//

Depois da greve, TAP pode ter que despedir até 40% dos trabalhadores ou fechar

25

International Transport Forum / Flickr

Sérgio Monteiro, secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações

Sérgio Monteiro, secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, em entrevista à SIC Notícias na noite de quarta-feira, admitiu um cenário de despedimentos e o encerramento da TAP em caso de greve. Segundo o responsável governamental, a greve de 10 dias dos pilotos vai colocar problemas financeiros sérios à TAP.

“Se o impacto da greve for aquele que está estimado, a TAP não é a mesma no dia 16 de maio”, afirmou Sérgio Monteiro.

“Uma companhia que está 10 dias com os aviões parados tem uma relação que é cortada com os seus clientes. Esta companhia não vive de subsídios do Estado. Vive da venda de bilhetes”, afirmou o secretário de Estado, antevendo uma reestruturação para a empresa em moldes determinados pela Comissão Europeia.

Uma reestruturação orientada por Bruxelas poderia levar ao despedimento de 30% a 40% dos trabalhadores, afirma Sérgio Monteiro, que deixa o alerta: “Se a empresa não tiver dinheiro para solver os seus compromissos, fecha”.

A comissão de trabalhadores da TAP, por sua vez, refere em comunicado que a “ameaça de reestruturação é em parte uma chantagenzinha do tipo, ‘ou aceitam a privatização ou levam com uma reestruturação'”, acusando o Governo de, com os seus “únicos e criminosos objetivos” que são a criação de “oportunidades de negócio aos amigos, servir os interesses daquilo a que se chama o grande capital”.

Perante esta situação, os trabalhadores referem no comunicado que “se impõe a travagem definitiva das tentativas de privatizar a TAP, que a tutela deixe de ser um elemento desestabilizador da TAP, e que pelo contrário, um conjunto de políticas públicas seja desenvolvido para potenciar o papel da TAP enquanto geradora de riqueza para o país, promotora de emprego de qualidade, dinamizadora da atividade económica”.

Para a comissão de trabalhadores, “é falso que a única alternativa a privatizar seja a insolvência ou a reestruturação”.

O comunicado refere que a TAP “vive hoje sob duas ameaças, ambas muito sérias e ambas com a mesma origem, o atual Governo”: o processo de privatização em curso e o processo de reestruturação.

Segundo os trabalhadores, “está hoje em curso uma campanha mediática estridente contra a TAP, assente em falsas premissas, que procura apresentar a situação da TAP como insustentável e a privatização como única alternativa”.

A comissão de trabalhadores adianta que “a agravar este cenário” há um Presidente da Comissão de Acompanhamento do Processo de Privatização, João Cantiga Esteves, “escolhido pelo Governo, que não pode ser imparcial pois é quem mais alto berra sobre a inevitabilidade da privatização”.

Para os trabalhadores, o atual Governo “está na fase terminal do seu mandato, e é preciso garantir que a TAP sobreviva à sanha destruidora com que pretende terminá-lo, qual Nero que encontrou no incêndio de Roma a forma de imortalizar o seu nome”.

ZAP / Lusa

25 Comments

  1. Caro Sr. Secretário,
    Não se canse, já ninguém o houve ou acredita, a não ser o sr. primeiro ministro, que vive muito da esperança destas coisas. Aliás, não só ele, ele a amiguinha do Padeiro e o amigo que todos nós sabemos e temos dó, (coitadinho, vai ter uma reforma que não sabe como vai viver.)
    Não há dúvida que o Sr. é obediente, cumpridor, e tem de demonstrar que cumpre a missão, mas não perca energia, a greve vai em frente e qualquer um em seu lugar, despedia os 40% dos funcionários já hoje. Talvez assim eles mudassem de opinião. Que tal? Se calhar ainda vai a tempo e talvez ganhasse também um emprego na Alemanha…

    • O desconhecimento das motivações podem induzi-lo a usar gorro abaixo das orelhas (sem pala) e pompom a fazer de crista

  2. Realmente o sindicato dos pilotos tem poder … Mas para mostrar mesmo o poder que tem era comprar a parte que o estado detém e assim a TAP não era vendida e acabavam-se os problemas na TAP

  3. A greve é o unico meio que os trabalhadores têm para reivindicar os seus direitos. E toda esta coisa da privatização da TAP, está envolta num processo obscurantista, cujo o fim não deixa antever outra coisa senão o despedimento.

  4. Haja esperança de que as empresas (públicas) reféns dos trabalhadores (?) tenham os dias contados. Assim se possa contar com um governo corajoso que reforme o país e termine, de uma vez por todas, com a subserviência aos caprichos politicos minoritários. Assisti à entrevista do Secretário de Estado e gostei do que ouvi. Bem haja.

    • Concordo plenamente com esta opinião.
      Relativamente a entrevistas/discursos/intervensões/politiquices/etc dos nossos políticos não tenho paciência/pachorra/tempo/curiosidade/etc de os ouvir (perdi totalmente a confiança/esperança/etc nesses políticos). Quando isso acontece limito-me a mudar de canal de TV ou emissora de rádio pois dão-me vómitos.

  5. 40% é pouco, deviam era ir todos para a rua, como diz o ministro e muito bem eles deviam viver das vendas de bilhetes e não dos meus impostos, 1/3 do mês parados acabam com qualquer empresa e não é apenas esse o problema, depois disto alguém voltará a viajar com a Tap? sabendo que tem férias programadas, hotel pago e chegar á data e resolvem fazer outra greve? eu não obrigado, nem que a Tap fosse mais barata o risco não compensava…

  6. Com esta greve, de objectivos puramente políticos, orquestrada por uma minoria de esquerda, estamos a voltar aos bons velhos tempos do P R E C. Parece-me que por este andar, a Portugal só restam duas saídas; voltar a nacionalizar tudo (à boa maneira Comunista ou acabar de uma vez com as empresas públicas que são um sorvedouro de toda a riqueza produzida pelo povo que trabalha para satisfação dos caprichos políticos de uma minoria de privilegiados. Haja coragem e decidam-se! Assim isto não pode continuar!

