Germano Almeida vence Prémio Camões 2018

Leandro Müller / Wikimedia

O escritor cabo-verdiano Germano Almeida

O escritor cabo-verdiano é o vencedor do Prémio Camões 2018, foi anunciado esta segunda-feira, no Hotel Tivoli, em Lisboa.

Germano Almeida, advogado e escritor, nascido na ilha da Boavista em 1945, foi distinguido hoje por unanimidade com o Prémio Camões, a mais importante distinção da Língua Portuguesa e que tem um valor monetário de cem mil euros.

“A minha admiração por Germano Almeida vem de longe”, admitiu o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, durante a conferência de imprensa do anúncio do prémio, sublinhando que “o auto-humor” é uma das principais características da obra do premiado.

“É um romancista muito divertido. É um escritor que sabe rir-se de si próprio e do mundo, e, nesse sentido, é um escritor que apresenta uma visão do mundo muito irónica, crítica e sem ser violenta”, descreveu.

Sobre o anúncio, o ministro da Cultura, ladeado pelos membros do júri, disse: “Estamos muito felizes com este galardão. É mais um ano de Prémio Camões, mais um escritor de língua portuguesa reconhecido e consagrado, portanto estamos todos de parabéns”.

Na mesa também se encontrava presente o embaixador do Brasil em Portugal, Luiz Alberto Figueiredo Machado, que declarou que o prémio “vem demonstrar cada aspeto nacional nesse mar de cooperação e entendimento cultural que é a língua portuguesa”.

O júri da 30.ª edição do Prémio Camões foi constituído por Maria João Reynaud, professora jubilada da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal); Manuel Frias Martins, professor jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (Portugal); Leyla Perrone-Moisés, professora emérita da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (Brasil); José Luís Jobim, professor aposentado da Universidade Federal Fluminense e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Brasil); pelos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), Ana Paula Tavares, poeta e professora de Literaturas Africanas na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (Angola); e José Luís Tavares, poeta (Cabo Verde).

O escritor cabo-verdiano é autor de obras como “O dia das calças roladas”, “O testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo”, “A família trago”, “A ilha fantástica” e “Os dois irmãos”. Está traduzido em países como Itália, França, Alemanha, Suécia, Noruega e Dinamarca. O seu mais recente romance, “O fiel defunto”, sairá nos próximos dias no mercado português pela Editorial Caminho.

Segundo cabo-verdiano a vencer o Prémio Camões

“Felicito o escritor Germano Almeida, vencedor do Prémio Camões 2018”, escreveu Marcelo Rebelo de Sousa, através de um depoimento colocado na sua página oficial.

“Advogado, foi deputado e Procurador-Geral da República. Enquanto ficcionista, tornou-se um dos mais destacados nomes da literatura africana de língua portuguesa, sendo o segundo cabo-verdiano a vencer o Prémio Camões, depois de Arménio Vieira”, salientou o Presidente da República.

Também o primeiro-ministro português congratulou o escritor cabo-verdiano pela “merecida atribuição do Prémio Camões 2018”. Numa mensagem publicada no Twitter, António Costa recordou que o Prémio Camões é “a mais importante consagração literária dessa língua universal que é o português”.

Por sua vez, o chefe de Estado cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, considerou a atribuição do prémio uma “ótima notícia” para o escritor e para o país, fazendo votos para que o terceiro galardão não demore mais nove anos.

É uma ótima notícia para ele em primeiro lugar, para a literatura cabo-verdiana, para os escritores cabo-verdianos e para Cabo Verde. É um importante galardão literário, seguramente o mais conhecido de língua portuguesa, e termos um prémio Camões nove anos depois do primeiro é muito bom”.

“Vai levar a que a nossa literatura seja mais conhecida e pode ajudar a potenciar o conhecimento de Germano Almeida, da nossa prosa de ficção, da nossa literatura e dos nossos escritores no geral. Não podia haver melhor notícia para o país neste momento. É ótimo para a nossa autoestima“, sublinhou.

