Governo terá desperdiçado 28 milhões em ajuda alimentar

cafemama / Flickr

O Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas não foi executado pelos governos nos últimos três anos, disse ao JN o secretário-geral da Federação Portuguesa de Bancos Alimentares, alertando que “a fome não espera”.

“Parece inacreditável que em três anos não tenhamos conseguido executar o programa”, lamentou Manuel Paisana, secretário-geral da Federação Portuguesa de Bancos Alimentares, em declarações ao Jornal de Notícias.

Segundo o JN, o atual Governo perdeu 28 milhões de euros em alimentos do Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas (FEAC), em 2016, porque não pôs em funcionamento o programa, que foi implementado há dois anos e que em 2015 ajudou cerca de 400 mil portugueses.

O FEAC substitui o anterior Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados e visa apoiar instituições de solidariedade na distribuição de alimentos através do Banco Alimentar e da AMI-Assistência Médica Internacional.

“Em 2014, e porque era um ano de transição, Portugal conseguiu recorrer ao FEAC e o Governo ainda distribuiu dez milhões de euros em alimentos. No ano seguinte, voltou a usar-se o facto de estarmos em transição; mas, em 2016, já nada foi distribuído. Será difícil justificar perante a Europa que é mais um ano de transição”, disse Paisana.

Uma fonte do Ministério da Solidariedade e Segurança Social disse ao JN que “vai iniciar-se a distribuição alimentar ao abrigo do FEAC em 2017, tendo o ano de 2016 servido para tomar as diligências necessárias a fim de garantir este início”.

A notícia do JN refere que o assunto foi abordado há dois meses na reunião entre a tutela e a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares.

Na quarta-feira, a presidente do CDS-PP questionou o primeiro-ministro no parlamento sobre o assunto mas António Costa não respondeu, refere o jornal.

O JN recorda também que, em novembro, António Nobre, presidente da Assistência Médica Internacional, afirmou que, no ano passado, a AMI recebeu “uma pequena remessa” mas que em 2016 “não se vislumbra coisa nenhuma”.

Governo garante que Portugal não vai perder verbas

O ministro do Trabalho Solidariedade e Segurança Social garantiu esta sexta-feira que Portugal não vai perder qualquer verba do Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas (FEAC), apesar de este ano não ter sido distribuída ajuda alimentar no âmbito deste programa.

Vieira da Silva, que falava à margem da conferência “O combate à fraude e à corrupção”, que decorre em Lisboa, acrescentou que em 2016 o programa não esteve no terreno por ter sido necessário o Governo alterar o modelo de financiamento, já que o modelo de programa tinha terminado em 2013.

“Em 2014 e 2015 pôde funcionar sob regras que eram próprias e um pouco mais ligeiras do que as do modelo anterior, que durou até 2013, sendo que a partir daí para ter acesso a esses fundos foi necessário construir um novo modelo, mais exigente, com um sistema de informação mais exigente que pudesse acompanhar desde a compra do alimento até ao beneficiário final”, referiu.

O governante acrescentou que esse trabalho não estava feito e esteve a ser feito para que em 2017 possa estar plenamente no terreno, “com uma ambição um pouco diferente, que não é uma simples distribuição alimentar, que já é importante, é uma distribuição alimentar trabalhada no sentido de dar resposta às necessidades nutricionais de famílias em situações de carência”, disse Vieira da Silva.

“Todo o montante financeiro disponível para este programa pode ser executado no quadro temporal do Portugal 2020“, concluiu o ministro.

Já em outubro, uma fonte do Ministério do Trabalho Solidariedade e Segurança Social contactada pela agência Lusa tinha adiantado que o ministério se encontrava “a fazer ajustamentos na regulamentação” do Fundo Europeu de Auxílio a Carenciados para que o programa fosse lançado em 2017.

/Lusa

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Só posso dizer que a pouca vergonha dos políticos continua.
    Como é possível esta situação?
    Querem uma resposta?
    Enquanto estes senhores e as entidades (in)competentes tiverem a barriga cheia, terem ordenados, ajudas de custo, e cometendo as fraudes / desvios que de vez em quando vêm nas noticias, como se precisassem disso não se lembram daqueles que chegaram á situação de nada ter.
    Venham os governos que vierem é sempre mais do mesmo.
    Aliás ouvi um politico estrangeiro dizer que” um politico diz o que o povo quer ouvir e não aquilo que pensa “. Só assim se continua a enganar mihares de pessoas. Parecemos carneiros (sem ofensa para os animais)

  2. Não entendo esta forma de fazer jornalismo. Só se for de sensacionalismo. Então, para quê aquele título se logo abaixo está a explicação do Ministro Vieira da Silva sobre o caso? O que se pode dizer a isto? Jornalismo de aviário!

