Antigo gestor de Isabel dos Santos denuncia “contrato falso” da Sonangol

Manuel Araújo / Lusa

O antigo assessor da empresária Isabel dos Santos na Sonangol, Mário Leite da Silva, queixou-se junto de reguladores internacionais sobre um “contrato falso” que terá lesado a petrolífera angolana em 193 milhões de euros em 2005.

Este contrato é falso e foi levado ao conhecimento oficial pelo Ministério Público de Angola num processo judicial de arresto contra as pessoas de Isabel dos Santos e seu marido Sindika Dokolo e contra a minha pessoa”, escreve Mário Leite da Silva, na denúncia dirigida a reguladores internacionais, entre os quais o Banco de Portugal, a que a agência Lusa teve esta quarta-feira acesso.

O gestor português, que foi presidente do conselho de administração do Banco de Fomento Angola quando a empresária controlava a instituição, afirma ter tido conhecimento do “contrato falso” pela análise de documentos que fez após ter sido alvo de um processo cível interposto pela justiça angolana.

Em causa está o acordo da Sonangol – então liderada por Manuel Vicente, que viria a ser vice-presidente de Angola, sob a presidência de José Eduardo dos Santos – com a Amorim Energia para entrada no capital da Galp.

Para tal, a Sonangol constituiu com a Exem Energy, de Isabel dos Santos, a joint-venture Esperaza, cabendo 60% à petrolífera e os restantes 40% à empresária. Posteriormente, a Esperaza detém 45% do capital da Amorim Energia, holding que tem uma posição de 33,34% na petrolífera portuguesa. Indiretamente, os angolanos controlam assim 15% da Galp.

Segundo a justiça angolana, o capital inicial da Esperaza, no valor de 193 milhões de euros, foi investido na totalidade pela petrolífera angolana, que reclama judicialmente o valor em dívida que corresponderia à parte da empresária.

Leite da Silva acusa o Ministério Público de Angola de atuar “em sub-rogação” dos interesses da Sonangol no sentido de obter, “como conseguiu”, o arresto dos bens de Isabel dos Santos, do marido da empresária, o congolês Sindika Dokolo, e dele próprio.

A sociedade Esperaza foi adquirida em 2006 mas o contrato para entrada na joint-venture, que Mário Leite Silva diz ser falso, “tem data do dia 30 de novembro de 2005” e terá permitido a retirada dos 193 milhões de euros da Sonangol.

“As pessoas que surgem a assinar o referido ‘contrato’ em representação da Esperaza (Fernando Santos, à data responsável jurídico da Sonangol e Francisco Lemos José Maria, à data, administrador financeiro da Sonangol que posteriormente foi designado presidente do Conselho de Administração desta empresa estatal) não tinham vínculo laboral e/ou poderes de representação conferidos pelo ABN AMRO Special Corporate Services B.V., na Esperaza à data de 30 de novembro de 2005 ou em qualquer data anterior a 30 de janeiro de 2006″, escreve Mário Leite da Silva, referindo-se ao momento em que a Sonangol entrou no capital social da Esperaza.

“Uma vez que no contrato de suprimentos falso consta a assinatura das pessoas que assinaram em representação da Esperaza – não se incluindo o nome das mesmas no local das respetivas assinaturas (Fernando Santos e Francisco Lemos José Maria) conseguimos comprovar que foram estes que assinaram comparando as assinaturas do alegado ‘contrato’ de suprimentos com outros documentos que os mesmos assinaram”, acrescenta o gestor.

No mesmo documento, o gestor sublinha que o “contrato” em causa “integra o crime de falsificação de documento e uso de documento falso” e indicia a “retirada ilícita de fundos públicos da Sonangol” e a prática de crimes de apropriação – peculato, abuso de confiança ou burla – participação económica em negócio, “bem como o branqueamento dos respetivos valores”.

“Nunca tive conhecimento, direto ou indireto da existência do referido contrato (…) tomei conhecimento em 2020 da existência deste documento”, escreve. A denúncia refere ainda que os desembolsos previstos no contrato em causa “cujo valor ascende a 193.465.406,23 euros” foram “integralmente” realizados mas que “não foi junto ao processo de arresto (…) a evidência dos movimentos bancários subjacentes ao mesmo”.

