo bancário, que a maioria das ações está penhorada num banco, e que outras ações estão numa entidade que não conhece, que se desenrasque … Se foi um mau gestor, que arque com as consequências. Não vamos ser nós a pagar a sua burrice.

    • Não se trata de burrice … bom também há burrices, mas a culpa não morre solteira de um só lado. Os sindicatos e as leis de proteção também tem culpas.
      A groundforce vive praticamente só do serviço à aviação. Se durante quase um ano não existe aviação e as empresas no ramo não podem eliminar postos de trabalho, ficam com os mesmos gastos mas sem rendimentos. Situações extremas e excepcionais exigiam medidas em colaboração.
      A falta de colaboração pelos sindicatos e a burrice na gestão … levaram a isto.

      O melhor mesmo é a insolvência, tudo para o desemprego, assim podem ficar em casa resguardados do vírus.

      No final o legado deste governo vai ser um país sem mortos por covid, mas milhares de mortos por fome. Uma taxa de natalidade baixa e uma sociedade em risco de sobrevivência.

  4. A tasca aqui da rua está em risco de insolvência. Aguarda-se a respectiva ajuda do Estado, obviamente a fundo perdido. Ninguém aqui quer ir à tasca da outra rua.

RESPONDER

Reino Unido. Variante indiana é “preocupante“ e já infetou idosos vacinados

No Reino Unido, já foram encontradas 48 cadeias de transmissão da variante indiana e sabe-se que há transmissão comunitária. A Public Health England classifica esta variante como “preocupante”. A direção geral de saúde de Inglaterra (PHE …

Petição para cancelar Jogos Olímpicos conta já com 200 mil assinaturas

Uma petição 'online' a pedir o cancelamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 devido à pandemia da covid-19 ultrapassou esta sexta-feira as 200 mil assinaturas, avançou a agência Lusa. A campanha, lançada na quarta-feira pelo advogado e ativista …

“Não queremos estragar a nossa joia da coroa“. Governo pode limitar acesso da Peneda-Gerês

O Secretário de Estado da Conservação da Natureza concorda com os autarcas, sobre o impacto positivo do turismo para as populações, mas nota que o sucesso do PNPG não pode pôr em causa os valores …

Fome e seca levam milhares de angolanos a fugirem para a Namíbia

A fome provocada pela seca extrema na província de Cunene, no sul de Angola, está a levar milhares de pessoas a fugir para a Namíbia. "A estiagem provocou a rutura de 'stocks' alimentares das comunidades e …

Governo britânico confirma Portugal na “lista verde” de viagens. Preço das viagens disparou

Portugal vai estar na “lista verde” de países considerados seguros para viajar e isentos de quarentena na chegada a Inglaterra a partir de 17 de maio, anunciou hoje o ministro dos Transportes britânico, Grant Shapps. Portugal …

Nova Zelândia vai proteger fiorde emblemático de turismo de massas

O Governo da Nova Zelândia anunciou que vai proteger do turismo de massas a paisagem natural do icónico fiorde Milford Sound-Piopiotahi, património mundial na ilha do Sul. O turismo em Milford Sound-Piopiotahi, considerado um dos principais …

Autárquicas são ensaio para o CDS. Nas legislativas, partido pode ser o "PEV do PSD"

Com o CDS a afundar nas sondagens, as legislativas já estão no campo de visão. As autárquicas que se avizinham vão ser um ensaio para os centristas: e se uns dizem que não, os críticos …

“O cenário é caótico“. Greve do SEF provoca ajuntamentos no Aeroporto de Lisboa e Porto

A greve convocada pelo sindicato do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a decorrer esta sexta-feira está a provocar grandes ajuntamentos nos principais aeroportos do país. A greve de inspetores e funcionários do Serviço de Estrangeiros …

TAP no fim da lista de credores em caso de insolvência da Groundforce

A tensão entre a companhia aérea e a empresa de handling voltou a colocar o cenário de insolvência em cima da mesa. Mas isso pode vir a revelar-se um "calvário" para a TAP. De acordo com …

Governo propõe juízes diferentes nas fases de inquérito e instrução

O Governo enviou uma proposta de lei enviada ao Parlamento que prevê que o magistrado que acompanha uma investigação não possa continuar a intervir no processo após a acusação. O objetivo do Governo, de acordo com …