  3. sabem porque porque esse fundo europeu e controlado pela cee logo não da para meter ao bolço enquanto o que os portugueses dao não tem control

  4. O Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas não foi executado pelos governos nos últimos três anos, disse ao JN o secretário-geral da Federação Portuguesa de Bancos Alimentares, alertando que “a fome não espera”.

    Segundo o JN, o atual Governo perdeu 28 milhões de euros em alimentos do Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas (FEAC), em 2016, porque não pôs em funcionamento o programa, que foi implementado há dois anos e que em 2015 ajudou cerca de 400 mil portugueses.

    Mas que grande trapalhada por aqui vai e segundo eu já vi e ouvi na TV este ano é que não foi executado, parece aqui haver intenção propositada de incriminar o anterior governo!

  5. “Parece inacreditável que em três anos não tenhamos conseguido executar o programa”.
    “Segundo o JN, o atual Governo perdeu 28 milhões de euros em alimentos do Fundo Europeu de Auxílio às Pessoas Mais Carenciadas (FEAC), em 2016 “.
    Pois, o atual governo perdeu 28 milhões em 2016, e quanto perdeu o anterior governo nos anos 2014 e 2015 ? Claro, em 2014 e 2015 estivemos em anos de transição e, mesmo assim o governo, de má memória de então, ainda conseguiu, em 2014 fazer o enorme esforço de distribuir 10 milhões. Quanto distribuiu em 2015 ? Não interessa, porque em 2014 e 2015 o governo ainda era “laranja” e aÍ a comunicação social tem que ser ISENTA e então procura esconder a todo o custo. Em 2016 o governo mudou de côr e política, felizmente, e então a comunicação social, que continua a ser ISENTA, “esqueceu” dois anos e só se lembra do mais recente…
    É o que temos…
    É só uma questão de côr…

RESPONDER

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …

Na Indonésia, são os recém-licenciados quem mais vai sofrer com o impacto económico da covid-19

A covid-19 continua a desacelerar a economia na Indonésia e pode causar graves impactos nos recém-licenciados que entram no mercado de trabalho pela primeira vez. Na Indonésia, o crescimento económico diminuiu para 2,97% durante o primeiro …

Mudanças climáticas ameaçam 60% das espécies de peixes do mundo

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Alfred Wegener, na Alemanha, sugere que as mudanças climáticas podem destruir mais espécies de peixes do que se pensavam anteriormente. Se as temperaturas globais subirem …

Engenheiros desenvolvem célula de combustível duas vezes mais eficiente do que a de hidrogénio

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo para uma célula de combustível que funciona com o dobro da tensão das células a combustível tradicionais de hidrogénio. O novo …

Preços das bebidas concertados durante anos. Seis supermercados sob suspeita de cartel

Seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de sumos, vinhos e outras bebidas, foram acusados pela Autoridade da Concorrência de concertarem preços durante vários anos em prejuízo do consumidor. "Após investigação, a Autoridade da Concorrência, …

Sindicato denuncia mobilização forçada de médicos para tratar surto de Reguengos de Monsaraz

O Sindicado dos Médicos da Zona Sul (SMZS) denunciou hoje o que diz ser uma “mobilização forçada de médicos” pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo para o combate ao surto de covid-19 de …

Novo comboio-bala entra ao serviço na linha Tóquio-Osaka

O mais novo modelo de comboio-bala do Japão - o N700S - entrou ao serviço no dia 1 de julho, numa jornada inaugural de Tóquio a Osaka. A série N700S (sendo que o "S" significa "Supreme") …

Kanye West anuncia candidatura à Presidência dos EUA

O músico norte-americano Kanye West anunciou este sábado, Dia da Independência dos Estados Unidos, a sua candidatura à Casa Branca, depois de ter apoiado anteriormente o atual Presidente e candidato à reeleição, Donald Trump. "Agora devemos …

Vídeo revela, pela primeira vez, como é que o cérebro se livra dos neurónios mortos

Uma equipa de cientistas conseguiu usar, pela primeira vez, uma técnica que "mata" uma célula cerebral isolada e permite observar o processo de limpeza do sistema nervoso em tempo real. A equipa de investigadores conseguiu registar …

Reutilizável, dobrável e esterilizável. Novo "escudo" protege profissionais de saúde

Uma equipa de cientistas desenvolveu, recentemente, um dispositivo dobrável em forma de tenda que atua como um escudo físico para os profissionais de saúde na linha da frente contra a covid-19. A tenda redutora de gotículas …