Para o fundador da Alibaba, trabalhar 12 horas por dia é uma bênção

Jolanda Flubacher / World Economic Forum

O fundador do Alibaba, Jack Ma

As mais recentes declarações do CEO do grupo Alibaba vieram intensificar os protestos dos trabalhadores das grandes empresas tecnológicas chinesas contra o horário “996”: entre as nove da manhã e as nove da noite, seis dias por semana.

Segundo o The Guardian, os trabalhadores criaram uma “lista negra” das empresas com estas práticas, que já conta com mais 150 entradas, entre as quais estão a Alibaba e a Huawei, por exemplo.

Jack Ma, fundador da Alibaba, considera o “996” uma “grande bênção”, que os trabalhadores devem encarar como uma honra e não um fardo. “Se trabalhas na Alibaba tens de estar pronto para trabalhar 12 horas por dia. De outra forma porque é que vieste para a Alibaba? Não precisamos daqueles que trabalham confortavelmente durante oito horas”, escreveu num chat da empresa na sexta-feira.

A polémica foi tanta que o fundador da gigante tecnológica teve de esclarecer, no domingo, que a decisão de trabalhar horas extra deve ser do funcionário, e que não se trata de uma imposição das empresas.

“Ninguém gosta de trabalhar numa empresa que obriga os funcionários a trabalhar 996. Não só é desumano, pouco saudável e insustentável durante longos períodos, como os trabalhadores, os familiares e a própria lei não o aprovam”, disse o CEO no Weibo. “Se encontrarmos um emprego do qual gostamos, o problema do 996 não existe; mas se não há essa paixão, qualquer minuto no trabalho é um tormento”.

Em novembro, o fundador da Tesla, Elon Musk tinha ido no mesmo sentido defendendo que “nunca ninguém mudou o mundo a trabalhar 40 horas por semana”. A mesma visão do CEO da Alibaba é partilhada pela gigante dos telemóveis, Huawei, que também é acusada de incentivar horários de trabalho mais longos.

Outra das empresas ligadas ao comércio online, a JD.com, também integra a lista negra dos trabalhadores chineses. Richard Liu, o fundador, sustenta que os empregados devem cumprir o horário das nove da manhã às nove da noite, e considera-o necessário para combater o número crescente de “preguiçosos” na empresa.

“Se isto continuar, não há esperança para a JD e a empresa vai ser expulsa do mercado! Os preguiçosos não são meus irmãos”, partilhou Liu numa nota divulgada na sexta-feira.

As 12 horas de trabalho diário, seis vezes por semana, não é prática incomum. Para além do “996”, existe outro horário mais penoso para os trabalhadores chineses. A Ant Financial, empresa também detida por Jack Ma, instituiu um horário “9106” — das nove da manhã às 10 da noite, seis dias por semana.

O tema tem tido presença nas discussões das redes sociais. “A maioria das empresas atuais são máquinas que não podem parar. Somos todos parafusos. Se um parafuso está enferrujado, basta poli-lo, colocar um pouco de lubrificante, aparafusá-lo de novo e usá-lo. Se partir, encontram outro parafuso para substituí-lo. A máquina não pode parar”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. … claro que é o mais rico da China, e os seus funcionários – quero dizer, máquinas – são todos milionários!

RESPONDER

Utentes da Soflusa estão “cansados” de constantes supressões

Os utentes da Soflusa mostraram-se esta segunda-feira "cansados" das constantes supressões das ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, que estão hoje a acontecer durante todo o dia devido à falta de mestres. "Já estou a …

Banco Alimentar recolhe 1.605 toneladas de alimentos no fim de semana

O Banco Alimentar contra a Fome recolheu 1.605 toneladas de alimentos durante o fim de semana da campanha nacional que decorreu em mais de duas mil superfícies comerciais, anunciou a presidente do Banco Alimentar contra …

Sérgio Conceição apontado à Lazio

A imprensa italiana aponta esta segunda-feira o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, à Lazio. O técnico português, recorde-se, passou pelo emblema italiano em duas ocasiões como jogador de futebol. O jornal italiano Il Messaggero adianta …

Filial portuguesa de multinacional alemã envolvida em subornos em Angola

A sucursal portuguesa em Angola da multinacional alemã Fresenius Medical Care, que actua na área médica, esteve envolvida num esquema de pagamento de subornos a médicos e militares angolanos que renderam 124 milhões de euros …

CGD acaba com empresa que criou há quase 20 anos com a PT

Criada há quase 20 anos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e pela Portugal Telecom (PT), a Caixanet foi liquidada no início deste ano, bem como a Caixa Tec e a Sogrupo, duas outras empresas …

MB Way. Bancos "fecham" aplicação para cobrar comissões diferenciadas nas transferências

Em pleno arranque do 'open banking', os bancos estão a substituir a aplicação MB Way por soluções próprias que "amarram" os clientes, com o propósito de cobrar comissões diferenciadas nas transferências através do telemóvel. Segundo noticiou …

A abstenção venceu. É a mais alta de sempre

A abstenção foi a grande figura das eleições europeias deste domingo, tendo 68,7% dos portugueses optado por não votar. A abstenção em Portugal voltou a atingir um novo recorde, enquanto que a taxa de participação …

Neurocirurgia do Hospital de São João deixa os contentores ao fim de 12 anos

O novo serviço de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, está a funcionar desde este sábado. Ao fim de 12 anos, os serviços de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, deixaram de …

Derrota histórica para o PSD. O PS resiste, o Bloco chega-se à frente e o PAN estreia-se

A derrota do PSD, com uma desvantagem de mais de 10 pontos percentuais sobre o PS que foi o vencedor da noite eleitoral, o reforço do Bloco de Esquerda como a terceira força política e …

Sindicalista que parou o país vai representar seguranças privados

O vice-presidente do Sindicato Nacional de Motoristas e Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, vai acumular este cargo com a vice-presidência de um outro sindicato, o Sindicato de Segurança e Vigilantes de Portugal (SSVP), que …