Na carta enviada aos reguladores, Leite Silva afirma ter liderado pelo lado da Amorim Holding II SGPS S.A. a venda da Esperaza aos acionistas angolanos em 2006.

A carta de 19 páginas assinada por Mário Leite da Silva foi enviada de Lisboa no passado dia 11 de setembro para o Banco de Portugal, Banco Nacional de Angola, De Nederlandsche Bank, Banco Central Europeu, ABN AMRO Bank, Banco Comercial Português, Bank of America, Standard Chartered Bank e para o Parlamento Europeu.

O queixoso pede aos reguladores que seja efetuada uma “averiguação reforçada” e urgente “às circunstâncias que dão contexto ao surgimento do referido ‘contrato’, de modo a apurar atos de natureza ilícita e quem foram os responsáveis”. A carta inclui mais de uma dezena de documentos em anexo, entre os quais o contrato entre a Sonangol e a Esperaza que Mário Leite da Silva diz ser “falso”.

A Lusa tentou obter mais explicações do gestor, mas Mário Leite da Silva preferiu não fazer comentários.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Comissão Europeia envia primeiro “cheque” do PRR na próxima semana

A Comissão Europeia irá fazer o pagamento da primeira verba do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) no decorrer da próxima semana. Na sessão de assinatura dos contratos do Mecanismo de Recuperação e Resiliência da União …

Marcelo pede ao TC fiscalização do artigo 6.º da Carta de Direitos na Era Digital

O Presidente da República pediu, esta quinta-feira, ao Tribunal Constitucional a fiscalização sucessiva do artigo 6.º da Carta Portuguesa de Direitos Humanos na Era Digital em vigor, tendo em conta o "importante debate público" sobre …

Portugal regista mais 10 mortes e 3009 casos de covid-19

Portugal registou, esta quinta-feira, mais 10 mortes e 3009 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3009 novos …

Ministra da Coesão diz que Portugal vai precisar de imigrantes

A ministra da Coesão Territorial disse hoje que a perda de população é preocupante e que Portugal vai ter de trabalhar numa política de imigração muito ativa e acolhedora para fazer face aos investimentos previstos. "Estando …

Testes rápidos serão gratuitos até ao final de agosto

A comparticipação a 100% dos testes rápidos de antigénio (TRAg), que vigorava até final do mês, foi alargada até 31 de agosto, segundo uma portaria esta quinta-feira publicada em Diário da República. "Perante a atual situação …

Tiago Antunes acusa Rui Rio de usar Constituição como "moeda de troca" para agradar ao Chega

No podcast Política com Palavra do PS, o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Tiago Antunes, acusou Rui Rio de propor a revisão da Constituição e do sistema eleitoral como "moeda de troca" para o …

Pedro Nuno Santos quer receitas da rodovia a ajudar a financiar a ferrovia

Há dois anos, o ministro defendia a possível separação da REFER das Estradas de Portugal. Agora, volta atrás e quer que as receitas de rodovia ajudem a financiar a ferrovia. O Ministro das Infraestruturas e da …

A China está a construir 110 novos silos nucleares. Estados Unidos estão preocupados

Na segunda-feira, a Federação de Cientistas Americanos (FAS) publicou um relatório no qual denuncia a existência de um campo de instalações nucleares perto da cidade de Hami, na província chinesa de Xinjiang. Estarão a ser …

Inglaterra desconfinou totalmente. Então, porque estão os novos casos a descer?

O fim das restrições a 19 de Julho fez soar alarmes por toda a Europa sobre o possível aumento exponencial de casos. Na verdade, o número de novos casos tem vindo a descer e a …

Siza Vieira admite possibilidade de "alargar" funcionamento das atividades económicas

O ministro de Estado e da Economia disse que o Conselho de Ministros desta quinta-feira vai analisar "todas as medidas restritivas" atualmente em vigor e terá a possibilidade de "alargar" o funcionamento das atividades económicas. "Eu …