CTT, professores reformados ou escuteiros. Governo quer ajuda para entregar TPC a alunos sem Internet

O Governo sugere às escolas que recorram aos carteiros para entregar fichas e trabalhos de casa aos alunos sem acesso às aulas à distância, devido à pandemia Covid-19, e que peçam ajuda a voluntários, professores reformados ou escuteiros.

Desde segunda-feira que as escolas estão encerradas para tentar conter a disseminação do novo coronavírus e mais de dois milhões de crianças e jovens – da creche ao ensino superior – estão em casa, a aprender através do ensino à distância. No entanto, como um em cada cinco alunos não tem computador em casa e 5% das famílias com crianças até aos 15 anos não tem Internet, o Governo criou um conjunto de soluções que vai apresentar às escolas para tentar minimizar o problema.

“As escolas e os professores têm, naturalmente, sentido constrangimentos em garantir o contacto com os alunos especialmente carenciados ou vulneráveis”, reconhece o Ministério da Educação em comunicado, sublinhando que este problema é “um dos principais focos de preocupação” da tutela.

Para manter o contacto e o apoio aos alunos com maior risco de exclusão social, o Governo sugere aos directores de turma e outros professores que sinalizem os alunos sem acesso às aulas, os que não participam ou que estão a participar pouco nas actividades propostas.

Também os agentes do Programa Escola Segura (EPES) são chamados a intervir para continuar o seu trabalho de proximidade com os estudantes, fazendo a articulação entre a escola e os alunos, mas também dando apoio domiciliário.

O Governo propõe ainda às escolas que, em caso de necessidade, se articulem com os CTT para que este serviço possa “entregar e levantar as fichas de apoio e os trabalhos ao domicílio”, lê-se no comunicado enviado pelo Ministério da Educação (ME). Segundo a Confederação das Associações de Pais e Encarregados de Educação (Confap), já há alunos cujas famílias têm mais dificuldades no acesso online que estão a levantar os trabalhos da escola em papel.

De acordo com a Confap, esta prática é possível com a colaboração articulada das autarquias, das escolas e das associações de pais, estando igualmente previsto que os CTT também possam colaborar neste processo.

“Os alunos estão em casa para melhor se garantir a sua segurança, mas não estão de férias”, lembra a confederação, para a qual é fundamental atingir os objectivos do ano lectivo, conforme planeado.

“É por isso, também para os alunos, o mesmo que estar em teletrabalho“, refere fonte da Confap.

Outra das sugestões do Governo é definir canais de comunicação simples com as crianças e jovens em situação de vulnerabilidade. “Privilegiar canais fáceis, momentos de contacto diário, através de todas as formas de comunicação disponíveis, como o telefone (voz ou mensagem)”, são as alternativas avançadas pelo ME.

No caso dos alunos que têm telemóvel e acesso ao Whatsapp ou a outras aplicações semelhantes, é sugerido que se estimule “o envio de dúvidas e trabalhos por mensagem ou fotografia”, explica o ME.

É ainda proposto que sejam mobilizados estudantes, professores reformados, escuteiros e voluntários para interagirem com as famílias e crianças, fomentando exercícios que sejam compatíveis de se realizar à distância de um telefonema ou de um ecrã.

Noutros casos, estes voluntários poderão entregar e recolher fichas ao domicílio e depois fazer a sua correcção.

O Governo apresenta uma lista de quem pode fazer este trabalho: estudantes, designadamente na área da educação, pessoal dos bancos de voluntariado das câmaras municipais e das universidades, docentes reformados e até embaixadores dos países de origem dos imigrantes.

Também os dirigentes do Corpo Nacional de Escutas, dirigentes associativos e vigilantes escolares podem participar nesta missão de não deixar ninguém de fora, sublinha o Governo. As organizações não-governamentais, as associações de migrantes e outras entidades de quem a escola seja parceira também se podem envolver neste projecto.

O Governo lembra ainda que pode passar pela mobilização de parceiros locais para apoio, designadamente através de disponibilização de ‘wi-fi’ ou equipamentos.

A rede de apoio do Alto Comissariado para as Migrações (ACM) também pode ser um parceiro essencial, segundo o comunicado do ME que lembra que o ACM pode identificar crianças e jovens em situação de vulnerabilidade, uma vez que esta entidade tem um contacto privilegiado com a população imigrante, refugiada e oriunda de contextos vulneráveis.