Sobre a escrita e obra de Germano Almeida, Jorge Carlos Fonseca destacou a “criatividade, a exuberância, o humor e a capacidade inventiva nas histórias que escreve e descreve, seja nos romances, seja nos contos ou novelas”.

O Prémio Camões é o maior galardão da Língua Portuguesa, e foi instituído por Portugal e pelo Brasil em 1988.

Com a sua atribuição, é prestada anualmente uma homenagem à literatura em português, recaindo a escolha num escritor cuja obra contribua para a projeção e reconhecimento “do património literário e cultural da língua comum”, segundo o protocolo estabelecido entre Portugal e o Brasil, assinado em junho de 1988, que instituiu o prémio.

O Prémio Camões foi atribuído pela primeira vez em 1989, ao escritor português Miguel Torga e, na mais recente edição, em 2017, foi entregue ao poeta Manuel Alegre.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pais da bebé Matilde ajudaram Tomás a tratar cancro nos ossos

Tomás Leal, de 5 anos, tal como a irmã, Marta, de 9 anos, sofre de cancro nos ossos. Os pais recorreram à Clínica Universidad de Navarra, em Espanha, para uma solução médica que evite …

Já é conhecido o novo Governo. Há mais mulheres e cinco novos ministros

António Costa levou esta tarde os nomes do novo Governo que foram validados pelo Presidente da República. Costa quis deixar o assunto encerrado antes de partir para o Conselho Europeu de quinta e sexta-feira. A …

Relação de Lisboa reconhece insónias como motivo para indemnização

Uma empresa foi obrigada a indemnizar três funcionários que tinham sido despedidos e a reintegrá-los. A Relação de Lisboa considerou que os trabalhadores "passaram a andar deprimidos e ansiosos, dormindo mal" e por esse motivo …

Incêndio no Pinhal de Leiria terá originado de dois reacendimentos

O incêndio na Mata Nacional de Leiria, no dia 15 de outubro de 2017, resultou de dois reacendimentos de um incêndio após uma queimada e outro de um possível fogo posto, refere o despacho de …

Peste suína leva China a proibir carne de Timor-Leste

A China interditou a entrada de carne de porco proveniente de Timor-Leste devido ao surto de peste suína africana detetado no arquipélago. Segundo um edital publicado esta terça-feira pela Administração Geral da Alfândega da China, mas …

Lisboa está entre as cem cidades com os melhores hospitais do mundo

Lisboa figura na lista das cidades com os melhores hospitais do mundo segundo o estudo "Best Hospital Cities Ranking 2019", realizado pela primeira vez pela tecnológica da área da saúde Medbelle, uma startup baseada em …

Gaudêncio demite-se da liderança do PSD/Açores e pede eleições internas antecipadas

O líder do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, demitiu-se esta terça-feira do cargo e vai pedir eleições internas diretas, não adiantando se se irá recandidatar ao cargo que assumiu há um ano. Alexandre Gaudêncio anunciou esta terça-feira, em …

Mortes causadas por agentes da polícia crescem 4,3% com Bolsonaro no poder

Agentes da polícia no Brasil causaram a morte de pelo menos 2.886 pessoas nos primeiros seis meses deste ano, mais 4,3% que os 2.766 registados no mesmo período do ano passado. Segundo um levantamento divulgado na …

Duarte Cordeiro, Alexandra Leitão e Ricardo Serrão Santos. Costa e Marcelo reunidos para falar sobre novo governo

O primeiro-ministro indigitado está esta tarde reunido com o Presidente da República, na habitual reunião semanal, que foi antecipada e que servirá para António Costa entregar a composição do novo governo a Marcelo Rebelo de …

FMI. Portugal vai crescer acima da zona euro em 2019 e 2020

Com a revisão em alta de 0,2 pontos percentuais para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, o FMI posiciona as suas previsões alinhadas com as do Governo, mas mantêm-se menos otimista para 2020 do …