  7. Das greves mais reaccionárias depois daquele Abril… O discurso ou a ausência dele da parte dos senhores dos aviões é confrangedor… Chantagem? Então não se privatize, reduzam-se funcionários, as rotas e a frota!
    Redimensione-se a Cia à escala do que é governável!
    Retive que os custos da última chantagem em dez. passado envolvia 144 milhões de prejuízos vários (tap, agéncias-turismo, hotelaria, restauração etc).

  8. Acordos são para cumprir, chega de acenar com as cenouras quando o burro esta revoltado, e depois de levar a carga enche-lo de porrada, as greves são a única forma de colocar algum travão na prepotência e arrogância de quem tem poder, e estou de acordo com os 10 dias pois só assim um greve tem efeito, não é como essas palhaçadas da CP e do metro que fazem um dia de greve a 6ª feira prejudicando as pessoas que já vivem com magros salários, e sim , empresas que não são viáveis devem encerrar, mas não devemos esquecer que foram os sucessivos governos após 25A que tornaram a TAP no monstro que é , ao utiliza-la para dar guarida a todos os boys bem comportados da esquerda e da direita, pois se isto levar ao encerramento, que seja,tantas empresas que foram forçadas a encerrar e trabalhadores lançados para a miséria, e ainda lhes chamaram piegas por se queixarem e bandidos por irem receber sub de desemprego, que mais 1/2 dúzia não tem importância

    • Diálogo responsável.
      O revolucionarismo de caviar à mesa acabou à muito nos estados de direito democrático. O simples facto de funcionários de uma empresa que tem relevante pendor na economia não lhes dá o direito de reivindicarem proporcionalmente aos efeitos nefastos que possa causar à viabilidade económica da empresa muito menos qdo envolve terceiros, para além de do impactante na economia do país. Isso é totalitarismo a coberto dos direitos liberdades e garantias constitucionais.
      Páscoa, Ago. Dez. são sempre os mesmos, do mesmo “terrorismo sindicalista” e, não menos reaccionário… “vantagens mercedes”
      Olhe-se o ex.- mundial que é a AUTOEUROPA

  9. Está na hora de acabar com os malandros dos funcionários públicos dada a baixa produtividade. As empresas públicas vivem de prejuízos que são sempre cobertos pelo dinheiro dos impostos sugados a quem trabalha no sector privado. Estou farto deste país em que só trabalhamos para uma série de preguiçosos que nada produzem. Admirava um governo que pusesse travão a tudo isto e não se preocupasse apenas com medidas eleitoralistas.

  10. Ahahah!! Estes comentários são melhores que a notícia!! O que o pessoal sabe da Tap supera a informação dada por este ‘ palhacinho’ Sérgio. Despedidos já eles estão com a venda!

  11. Se tem que despedir que despessam;
    Se tem que privatizar que privatizem;
    Se ao privatizar houver despedimentos que assim seja;
    Mas ao menos fassam alguma coisa…..
    O povo português está farto de pagar a má gestão das empresas públicas e do dinheiro público.

    No sector privado já viram alguma empresa que não pense assim?

    No entanto os funcionários dessas empresas do sector privado também tem família para alimentar em casa (também são portugueses) e não tem, nem nunca terão, os privilégios que são dados aos funcionários públicas.

    ENTÃO não devemos acabar com todas as empresas públicas que tenham ou possam vir a ter prejuízos?

    É claro que sim, ou então vamos andar todos a ser sugados em impostos.

  12. Este esquizofrenico catatónico que se empolga quando fala de privatizações, terá um dia (esperemos próximo) que ser criminalizado e julgado pelas suas acções para a destruição do Estado.
    Tudo devemos fazer para criar leis que criminalizem acções políticas comprovadamente danosas do património nacional.
    Este governo, de tanto crime de lesa-pátria que tem cometido, deve ir inteirinho para a prisão. Gravíssimos crimes pois se trata de delapidar o património do Estado em proveito próprio pelos actos de corrupção que são do conhecimento de todos.
    Dra-me-ía um gozo enorme fazer um ano de carcereiro desta personagem tétrica a que chamam secretário de estado.

    • Ventania do norte não é certamente, porque do norte não há “ventos” assim!
      “…Governo de tanto crime…”
      Em vez do trombone a entrar-lhe pela boca talvez um gorro de orelhas e pompom de crista lhe leve alguma brisa oxigenada à “moleirinha”!
      “…gozo enorme fazer um ano de carcereiro…”
      Diria mórbido! E sabendo que o voto é livre ainda penso no significado de “em consciência” que terá para certas mentes tétricas…
      As velas agora deram lugar a Led’s.

    • Vale tanto como a tua :):):)
      Ou pensavas que a tua valia mais (estavas enganado).

      E lembra-te só vai para funcionário público quem não serve para mais nada…..

  13. Senso comum nem é bom nem é mau. É senso comum.
    Até agora cumpriram-se 70% dos voos programados.
    Os restantes 30% têm outro senso comum… O dos papagaios que tb voam por aqui.

  14. Eu sou um leigo nestas questões… Mas, dá prejuizo sem greve… Dá, prejuizo com greve… Se calhar são os gestores da trete que devian ser despedidoa!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.