“Destas crianças, sinaliza aquelas que têm e não têm acesso à Internet, ‘smartphones’, ‘tablets’, redes sociais, comunicando posteriormente aos respectivos estabelecimentos escolares”, acrescenta o comunicado referindo-se ao trabalho que poderá ser feito pela rede do ACT.

O Governo refere que se deve recorrer aos conhecimentos e equipas dos projectos Escolhas – um programa que nasceu no início do Século a pensar nos jovens desfavorecidos, nomeadamente crianças imigrantes ou portuguesas ciganas.

O ME observa ainda que os canais de televisão se disponibilizaram para divulgar conteúdos educativos em momentos específicos e que, por isso, os alunos devem ser estimulados a assistir a esses conteúdos.

A Direcção-Geral da Educação lançou na segunda-feira um microsite com recursos e ferramentas de ensino à distância para apoiar os professores na condução das aulas. O objectivo da plataforma, segundo a tutela, é disponibilizar novos recursos e partilhar práticas que os docentes possam ter de adoptar para “manter o processo de ensino e aprendizagem em funcionamento”.

As actividades nas escolas estão suspensas até ao dia 9 de Abril devido à pandemia de Covid-19.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Testes rápidos registaram maior número de sempre. APED defende venda nos super e hipermercados

O recurso a testes rápidos de antigénio à covid-19 está a aumentar em Portugal, tendo atingido o maior número a 7 de abril, com mais de 34 mil realizados nesse dia, segundo dados do Instituto …

Francisco Rodrigues dos Santos admite que tem sido "difícil" juntar o CDS (mas "não por falta de iniciativa")

Francisco Rodrigues dos Santos, presidente do CDS-PP, afirmou, numa entrevista ao Jornal de Notícias e TSF que tem sido "difícil" conquistar a coesão do partido. Em entrevista ao Jornal de Notícias e à TSF, o líder …

Isabel dos Santos usou equipa de espiões para provar "conspiração" e "vingança" de João Lourenço

A empresária Isabel dos Santos contratou uma firma de antigos agentes secretos israelitas para provar que foi vítima de um ataque orquestrado pelo governo de João Lourenço. Isabel dos Santos criou uma equipa de espiões para …

"Perdemos o avô da nação". Morte do príncipe Filipe deixou "um grande vazio" na vida de Isabel II

A morte do príncipe Filipe, duque de Edimburgo, na sexta-feira, aos 99 anos, deixou a Rainha Isabel II, sua esposa, com "um grande vazio na sua vida", disse este domingo aos jornalistas o seu filho …

Mapa online interativo ajudou indígenas do Panamá a fazer frente à pandemia

Quando a covid-19 chegou ao Panamá no ano passado, o cartógrafo Carlos Doviaza temeu pelas pessoas indígenas da sua comunidade. Por isso, para as ajudar, dedicou-se a fazer aquilo que faz melhor: mapas. "Pensei: 'Porque não …

"A política ama traição, mas despreza o traidor". Sócrates acusa PS de "ataque injusto" (e diz-se alvo de "vingança" da direita)

"A política ama a traição, mas despreza o traidor". No livro "Só Agora Começou", que será publicado nos próximos dias, José Sócrates acusa a atual direção do PS de traição. De acordo com o Diário de …

Portugal regista mais 566 casos e seis óbitos por covid-19

Portugal registou, este domingo, mais seis mortes e 566 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde …

PS quer que Cavaco Silva diga "quando é que soube do buraco do BES"

O PS quer que o antigo Presidente da República Cavaco Silva esclareça "quando é que soube do buraco do BES" e porque é que "não agiu atempadamente" para evitar o aumento de capital, que gerou …

Perdoar o passado, celebrar o renascimento e cumprir tradições. A primavera traz o Nowruz, o ano novo persa

Assim que as flores começam a desabrochar e os dias ficam mais longos, fica claro que o Nowruz está prestes a chegar. A celebração do ano novo iraniano é secular, com raízes que remontam a …

“Mostrámos que sabemos governar”. Bloco apresenta candidata a Lisboa (e abre a porta a acordo com PS)

O Bloco de Esquerda apresentou a candidatura de Beatriz Gomes Dias à Câmara Municipal de Lisboa, pediu “mais força” para determinar a governação da cidade e abriu a porta a novos entendimentos com o PS …