/

Governo está em “degradação” e precisa de uma remodelação. Cabrita não tem “decência”

7

Mário Cruz / Lusa

Luís Marques Mendes

No seu comentário semanal no Jornal da Noite da SIC, Luís Marques Mendes fez referência à polémica que envolve o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, comentou a detenção de Joe Berardo e fez um balanço da evolução da pandemia em Portugal e na Europa.

Numa semana em que o assunto do atropelamento mortal com o carro do ministro foi fortemente esmiuçado, Luís Marques Mendes frisa que o acidente não é de “responsabilidade política”, mas sim de uma “grave insensibilidade social”.

Recordando algumas polémicas recentes, o comentador considera que Cabrita já está numa situação “difícil” há muito tempo, sendo que “há meses” que o governante não tem “condições políticas para exercer aquela função”, considerando-o “um ministro sob pressão”, que se vai “arrastar penosamente a partir de agora”, defendendo ainda que António Costa deveria afastá-lo.

Questionado sobre se António Costa não tem coragem para agir, Marques Mendes respondeu “tem dias”.

Na opinião de Marques Mendes, o ministro da Administração Interna não fez o que devia ter feito, ao não ter a “decência” de após o acidente “ter uma palavra pública, de lamento, de solidariedade e disponibilidade” para com a família do homem que morreu.

“Não tem culpa do acidente. Mas tem muita culpa no que se passou a seguir. Foi muito feio o que fez e muito feio o que não. Morreu uma pessoa, ficou uma mulher viúva e duas jovens menores sem pai”, sublinhou.

Relativamente a uma possível remodelação no Governo, o ex-líder do PSD diz que pensa que “António Costa vai fazer uma remodelação”, a qual deveria ser “antes das eleições autárquicas”, uma vez que o Executivo está em séria “degradação”.

Marques Mendes falou de uma “remodelação virtual” que já está a acontecer, referindo-se às declarações de Augusto Santos Silva ao Expresso, que em entrevista disse esperar regressar à atividade de professor até 2026.

No que diz respeito à detenção de Joe Berardo, empresário indicado por 13 crimes, o comentador realça que esta apenas surpreende por ser “tardia”.

“Tarde, mas ainda bem [que aconteceu]”, comentou, apontando o dedo ao “comportamento retórico normalmente execrável de Joe Berardo”.

Sobre a pandemia, Marques Mendes afirmou “que se vive uma enorme confusão”, referindo-se à comunicação feita pelo Governo, que é agora “um desastre”.

O comentador deu exemplos das divergências na comunicação, incluindo o recente isolamento do primeiro-ministro mesmo tendo este a vacinação completa, a polémica em torno da vacina de toma única da Janssen, o dever de recolhimento, que uns dizem ser “uma imposição” e outros uma “recomendação”, e ainda a questão do certificado covid e das reuniões do Infarmed – “a última foi há mais de um mês”.

Marques Mendes apresentou ainda vários quadros que mostram que o número de novos casos está a aumentar, sendo que Portugal é o 2.º pior país da UE.

  Ana Isabel Moura, ZAP //

7 Comments

  1. Continuo a pensar que este Cabrita é mesmo um ministro parasita, ou seja, se não fosse a política ele morreria à fome!
    Há gente assim.
    Não prestam, são meros vaidosos incompetentes, mas sabe-se lá por que motivos, os primeiros ministros escolhem-nos e, mesmo depois de todos os cidadãos constatarem que são meros actores de uma peça de teatro horrível, mantêm-nos no activo!

  2. Políticos rasca em cena: Continua a tentativa de assassínio politico a reboque da morte de um homem.

    Segue-se a populaça de archote em punho.

    • Mais que morta está a personagem de um “ruminante” abominável que é, autenticamente, o bobo do governo e bombo da festa.

    • Não creio que esse seja o caso, o Cabrita já estava em maus lençóis antes do acidente, com toda a incompetência á volta do SEF e do caso do re-alojamento dos emigrantes e forma como foi feito.

      O acidente na realidade veio salvar o ministro, so se fala disso (o que lhe permite responder … não vinha a conduzir, ou seja é como se voce estiver dentro do autocarro que atropelou mortalmente uma pessoa, a responsabilidade é 0) e entretanto esqueceram-se do resto da incompetência.

      O que o acidento veio expor é uma serie de irregularidades do governo e muitas delas do gabinete do Cabrita, é errado o aproveitamento politico do acidente, mas é ainda mais errado, por ter havido um acidente, fechar os olhos aos motivos do porque o carro não estar registrado, qual era a velocidade, e se vinha em excesso de velocidade tinha as luzes de emergência, e se tinha luzes de emergência haveria motivo justificado?

      Enfim, ninguém o culpa do acidente, mas se as praticas erróneas levaram ao acidente, então ele deve ser responsabilizado … tal como todos os outros portugueses.

      Mas o governo é diferente e tem regras diferentes …

  3. O advogado anão que faz de conta que é comentador a falar em decência?…
    Hahahahaaa…
    Este é do mesmo calibre do Cabrita, ou pior…

  4. Decência ?!?
    Cabrita é o pior escroque que chegou a ministro.
    O PS deveria pedir desculpas ao país por nos sujeitar a esse animal.

  5. … e a culpa também é do chefe. Um chefe também responde pelos seus subordinados e se eles se portam mal, o chefe deve tomar as medidas necessárias: castigar ou pôr na rua, caso contrário é conivente..

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.