Governo escocês vai publicar argumentos que permitam novo referendo sobre independência

Scottish Government / Flickr

Nicola Sturgeon, primeira-ministra da Escócia

Nicola Sturgeon disse que o governo da Escócia não deve ser obrigado a “pedir a Boris Johnson ou a qualquer outro primeiro-ministro de Westminster permissão para fazer o referendo”, como está previsto na lei.

A primeira ministra da Escócia anunciou, esta sexta-feira, que o Governo escocês vai publicar na próxima semana os argumentos democráticos para uma transferência de poderes que permita a realização de um referendo sobre a independência da região.

Numa conferência de imprensa em Edimburgo, Nicola Sturgeon, que é também líder do partido nacionalista escocês (SNP), reiterou que o resultado das eleições britânicas de quinta-feira “renova e reforça o mandato” do SNP para “dar aos escoceses uma escolha para o futuro”.

“Dado o veredicto de ontem [quinta-feira], o Governo da Escócia vai publicar na próxima semana os argumentos democráticos detalhados de uma transferência de poder para permitir um referendo sobre independência que possa ser realizado sem hipótese de ser juridicamente questionável”, afirmou.

O SNP, que nas últimas semanas fez campanha contra o Brexit e pela realização de um segundo referendo sobre a Independência da Escócia, elegeu na quinta-feira 48 deputados, das 59 circunscrições escocesas no Parlamento britânico, mais 13 do que nas últimas eleições.

Esta sexta-feira, Sturgeon insistiu que um referendo deve ser responsabilidade de um governo da Escócia, que não deve ser obrigado a “pedir a Boris Johnson ou a qualquer outro primeiro-ministro de Westminster permissão para fazer o referendo”, como está previsto na lei.

“Se a Escócia se torna ou não independente depende da vontade das pessoas que vivem aqui, e sublinho, todos os que vivem aqui, independentemente de onde vêm”, afirmou. “Não é uma exigência minha ou do SNP. É o direito do povo da Escócia e você, como líder de um partido derrotado na Escócia não tem o direito de ficar no caminho”, disse a líder escocesa, dirigindo-se a Boris Johnson.

O povo da Escócia falou, é altura de decidir o nosso futuro“, acrescentou.

No seu discurso, a primeira-ministra escocesa afirmou que as eleições de quinta-feira permitem confirmar que “a grande maioria das pessoas na Escócia quer ficar na União Europeia”, uma decisão expressa no referendo de 2016, reforçada nas eleições de 2017 e nas Europeias deste ano e “enfaticamente confirmada” na noite de quinta-feira.

Westminster ignorou o povo da Escócia por mais de três anos. Ontem o povo da Escócia disse já chega. É hora de o Governo de Boris Johnson ouvir”, disse Sturgeon.

“[O primeiro-ministro] tem um mandato para o ‘Brexit’ em Inglaterra, mas não tem qualquer mandato para tirar a Escócia da UE. Se insistir vai agredir o princípio na base da constituição do Reino Unido. A ideia de que a União é uma parceria de nações iguais”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Nada nos vai fazer recuar". Macron desperta a raiva do mundo muçulmano (e enfurece Erdogan)

Emmanuel Macron, presidente de França, assumiu posições muito claras na defesa da liberdade de exibir as caricaturas de Maomé, no âmbito da homenagem ao professor decapitado na semana passada, suscitando protestos em vários países muçulmanos. "Nada …

Merkel avisa Alemanha que os próximos meses vão ser “muito difíceis”

A chanceler alemã, Angela Merkel, avisou a Alemanha de que os próximos meses vão ser "muito difíceis", já que o número de infeções por covid-19 continua a crescer diariamente, tendo-se registado 8.685 nas últimas …

Portugal acusado de bloquear lei europeia contra evasão fiscal pelas multinacionais

Os governos português e sueco estão a ser acusados de bloquear, no Conselho da União Europeia (UE), a deliberação de uma lei contra a evasão fiscal por parte de grandes empresas multinacionais digitais. Segundo anunciou esta …

Consumo de antibióticos desce 22% durante a pandemia. Menos 1,1 milhões de embalagens vendidas

O consumo de antibióticos registou uma descida na ordem dos 22% nos primeiros oito meses deste ano. Venderam-se menos 1,1 milhões de embalagens, quando comparado com igual período do ano passado. Entre janeiro e agosto deste …

Portugal regista mais 2.447 casos e 27 mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 2.447 casos positivos e 27 mortes por covid-19. A informação foi divulgada, esta segunda-feira, no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico divulgado hoje revela que …

Testes rápidos devem ser aplicados em surtos em escolas ou lares

A Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, hoje publicada, determina que em situações de surto em escolas, lares ou outras instituições devem ser utilizados preferencialmente testes rápidos no sentido de aplicar "rapidamente as medidas adequadas …

Em Berlim, Marta Temido defende reforma e reforço de poder da OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) deve ser alvo de uma reforma substancial que leve ao reforço do seu poder internacional na sequência da pandemia de Covid-19, defendeu esta segunda-feira a ministra da Saúde, Marta …

PJ faz buscas à Fiscalização e Contratação da Câmara de Barcelos

A investigação, relacionada com contractos efetuados no pelouro da vereadora Anabela Real, estão a ser investigados pela Polícia Judiciária. A Polícia Judiciária (PJ) fez hoje buscas na Câmara de Barcelos, tendo como alvo principal os serviços …

Governo ordena "encerramento compulsivo" do Instituto Superior de Gestão e Administração de Leiria

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, determinou o "encerramento compulsivo" do Instituto Superior de Gestão e Administração de Leiria, instituição privada detida pelo grupo Lusófona, que deverá fechar portas até ao fim …

Em recuperação, Navalny fala sobre envenenamento. “Foi um projeto pessoal de Putin que falhou"

Em entrevista ao canal de televisão inependente Dozhd TV, Alexei Navalny, que se encontra em recuperação da tentativa de assassinato com o agente químico Novichok, garante que ninguém o vai parar e lança farpas a …