Descoberta quarta fuga no Nord Stream. EUA e UE culpam Rússia (mas há outras teorias)

4

Denis Balibouse / AFP

Joe Biden, Presidente dos Estados Unidos, e Vladimir Putin, Presidente da Rússia

A Guarda Costeira sueca descobriu uma nova fuga de gás no gasoduto Nord Stream 2 no Mar Báltico. São, assim, quatro as fugas registadas e os EUA não duvidam que foram causadas, intencionalmente, pela Rússia. Mas há teorias da conspiração que apontam o dedo aos EUA e à União Europeia.

“Há duas fugas do lado sueco e duas fugas do lado dinamarquês“, revela um oficial da Guarda Costeira à agência de notícias France-Presse. As fugas do lado sueco “estão próximas uma da outra”, segundo o mesmo responsável.

“Trata-se de um grande derrame de cerca de 900 metros de diâmetro e outro mais pequeno de cerca de 200 metros”, refere Jenny Larsson, porta-voz da Guarda Costeira, ao jornal Svenska Dagbladet.

Até agora, as autoridades dos dois países tinham confirmado uma fuga na área do Mar Báltico pertencente à Suécia, a nordeste da ilha de Bornholm, e duas na área pertencente à Dinamarca.

As fugas estão a causar agitação marítima significativa na superfície da água, ao longo de várias centenas de metros, o que impossibilita a inspecção imediata das estruturas, segundo as autoridades.

“Tudo aponta para a Rússia”

Suécia, Dinamarca, Alemanha, União Europeia (UE) e NATO alegam que as fugas do Nord Stream foram causadas por um “acto intencional” de “sabotagem”.

Os olhares viram-se para a Rússia, apontada directamente como culpada pela Ucrânia. Mas o Kremlin fala em acusações “sem sentido e absurdas”, apontando antes o dedo aos EUA.

“Tudo aponta para a Rússia”, alegam, por seu turno, autoridades norte-americanas e europeias, embora de forma oficiosa, como cita o Politico.

No meio desta troca de culpas, seguem as investigações levadas a cabo pela UE para tentar perceber o que aconteceu e como.

Os serviços de informações russos (FSB) também abriram um inquérito ao que definem como um “acto de terrorismo internacional”. A Procuradoria acrescentou ainda que “a Federação da Rússia sofreu um grave prejuízo económico devido a estes actos”.

Nesta sexta-feira, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) vai reunir-se a pedido da Rússia, para abordar os incidentes.

Quem tem mais a ganhar com a sabotagem?

Os danos causados nos Nord Stream 1 e 2 são irreversíveis, o que levará os gasodutos a ficarem inutilizados para sempre, anunciaram fontes do Governo alemão citadas pela imprensa do país.

A água do mar vai infiltrar-se nas tubagens devido às alegadas explosões que provocaram as fugas, o que causará uma corrosão irreversível, segundo as referidas fontes.

Mas para quem é mais prejudicial esse dado?

A Alemanha investiu milhares de milhões de euros nas duas infraestruturas. E a Rússia perde, assim, uma ligação importante para o escoamento de gás para a Europa – embora o processo esteja estagnado neste momento devido às sanções impostas ao país no âmbito da guerra na Ucrânia.

Novo aumento nos preços do gás

Em termos de consequências imediatas, as fugas e a inutilização permanente dos Nord Stream podem aumentar ainda mais os preços do gás. Afinal, os gasodutos continham reservas significativas de gás natural que poderiam ser injectadas futuramente no mercado.

Este dado favorece os interesses dos russos, mas também dos EUA, enquanto exportadores de gás.

E por isso mesmo surgem as teorias da conspiração que levantam a possibilidade de terem sido os EUA a sabotar os gasodutos.

Nas redes sociais surge a informação não confirmada de que uma força naval norte-americana estaria a operar na zona do Mar Báltico onde estão as fugas na altura das explosões que as terão provocado.

Há quem recorde também que Biden já tinha prometido que poderia acabar com o Nord Stream 2, reportando-se a declarações do presidente dos EUA em Fevereiro passado, antes do início da guerra na Ucrânia.

Se a Rússia invadir, não haverá mais um Nord Stream 2. Acabaremos com isso”, disse então Biden. E quando uma jornalista lhe perguntou como é que ele faria isso, referindo que o projecto estava nas mãos da Alemanha, Biden respondeu apenas: “Eu prometo, conseguiremos fazê-lo”.

As razões da UE

Por outro lado, há quem defenda que a UE tem mais razões do que a Rússia para destruir os gasodutos, entre as quais culpar Putin pela actual crise energética e económica, escalar a guerra e avançar com uma agenda verde – uma vez que as fugas estão a causar um desastre ambiental no Mar Báltico devido à libertação do gás natural para a atmosfera.

Os Estados-membro da UE já prepararam um plano para se libertarem da dependência do gás russo, incluindo medidas de poupança de energia na expectativa de poder fazer face ao Inverno sem problemas.

Em Março passado, a UE assinou com os EUA um contrato recorde de gás para aumentar o fornecimento deste combustível numa medida que foi uma importante vitória comercial e política de Biden sobre Putin e a Rússia.

Enquanto isso, a Rússia também já anunciou que vai avançar com o gasoduto Força da Sibéria 2 para levar gás à China através da Mongólia. A obra deve arrancar em 2024.

  ZAP // Lusa

4 Comments

  1. Os Russos serem uns impostores em que não se pode confiar, confirmando assim todas as suspeitas anti russo/soviético dos últimos 70 anos, isso já nós ‘pensávamos que sabíamos’.
    Que somos tanto ou mais ‘impostores’ do que eles, é que é novidade.
    Essa ideia de que não faz mal mentir ou conduzir o pensamento das pessoas no sentido que nos favorece (aos ocidentais), mesmo que não seja verdade, ser aceitável porque é por uma boa causa, não é, de facto, ‘ACEITÁVEL’.
    Ao fazê-lo estamos a colocar-nos ao nível daqueles a quem queremos opor-nos.
    E, pior. Sendo nós os supostos exemplos que gostaríamos que os outros seguissem, temos a responsabilidade acrescida do EXEMPLO.
    Esta guerra da Ucrânia tem sido um exemplo vergonhoso da nossa incapacidade para sermos,…EXEMPLO.

  2. Não tem limites o cinismo do filho da Putin e de quem o apoia !!!! Os russos nunca são culpados de nada, começando pela invasão de um país soberano e os restantes crimes de guerra que têm sido praticados !!!! Já não há pachorra para tanto cinísmo, tanta hipocrisia e tanta falta de caráter !!!!

  3. Malandros … Perderam as chaves da torneira e tiveram de arrebentar com o cano que trazia o gás!

    Agora num tom menos melodramático:

    Quando Hernán Cortez incendiou os seus barcos em 1519 deu uma mensagem clara aos seus homens de que não havia “volta atrás”.

    Cortez tinha 600 homens armados com mosquetes contra Astecas armados com lanças.

    Hoje temos um exército “woke” contra um arsenal nuclear que, mesmo enferrujado, é suficiente para aniquilar a espécie humana duas ou três vezes.

    Nós, europeus, poderemos estar perante uma história diferente daquela de há 500 anos?

    E sim, a sabotagem dos gasodutos parece ser o mesmo caso de queimar os navios. Não há volta atrás. Acabou se a dependência e as indústrias europeias bem podem procurar pastagens mais verdes pois por cá não terão futuro.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.