Greve de fome de 470 pessoas em Bruxelas termina 60 dias depois

worldeconomicforum / Flickr

Primeiro-ministro belga, Alexander De Croo

Em Bruxelas, mais de 470 pessoas deram por terminada uma greve de fome que durou dois meses. O governo belga disse que não pode ceder a chantagens e saudou a boa decisão.

Nos últimos dois meses mais de 470 pessoas iniciaram uma greve de fome, em Bruxelas, na Bélgica.

Esta quarta-feira, o governo belga emitiu um comunicado a saudar o fim dos 60 dias de greve de fome, considerando tratar-se da única boa decisão. O primeiro-ministro, Alexander de Croo, disse que “um governo não pode ceder a chantagens”.

Também o secretário de estado Sammy Mahdi afirmou, em declarações à imprensa belga, que não há qualquer “promessa, seja ela qual for” da parte do governo.

“O procedimento mantém-se como estava. Mas fez-se com que todos fiquem de boa saúde”, disse.

A recusa das autoridades em resolver a situação das pessoas radicadas na Bélgica há décadas, fragilizou a coligação, com socialistas e ecologistas a ameaçarem retirar apoio ao governo, escreve a TSF.

“O gesto que fizemos foi a neutralidade que criamos, tentando acompanhar e informar as pessoas. Não posso dizer mais do que isso. Mas, de qualquer forma, o que é importante agora é a saúde das pessoas. É isso que me preocupa”, afirmou Mahdi, que assume a pasta da migração e asilo.

Já relativamente ao discurso do Rei Filipe, que parecia ter passado ao lado do assunto, analistas políticos dizem que há um passagem em que terá abordado o tema da greve de fome.

“Para construirmos o nosso futuro, temos a nossa sabedoria e criatividade. Temos também os valores humanos da solidariedade, de generosidade, de empatia e de coragem. Toda a qualidade que erguemos nos últimos meses, nos últimos dias, nas últimas horas. Tenho confiança na capacidade que temos de nos restabelecermos”, afirmou o monarca na sua alocução ao Dia Nacional, que se celebrou esta quarta-feira.

A greve de fome levada a cabo por quase meio milhar de pessoas aconteceu na sequência de um processo iniciado nos últimos dois anos, que visava legalizar os indivíduos que trabalham há vários anos na Bélgica, mas uma manobra legal deixou-os “sem papéis”.

“O problema é que a antiga regularização não estava ligada ao trabalho, mas ligada ao empregador. O que quer dizer que se tem de permanecer com o patrão durante cinco anos”, afirma Ahmed, um trabalhador da construção que está há 17 anos na Bélgica.

“Ele explora-te, porque se perderes o teu patrão, perdes os teus papéis. Não tens o direito de ir procurar outro emprego. Se perdes o patrão perdes o emprego”, explica. “O que queremos é o direito a um trabalho, sem estarmos sujeitos a uma exploração”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Por trás lá vem a facada". Costa critica "duplicidade" da postura do Governo da Madeira

O secretário-geral do PS, António Costa, defendeu que as autonomias precisam de “solidariedade e confiança mútua”, assente na verdade, criticando a “duplicidade” da postura do Governo da Madeira no relacionamento com a República. “As autonomias exigem …

Estrela foi banquete de um buraco negro e criou um fenómeno raríssimo

O resultado do encontro entre um buraco negro e uma estrela azarada deu origem a um fenómeno raríssimo detetado por astrónomos. Ao medirem a radiação X enquanto a estrela era devorada, perceberam que estavam perante um …

Um carro movido a energia solar? Bom. Um carro-casa movido a energia solar para fazer 3 mil km? Melhor ainda

Projeto foi desenvolvido por estudantes universitários holandeses, cujo trabalho em veículos movidos a energia solar é já conhecido. O Stella Vita será testado numa viagem de longo curso pelo sul de Espanha já este mês, …

Há uma rua no Texas onde todas as casas foram impressas em 3D

Esta é a primeira comunidade de casas impressas em 3D nos EUA que está pronta a receber habitantes. A construção torna as habitações mais resistentes ao fogo e a inundações. Chama-se East 17th Street e fica …

A filha de Picasso doou nove obras do artista espanhol a França

A família de Pablo Picasso doou nove obras do artista ao Estado francês, que serão agora integradas no Museu Picasso, em Paris. Maya, a filha de Pablo Picasso, doou nove obras do artista como parte de …

Dormir bem? Depois da pandemia, não

O novo coronavírus criou uma "nação" de pessoas com insónias. Trabalhar menos horas pode ajudar. Insónias. Já eram um problema para muita gente até ao início de 2020 mas a pandemia que mudou o mundo também …

"Não posso ficar sentado a ver-nos voltar a 1972". Médico desafia a lei no Texas e admite que já fez um aborto

Um médico texano escreveu uma coluna de opinião no Washington Post a admitir que já fez um aborto no estado, depois da lei que proíbe interromper as gravidezes após seis semanas ter entrado em vigor. Em …

A cidade mais segura do mundo foi revelada (e é europeia)

Copenhaga foi eleita a cidade mais segura do mundo em 2021 pelo Índice de Cidades Seguras (SCI), da Economist Intelligence Unit. Quando se trata de escolher o destino a visitar, a segurança é um dos aspetos …

Benfica 3-1 Boavista | Águia evolui com Darwin para a vitória

Desde 1982/83 que o Benfica não vencia os primeiros seis jogos no Campeonato. Pois bem, na noite desta segunda-feira, os encarnados venceram o duelo ante o Boavista e fizeram xeque-mate graças ao bis de Darwin …

Milhões de pessoas em risco de tráfico e escravidão devido à crise climática, revela relatório

Milhões de pessoas forçadas a deixar as suas casas por causa da seca severa e ciclones correm o risco da escravidão moderna e de tráfico humano nas próximas décadas, alertou um novo relatório publicado esta …