Galinhas e leitões vivos para consumo à venda na Internet (e bichos-de-seda para companhia)

Stephen & Claire Farnsworth / Flickr

Galinhas, coelhos e leitões vivos estão à venda na Internet para consumo humano. Até é possível comprar bichos-de-seda como animal de estimação para crianças. Este tipo de comércio não está devidamente regulamentado, mas o Ministério não vê problemas.

São mais de 4 mil os anúncios de venda de animais vivos para consumo humano que existem em plataformas digitais como o OLX e o Custo Justo, segundo uma investigação do Jornal de Notícias.

galinhas e galos vivos à venda por valores que vão dos 7 aos 15 euros, coelhos a cinco euros, codornizes a 1,5 euros, leitões para abate caseiro por 45 euros, borregos a 60 euros e vitelas por 800 euros, como reporta o JN.

Também se podem encomendar ovos frescos, de galinha, codorniz ou avestruz, pelo correio, com o prazo de validade a ser garantido apenas pela palavra do vendedor.

É ainda possível adquirir o mangalica, um animal que é “uma mistura de porco com ovelha, oriundo da Hungria”, como destaca o JN, frisando que é considerada uma carne de primeira qualidade e que se pode adquirir na Internet “a preços de saldo” por 195 euros.

São centenas de anúncios com vendedores que, muitas vezes, assumem pseudónimos e têm contactos condicionados, fechando os negócios exclusivamente por email ou por SMS. Uma forma de “fugir” a eventuais problemas legais.

Apesar de não haver regulamentação específica para este tipo de comércio, fonte do Ministério da Agricultura (MA) garante ao JN que não há riscos para a saúde pública, atribuindo à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) o dever de fiscalizar.

Contactada pelo JN, a ASAE não aponta quantas acções de fiscalização efectuou neste âmbito.

Vários Associações de Defesa dos Animais já lamentaram que este tipo de comércio pode pôr em risco a Saúde Pública.

Mas o MA não vê necessidade de mais normas legais, frisando que a regulamentação existente sobre o transporte de animais vivos é suficiente.

“O abate para auto-consumo está autorizado para todas as espécies, mediante o cumprimento de regras específicas publicadas em edital da Direcção-Geral de Veterinária”, frisa o MA, reforçando que não existe “risco sanitário ou de saúde pública”.

A venda na Internet de animais de companhia é proibida desde 2017, por iniciativa do PAN, excepto quando os anunciantes cumpram determinados requisitos legais, nomeadamente a assinatura de um contrato de venda e factura.

Mas apesar disso, continuam a surgir online anúncios de venda do burro mirandês, uma espécie protegida pela União Europeia desde 2002, por se encontrar em vias de extinção. Cada exemplar do animal pode custar entre 300 e 600 euros, segundo o JN.

É ainda possível adquirir bichos-da-seda por apenas três euros para entrega por correio azul. Estes animais são anunciados como “muito giros para crianças e muito nutritivos para répteis, anfíbios e artrópodes”, como cita o jornal.

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. São mais confiáveis para consumo que o que se compra nos talhos !!!! E úma forma dos agricultores de subsistência poderem fazer algum dinheirito !
    Santa paciência nestes tabloides ! Os vossos bisavõs, avós e talvez pais tinham já este comercial privado e se calhar ainda vão lá buscar um ovitos, umas batatas, uns frangos, uma perna de porco e trazem para a cidade todos contentes e depois quem nunca viu um porco ou uma galinha ao vivo lembra-se de levantar a lebre !!
    Não há outras noticias ? Será mesmo ? Assim não tem o Pullitzer !!

  2. Parem de regulamentar! Já chega de tanta lei e regulamento qualquer dia não podemos por os pés no chão sem pagar uma taxa ou uma multa!

  3. nos somos portugal e e em Portugal que temos que consentrar, temos leis para tudo mas so trazem prejuizo ao cidadao. os legislador nao conhecem a realidade Portuguesa a classe politica so estorva e atrasa o pais.
    relativamente aos animais e uma miseria o que esta a acontecer. respeitem se os animais. mas respeitem-se os humanos. cada um no se lugar. houje quando se fala em animais pensa se logo em caes e gatos porque e um grande negocio se nao desse lucro nao havia tantos veterenarios de cao e gato. quanto ao abate de animais para consumo com as leis que temos para se abater um animal para consumo tem que se sai do conselho onde habita e fazer 300 e 400 km para abater animais, quando as Camaras Municipais deviam ter matadoros e veterinarios para que o cidadao tivesse mais confianca no que come. mas nao tem porque ?

RESPONDER

Ex-aliada de Bolsonaro denuncia grupo difusor de notícias falsas ligado ao Presidente

A deputada brasileira Joice Hasselmann, ex-líder do Governo de Jair Bolsonaro no congresso, denunciou na quarta-feira a atuação de um grupo difusor de "fake news" (notícias falsas) ligado ao atual Presidente, Jair Bolsonaro, e que …

Banco BiG: EUA e China vão chegar a acordo, mas não será duradouro

No "Outlook" para 2020, os analistas do banco BiG defendem que será improvável que Estados Unidos e China cheguem a um consenso suficiente para reverter as taxas aduaneiras impostas. De acordo com os analistas do banco …

Alemanha expulsa dois diplomatas russos. Rússia vai tomar medidas

Dois diplomatas russos, acusados pelo Ministério Público alemão de falta de cooperação na investigação de um homicídio, foram expulsos da Alemanha. A Rússia já reagiu e avisou que tomará medidas. Esta quarta-feira, a Alemanha expulsou "com …

Segurança Social demora quase cinco meses a pagar pensões

Em 2018, os beneficiários da Segurança Social tiveram de esperar, em média, 147 dias - cerca de cinco meses -, entre o dia que se aposentaram e o momento que começaram a receber a pensão …

Empresas fechadas e 28 mil despedimentos. Setor têxtil pode atravessar crise

Até 2025, a indústria têxtil em Portugal pode ver um terço das empresas a fecharem e 28 mil trabalhadores a serem despedidos. Este é o pior cenário equacionado no setor nos próximos anos. O setor da …

Ministério Público arquiva queixa de Aguiar-Branco contra Ana Gomes por difamação

Aguiar Branco tinha levantado um processo de difamação a Ana Gomes por declarações sobre alegadas ligações entre o seu escritório de advogados e o grupo Martifer. O Ministério Público (MP) arquivou a queixa apresentada pelo ex-ministro …

66 louvores a funcionários. Centeno é o ministro mais "agradecido" de todo o Governo

Mário Centeno e os seus secretários de Estado publicaram em Diário da República 66 louvores. O seu gabinete garante que não há qualquer significado político associado - nem mesmo uma despedida anunciada. O louvor é dado …

Os glaciares da Nova Zelândia estão a mudar de cor

À medida que o Hemisfério Sul entra no verão, acontece uma temporada catastrófica de incêndios florestais na costa leste da Austrália. Há casas destruídas, coalas a morrer e um fumo espesso que cobre o estado …

Não se irrite. Fisco vai comunicar de forma mais clara

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai lançar um serviço de apoio e defesa ao contribuinte que usará uma linguagem mais simples e clara. A alteração é inspirada num modelo britânico. A Autoridade Tributária e Aduaneira vai …

Juiz Rui Rangel justificou ganhos com direitos de autor de programa televisivo

O juiz afirmou, perante o plenário do Conselho Superior da Magistratura, que os ganhos fora da magistratura correspondiam a direitos de autor de um programa na televisão. O juiz Rui Rangel, que foi demitido da magistratura esta …