Governo grego remodelado após derrota nas eleições europeias

EPP / wikimedia

O primeiro-ministro grego, Antonis Samaras

O primeiro-ministro grego, Antonis Samaras

O primeiro-ministro conservador grego Antonis Samaras remodelou hoje o seu governo de coligação, com a pasta das Finanças a ser atribuída ao professor e economista Gikas Hardouvelis, informou um porta-voz do executivo.

A decisão surge a meio do mandato de quatro anos da atual coligação, liderada pela Nova Democracia (ND) de Antonis Samaras e que também integra o Partido Socialista Pan-Helénico (Pasok), do vice-primeiro-ministro e chefe da diplomacia Evangelos Venizelos, que reforça o seu peso no executivo.

Nas eleições europeias de maio, e pela primeira vez, a ND foi derrotada pelo partido da esquerda radical Syriza, que obteve mais três por cento de votos e exigiu de imediato legislativas antecipadas.

Gikas Hardouvelis, até agora economista chefe do banco Eurobank, substitui na crucial pasta das Finanças o também tecnocrata Yannis Stournaras, numa remodelação que abrangeu quase metade do gabinete.

De acordo com diversos ‘media’ em Atenas, Stournaras deverá assumir a chefia do Banco da Grécia, quando terminar o mandato do atual governador, Georges Provopoulos.

Na quinta-feira ocorreu uma primeira alteração simbólica no ministério das Finanças com a demissão do diretor-geral dos impostos, Haris Theoharis, conhecido por “senhor impostos“.

Nomeado no início de 2013 por cinco anos para um cargo criado por pressão dos credores internacionais do país (União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), Theoharis foi não apenas criticado pela oposição mas ainda por diversos deputados da direita grega, devido ao endurecimento da política fiscal no âmbito das duras medidas de austeridade.

Gikas Hardouvelis / G+

Gikas Hardouvelis, o novo Ministro das Finanças da Grécia

Gikas Hardouvelis, o novo Ministro das Finanças da Grécia

A Comissão Europeia já considerou que a substituição do “senhor impostos” constitui “motivo de séria inquietação”.

Num país em recessão contínua desde 2009, a dívida pública atinge 176% do PIB, que durante a crise recuou 25%. No total, o resgate concedido ao país para evitar a falência, sob a forma de empréstimos, somas injetadas diretamente ou de uma anulação da dívida aos credores privados, atingiu 380 mil milhões de euros.

A cerca de duas semanas de concluir a presidência rotativa semestral da UE, a Grécia também se prepara para anunciar até ao final de 2014 o fim do programa de assistência financeira, mas pretende retomar as negociações com os parceiros europeus para reduzir a sua dívida pública.

Esta foi a segunda crise do governo desde a vitória eleitoral, em junho de 2012, da ND.

Menos de um ano após a formação do primeiro executivo tripartido, integrado pela ND, Pasok e pela formação de centro-esquerda Dimar, o governo conheceu uma primeira remodelação quando este último partido abandonou o poder após o primeiro-ministro anunciar a decisão de encerrar a radiotelevisão pública.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Mais milhões para o SNS. "Reforço" serve sobretudo para pagar dívidas, mas não resolve o "buraco"

O anúncio do Governo do "reforço orçamental" no Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a ser encarado com desconfiança pelos Sindicatos e entidades representativas dos profissionais de Saúde que alertam que o dinheiro não vai …

Ativistas do Greenpeace pendurados no edifício da União Europeia

Cerca de 30 ativistas do Greenpeace escalaram esta quinta-feira em protesto o edifício da União Europeia, em Bruxelas, onde decorre o Conselho Europeu e será discutido o combate ao aquecimento global. Depois de chegarem num carro …

"Fui muito feliz". Gaitán admite que gostava de voltar ao Benfica

O internacional argentino, que saiu do Benfica há três anos, admitiu em entrevista que gostava de voltar a jogar pelos encarnados. "Claro que gostaria, fui muito feliz no Benfica, senti-me muito confortável no clube. Mas também …

Harvey Weinstein perto de chegar a acordo de 22 milhões de euros com vítimas

O produtor, acusado de vários casos de abusos sexuais a atrizes e funcionárias, terá chegado a um acordo de 22 milhões de euros com 30 atrizes que o processaram. O acordo exige a aprovação do tribunal …

"A minha militância é já longa, nunca tive padrinhos" na política, diz Miguel Pinto Luz

O candidato à liderança do Partido Social Democrata (PSD), Miguel Pinto Luz, disse que o financiamento para a campanha vem de si próprio e de outros militantes. Afirmou que não recusa apoios de quem quer …

Nu num cavalo branco e de saltos altos. Retrato de Emiliano Zapata gera indignação no México

Centenas de manifestantes invadiram o Palácio de Belas Artes do México, na passada terça-feira, por causa de um retrato do general Emiliano Zapata (1879-1919), considerado um herói revolucionário no país. A obra, pintada pelo artista …

Felipe VI designa Sánchez como candidato a formar o próximo Governo

O Rei de Espanha designou, esta quarta-feira, em Madrid, o secretário-geral do PSOE e primeiro-ministro em funções como candidato a chefe do próximo Governo, anunciou a presidente do Parlamento. "Sua majestade o Rei [...] comunicou-me a …

No Porto, há um painel publicitário que recicla tanto ar como 230 árvores

O painel publicitário da Volvo, instalado na fachada de um prédio entre a Avenida da Boavista e a Rua 5 de Outubro, no Porto, é mais do que publicidade. A tela ajuda a reciclar o …

Governo recua e deixa cair proposta sobre perda de férias em caso de baixa prolongada

O Governo recuou e deixou cair a proposta apresentada aos sindicatos que previa que os funcionários públicos mais antigos que estivessem de baixa prolongada perdessem dias de férias, disse esta quarta-feira o líder da Fesap, …

Marta Temido recusa ser "refém" de Centeno e anuncia maior concentração de Urgências até ao verão de 2020

"Eu nunca me senti refém [de Mário Centeno]. Tenho alguma dificuldade nessa leitura. Este reforço de meios também permitirá injetar mais confiança no sistema e criar respostas. Mas não considero que tenho estado refém do …