Para o fundador da Alibaba, trabalhar 12 horas por dia é uma bênção

Jolanda Flubacher / World Economic Forum

O fundador do Alibaba, Jack Ma

As mais recentes declarações do CEO do grupo Alibaba vieram intensificar os protestos dos trabalhadores das grandes empresas tecnológicas chinesas contra o horário “996”: entre as nove da manhã e as nove da noite, seis dias por semana.

Segundo o The Guardian, os trabalhadores criaram uma “lista negra” das empresas com estas práticas, que já conta com mais 150 entradas, entre as quais estão a Alibaba e a Huawei, por exemplo.

Jack Ma, fundador da Alibaba, considera o “996” uma “grande bênção”, que os trabalhadores devem encarar como uma honra e não um fardo. “Se trabalhas na Alibaba tens de estar pronto para trabalhar 12 horas por dia. De outra forma porque é que vieste para a Alibaba? Não precisamos daqueles que trabalham confortavelmente durante oito horas”, escreveu num chat da empresa na sexta-feira.

A polémica foi tanta que o fundador da gigante tecnológica teve de esclarecer, no domingo, que a decisão de trabalhar horas extra deve ser do funcionário, e que não se trata de uma imposição das empresas.

“Ninguém gosta de trabalhar numa empresa que obriga os funcionários a trabalhar 996. Não só é desumano, pouco saudável e insustentável durante longos períodos, como os trabalhadores, os familiares e a própria lei não o aprovam”, disse o CEO no Weibo. “Se encontrarmos um emprego do qual gostamos, o problema do 996 não existe; mas se não há essa paixão, qualquer minuto no trabalho é um tormento”.

Em novembro, o fundador da Tesla, Elon Musk tinha ido no mesmo sentido defendendo que “nunca ninguém mudou o mundo a trabalhar 40 horas por semana”. A mesma visão do CEO da Alibaba é partilhada pela gigante dos telemóveis, Huawei, que também é acusada de incentivar horários de trabalho mais longos.

Outra das empresas ligadas ao comércio online, a JD.com, também integra a lista negra dos trabalhadores chineses. Richard Liu, o fundador, sustenta que os empregados devem cumprir o horário das nove da manhã às nove da noite, e considera-o necessário para combater o número crescente de “preguiçosos” na empresa.

“Se isto continuar, não há esperança para a JD e a empresa vai ser expulsa do mercado! Os preguiçosos não são meus irmãos”, partilhou Liu numa nota divulgada na sexta-feira.

As 12 horas de trabalho diário, seis vezes por semana, não é prática incomum. Para além do “996”, existe outro horário mais penoso para os trabalhadores chineses. A Ant Financial, empresa também detida por Jack Ma, instituiu um horário “9106” — das nove da manhã às 10 da noite, seis dias por semana.

O tema tem tido presença nas discussões das redes sociais. “A maioria das empresas atuais são máquinas que não podem parar. Somos todos parafusos. Se um parafuso está enferrujado, basta poli-lo, colocar um pouco de lubrificante, aparafusá-lo de novo e usá-lo. Se partir, encontram outro parafuso para substituí-lo. A máquina não pode parar”.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. … claro que é o mais rico da China, e os seus funcionários – quero dizer, máquinas – são todos milionários!

RESPONDER

"Tenho muitas dívidas, muito financiamento por pagar"

Isabel dos Santos explicou em entrevista à Lusa a origem dos seus investimentos, salientando serem totalmente privados, o que a levou a criar muitas dívidas. Disse ainda que os empresários têm dificuldade em trabalhar e …

Estados Unidos autorizados a aplicar taxas sobre produtos europeus

A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou oficialmente esta segunda-feira os Estados Unidos a aplicar taxas alfandegárias sobre 7500 milhões de dólares de importações oriunda da União Europeia devido aos subsídios dados à Airbus. A OMC …

Tribunal rejeita providência cautelar requerida pela Ordem dos Enfermeiros contra ministério

O Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa rejeitou a providência cautelar pedida pela Ordem dos Enfermeiros (OE) contra o Ministério da Saúde no processo de sindicância à OE, anunciou esta segunda-feira o Governo. Em comunicado, o …

Paraísos fiscais. Portugal transferiu 672 milhões em 2018

Os bancos a operar em Portugal transferiram 672 milhões de euros no ano passado para territórios que constavam das listas de offshores problemáticos da União Europeia. Em 2018, os bancos a operar em Portugal transferiram 672 …

Discurso da Rainha. Entre crime, saúde e imigração, o Brexit foi destaque

Várias propostas de lei relacionadas com o Brexit destacam-se no programa do governo britânico para os próximos meses apresentado esta segunda-feira pela rainha Isabel II no parlamento, o qual inclui a implementação de um eventual …

Conservadores polacos vencem legislativas com maioria absoluta

Os conservadores nacionalistas no poder na Polónia venceram as eleições legislativas com 45,16% dos votos, de acordo com os resultados oficiais que se referem à contagem de 82,79% das circunscrições. O partido conservador eurocético Lei e …

Ambulâncias rejeitadas no Hospital de Setúbal por sobrelotação das urgências

Ambulâncias que chegavam ao Hospital de São Bernardo, em Setúbal, durante a tarde de domingo, foram encaminhadas para outros hospitais. As urgências do centro hospitalar estavam sobrelotadas. Entre as 12h e as 16h30 deste domingo, o …

Professores regressam à greve ao trabalho extraordinário

A paralisação poderá comprometer as avaliações intercalares dos alunos, alertam os sindicatos que pedem o cumprimento do horário de 35 horas semanais. A greve dos professores ao trabalho extraordinário regressa esta segunda-feira às escolas, sem data …

Caos na Síria. Bombardeamentos turcos levam à fuga de centenas de militantes do Daesh presos

Cerca de 800 militantes do Daesh fugiram neste domingo da prisão de Ain Issa, de acordo com a administração autónoma curda, que acusa a Turquia de ter dado “cobertura aérea” para que a fuga fosse …

Supremo Tribunal espanhol reativa mandado de detenção europeu contra Puigdemont

Um juiz do Supremo Tribunal de Justiça espanhol, Pablo Llarena, aceitou o pedido do Ministério Público e reativou o mandado de detenção europeu para a extradição de Carles Puigdemont. O ex-Presidente do governo regional da Catalunha …