Futuro dos humanos pode pertencer a máquinas com “mentes digitais”

O diretor do Instituto Superior Técnico, sediado em Lisboa, diz que o cérebro humano e a inteligência artificial têm vindo a entrelaçar-se de uma maneira que pode conduzir a cenários imprevisíveis para a espécie, desde logo pela criação de “pessoas digitais”, que se confundem com os seres humanos.

A hipótese de um futuro em que as máquinas inteligentes poderão achar melhor dispensar a humanidade a bem do planeta é admitida como tema de reflexão por Arlindo Oliveira no livro “The Digital Mind” que será apresentado na quarta-feira.

Desde logo, é impossível prever quando se poderá chegar a uma máquina que seja capaz de assegurar a sua própria evolução: “não é para amanhã nem daqui a cinco anos, não sei dizer se é daqui a 500 anos ou 50”, reconheceu Arlindo Oliveira.

Mesmo sem saber quando acontecerá, é possível dizer que haverá primeiro um período de coexistência entre humanos e máquinas artificialmente inteligentes.

“Se acontecer em 50 ou em 100 anos, vamos habituar-nos a essa ideia, como nos habituámos a conviver com os animais domesticados”, de uma forma que poderá não ser pacífica, atendendo a cenários sociais que já se verificam hoje, como a xenofobia.

Como estas máquinas teriam “em princípio, um comportamento interior muito semelhante ou igual aos humanos”, ser-lhe-iam “conferidos direitos”, uma teoria jurídica que já hoje se discute.

Uma “pessoa digital”, ou uma inteligência dentro de uma máquina, poderia ser o último estádio de uma evolução cujo embrião já hoje se manifesta nos algoritmos que pesquisam os dados dos utilizadores de redes sociais para compilar tendências, gostos, opiniões e ambições.

“Já são evidência muito clara que o comportamento de muitas pessoas é altamente previsível”, apontou Arlindo Oliveira, o que, em última análise, pode levar à destruição da ideia de que cada pessoa é importante, tal como as suas escolhas.

Outro risco da evolução da inteligência artificial é que um sistema capaz de se tornar muito mais inteligente que um humano possa ser uma ameaça para a espécie.

Por exemplo, caso se perguntasse a um computador tão inteligente que fosse capaz de acabar com o aquecimento global, resposta poderia ser “exterminar as pessoas“, indo à raiz da questão.

“Há muitas pessoas que acham que os riscos de sistemas inteligentes, que rapidamente se tornam muito mais inteligentes que os seres humanos, existe. Sistemas que estariam para o ser humano como nós para os cães ou macacos, em que somos superiores, controlamos o destino deles, sobrevivem só se nós quisermos”, afirmou.

Arlindo Oliveira especula ainda que a criação de máquinas inteligentes capazes de produzir versões aperfeiçoadas de si próprias criaria uma “singularidade” em que a intervenção humana deixaria de ser necessária para a tecnologia evoluir.

“Como isto, os humanos deixariam de ser a inteligência dominante na Terra, depois da singularidade tecnológica, a evolução da tecnologia e da sociedade tornar-se-ia completamente imprevisível”, escreve o diretor do Instituto Superior Técnico.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Vão c*gar todos com esta treta de sermos máquinas e de inteligência artificial. Qualquer dia já nem há humanos por causa desta gente que brinca com coisas sérias.

RESPONDER

Afinal, o universo pode ser 2 mil milhões de anos mais novo do que pensávamos

Novos cálculos sugerem que o universo pode ser dois mil milhões de anos mais novo do que aquilo que se pensava. Contudo, é difícil saber com exatidão a sua verdadeira idade. Os cientistas calculam a idade …

O maior vulcão de uma lua de Júpiter pode estar prestes a entrar em erupção

O maior vulcão de Io, uma das quatro grandes luas de Júpiter, pode estar prestes a explodir. Décadas de observação mostram um ciclo periódico nas erupções deste vulcão. De acordo com o Science Alert, o vulcão …

Crianças e adolescentes são quem mais consome açúcar em Portugal

Um estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), que teve por base o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, concluiu que as crianças e os adolescentes são quem mais consome …

A Rússia já sabe como apareceu a fissura na nave Soyuz (mas não revela)

A Corporação Espacial Estatal da Rússia, Roscosmos, já sabe qual é a origem da fissura encontrada há um ano na nave Soyuz MS-09, acoplada à Estação Espacial internacional. Mas não revelará mais informações. "O buraco foi …

SIVRAC, a bicicleta elétrica que se dobra em apenas um segundo

Com um quadro em forma de "X" e dobrável num estalar de dedos, a nova SIVRAC promete ser uma solução prática para quem viaja, por exemplo, de bicicleta para o trabalho. A bicicleta é um …

Porto 2-1 Young Boys | Dragão de duas faces com estreia feliz

O FC Porto entrou na Liga Europa com o pé direito, ao vencer o Young Boys por 2-1, no Estádio do Dragão. Uma primeira parte de enorme qualidade, na qual os suíços só por uma …

Dois turistas foram apanhados a nadar nus em Veneza. Vão pagar 3 mil euros cada um

Os homens checos estavam em Itália para apoiar a sua equipa de futebol - o Slavia de Praga que jogou contra o Inter em Milão -. Os dois visitantes, em Veneza, decidiram dar um mergulho. Um …

Voar sobre as águas do Sena. Paris testa "bolha do mar", um barco-táxi amigo do ambiente

Paris está a testar um novo meio de transporte mais amigo do ambiente: um barco-táxi ecológico que desliza nas águas do rio Sena. Esta semana, o sea bubble (bolha do mar) está em testes no rio …

Há uma "Matilde" na Bélgica que também precisa do medicamento mais caro do mundo

Mais de 950 mil belgas responderam ao apelo de um casal, que precisava de reunir 1,9 milhões de euros para comprar o medicamento mais caro do mundo para a filha. Pia, de nove meses, sofre de …

System of a Down confirmados no festival VOA, no Estádio Nacional

Os System of a Down são a primeira grande confirmação do VOA - Heavy Rock Festival, que em 2020 se realiza a 2 e 3 de julho no Estádio Nacional. De acordo com a Blitz, este …