Futebol norte-americano ajoelha-se contra Trump

John Cetrino / EPA

Jogadores, treinadores e proprietários ajoelham-se massivamente durante o hino nacional antes dos desafios da liga profissional da NFL

O futebol norte-americano uniu-se este domingo no desafio ao presidente dos Estados Unidos Donald Trump, com jogadores, treinadores e proprietários a ajoelharem-se massivamente durante o hino nacional antes dos desafios da liga profissional da NFL.

Horas antes, no Twitter, Donald Trump sugeriu aos proprietários que os atletas que ajoelhassem durante o hino fossem demitidos dos seus clubes, considerando o gesto como falta de respeito pelo país, com o governante a apelar ainda aos adeptos para boicotarem os jogos da NFL.

“Se os adeptos da NFL se recusassem a ir aos jogos até que os jogadores deixassem de faltar ao respeito à nossa bandeira e país, veriam mudanças rápidas. Despeçam-nos ou suspendam-nos!”, ‘twittou’ o dirigente.

Trump acrescentou que “a assistência aos jogos da NFL e os índices de audiência estão de rastos. Jogos aborrecidos, mas muitos assistem porque amam o nosso país. A liga deveria apoiar os Estados Unidos.”

O presidente norte-americano foi ainda mais longe na linguagem, ao sugerir aos proprietários das equipas que dissessem aos desportistas rebeldes “tirem esse f… da p… do campo agora mesmo”.

 

A verdade é que a vaga de protestos inundou as imagens de televisão durante todo o domingo, com jogadores, treinadores e proprietários dos clubes unidos, com um joelho no relvado e braços entrelaçados: em Foxborough, Massachussetes, 15 dos jogadores dos New England Patriots, campeões em título, deram o exemplo.

Mais de 20 atletas dos Cleveland Browns também se ajoelharam no chão enquanto o hino nacional ressoava no jogo contra os Indianapolis Colts: além deste gesto, repetido em vários outros estádios, alguns jogadores negros também levantaram os punhos, imitando o gesto de dois atletas afro-americanos durante os Jogos Olímpicos de 1968.

Em Chicago, a maior parte dos atletas dos Pittsburg Steelers nem sequer ouviram o hino no terreno de jogo, ficando nos balneários.

“Grande solidariedade para o nosso hino nacional e para o nosso país. Estar de pé abraçados é bom, ajoelhados é inaceitável“, respondeu o presidente dos Estados Unidos.

A origem deste gesto remonta ao verão de 2016, quando o ex-‘quarterback’ dos San Francisco 49ers, o afro-americano Colin Kaeernick, se ajoelhou durante o hino em protesto contra os assassinatos de vários negros à mão de polícias brancos, provocando na altura um escândalo nacional.

Não me vou levantar para mostrar orgulho pela bandeira de um país que oprime a gente negra e de cor”, justificou o atleta, atualmente sem clube.

A NFL respondeu às críticas de Trump considerando que os comentários do presidente do país provocam “divisão” e revelam uma “grande falta de respeito”.

No sábado, Trump também entrou em colisão com o basquetebol, quando retirou o convite a Stephen Curry, estrela da NBA, e aos campeões Golden State Warriors, para visitar a Casa Branca.

“Ir à Casa Branca é considerado uma grande honra para uma equipa campeã. Parece que Stephen Curry duvida. Como tal, o convite está retirado“, disse Donald trump, novamente no twitter.

Curry tinha dito que não queria que a equipa visitasse a Casa Branca, onde as equipas campeãs costumam ser homenageadas, em protesto contra o mandato de Trump.

Em resposta ao presidente, a equipa, que recebeu várias mensagens de apoio e solidariedade, irá a Washington em fevereiro para celebrar a “igualdade, a diversidade e a inclusão”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Depois do "selo Brexit", os correios da Áustria emitem o "selo corona" impresso em papel higiénico

O serviço postal da Áustria uniu dois pontos da pandemia do novo coronavírus ao criar um selo impresso em papel higiénico que, segundo os correios, as pessoas também podem, a qualquer momento, usar para ajudar …

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …