Francisco George: “A greve não é um direito para médicos e enfermeiros”

Arno Mikkor / Wikimedia

Presidente da Cruz Vermelha, Francisco George

O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), Francisco George, disse esta quinta-feira que é contra as greves de médicos e enfermeiros, considerando que este “não é um direito” para os profissionais de saúde em causa. 

Em entrevista ao jornal Público e à Rádio Renascença, o antigo diretor geral da Saúde disse não concordar com este tipo de paralisações, defendendo que as greves nesta área prejudicam os doentes, e não as entidades patronais.

“Não concordo. Não concordo com paralisações nem de médicos nem de enfermeiros”, começou por dizer. “Não fazem sentido, Não podem existir. Sou a favor de movimentos grevistas, quando são justos, e sobretudo quando são contra patrões”.

“Acontece que o doente não é o patrão do grevista. E esta é que é a grande diferença. O grevista lesa o patrão, mas quando o grevista é médico ou enfermeiro não está a lesar o patrão, está a lesar o doente. Nenhum doente, a meu ver, devia ser molestado, devia ser desassossegado quando vai a uma consulta e vê que há greve. E depois são mais seis meses. Isto é inaceitável, intolerável no plano de ética que eu observo”, sustentou.

Para Francisco George, “a greve não é um direito para médicos e enfermeiros”, porque “quem é prejudicado não é o patronato, é o doente”, vincou, confessando-se mesmo “chocado” com as paralisações dos últimos meses.

Na mesma entrevista, e depois de recusar apontar os ministros com que trabalhou que mais se destacaram, o presidente da CVP deixou elogios à atual ministra da Saúde, Marta Temido, adiantando ser “muito amigo” da governante.

“A resposta é muito positiva à pasta que tem, com as dificuldades que tem. Há poucas mulheres jovens como ela, com capacidade intelectual, de conhecimento, para gerir uma pasta como a da Saúde. Durante três anos em que trabalhámos juntos no Ministério da Saúde, eu como diretor-geral e ela presidente da Administração que geria nove mil milhões de euros por ano, que geriu de forma absolutamente vertical e notável”, disse.

“Defendo mais do que o fim” da ADSE

Questionado sobre o eventual fim do sistema de saúde da função pública, Francisco George afirma que defende “mais do que o fim” da ADSE.

“A ADSE devia ter sido dissolvida em 1979, quando os outros subsistemas foram. A ADSE é criada por Salazar em 1963, numa altura em que os funcionários públicos ganhavam muito pouco, mas Salazar não queria que fossem mendigos. E então arranjou ali uma forma de terem acesso a médicos privados. Surge assim o seguro para os funcionários públicos poderem ir a médicos privados e não terem que ir ao hospital público”, afirmou.

Contudo, explica, o panorama e o acesso à saúde em Portugal mudaram, havendo agora mais meios e hospitais ao serviço da função pública.

“Aliás, na altura nem havia Serviço Nacional de Saúde nem sequer hospitais… Este sistema existiu numa altura em que os funcionários públicos não tinham outros meios e os hospitais não existiam. Hoje temos um serviço que cobre o litoral, o interior, o norte, o sul, as regiões autónomas e os funcionários públicos não são o mesmo”, defendeu.

“Repare: 600 milhões de euros para pagar a serviços privados prestados pelos médicos que vêm do público e fazem umas horas no privado. Com a agravante de os hospitais privados terem ido buscar os melhores…”, observou ainda o presidente da CVP.

Depois de 44 anos na Administração Pública, 12 dos quais como diretor-geral da Saúde, Francisco George terminou a sua carreira em outubro de 2017, quando completou 70 anos de idade. Nesse mesmo mês, o Conselho Supremo da CVP elegeu-o por unanimidade como novo presidente nacional da instituição.

SA, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. A greve é um direito de todos os trabalhadores. Na perspectiva deste homem nenhum funcionário público pode fazer greve pois não há patrão mas sim serviço público. Deve ser a idade, por isso o limite são 70 anos na função pública.

  2. Francisco George tem toda a razão !
    Não só os médicos, mas todas as greves que retirem Liberdade a terceiros.
    Se o utente comprou o passe, e depois não tem transporte, está a ser espoliado nos seus direitos.
    Transportar os utentes sem cobrar os bilhetes, seria uma greve justa.
    Os médicos e os juízes terão direito a greve quando todos os outros cidadãos também tiverem, incluindo DESEMPREGADOS e PENSIONISTAS.
    A Regra é sempre válida – A LIBERDADE DE UNS ACABA ONDE COMEÇA A LIBERDADE DOS OUTROS !!

  3. Os doentes são a razão de ser de médicos e enfermeiros, por isso não é aceitável que estes prejudiquem aqueles sempre que reivindicam melhorias remuneratórias. Certamente haverá formas de o fazer, que não a greve, sem usar e dificultar ainda mais a já complexa e vulnerável situação dos doentes, principalmente dos mais desfavorecidos

  4. Tenho certeza que vc foi um dos que foi contra os PMs do ES quando estiveram em greve e aquele estado que ficou em calamidade pública.
    É o mesmo caso… Na realidade alguns órgãos realmente não podem fazer greve pois o maior prejudicado é a sociedade e não o ESTADO propriamente dito!

RESPONDER

Há um enorme buraco na atmosfera de Marte (e a água está a escapar)

Uma vez a cada dois anos, um gigantesco buraco abres-e na atmosfera marciana, deixando escapar para o Espaço uma parte das escassas reservas de água do Planeta Vermelho. O estranho mecanismo meteorológico, nunca visto na Terra, …

Musk vai construir um túnel de alta velocidade em Las Vegas

A Boring Company conseguiu um contrato de 48,7 milhões de dólares para construir um sistema subterrâneo, chamado LVCC Loop, em Las Vegas. A empresa Boring Company, de Elon Musk, foi a escolhida para construir um túnel …

Cientistas podem ter descoberto a verdadeira origem da canábis

A origem da canábis é um mistério, mas a análise de pólen antigo sugere que a planta evoluiu cerca de três quilómetros acima do nível do mar no planalto tibetano. Documentos que datam da Idade Média …

Sporting vs FC Porto | Um ano depois, a Taça para os leões

O Sporting venceu o FC Porto, mais uma vez nas grandes penalidades, e arrecadou a 17ª Taça de Portugal. Num jogo muito disputado no Estádio do Jamor, que terminou empatado 1-1 no tempo regulamentar, o Porto …

Marcelo pede aos portugueses para votarem. "Ficar em casa é um erro enorme"

O Presidente da República pediu hoje aos portugueses que façam o "pequeno sacrifício" de votar nas eleições para o Parlamento Europeu e não deixem "nas mãos de 20% ou de 25% a decisão que é …

Uma cidade inteira dos EUA está refém de cibercriminosos

A cidade de Baltimore, nos Estados Unidos, está sob ataque. Mas a ameaça não vem de pessoas armadas com pistolas e bombas. Há duas semanas, cibercriminosos usaram ransomware - um tipo de software nocivo que restringe …

Abandonado em bebé no aeroporto de Gatwick, Steve encontrou a família 33 anos depois

Um bebé foi abandonado no chão de uma casa de banho do aeroporto de Gatwick a 10 de abril de 1986. Foi quando Beryl Wright encontrou o recém-nascido que começou o mistério que só se …

Monges encontram receita perdida e voltam a fabricar cerveja medieval belga após 224 anos

Os monges da abadia de Grimbergen, na província de Brabante Flamengo, na Bélgica, encontraram a receita original de uma cerveja que era produzida artesanalmente no local há 224 anos e voltarão a fabricá-la. Monges da Abadia …

Nova app permite transmitir consentimento ao par num encontro

Vem aí uma nova app para encontros que nos permite sinalizar quando é que o nosso par tem o nosso consentimento para avançar para o próximo passo. A aplicação permite também ganhar pontos conforme se …

Agências de espionagem dos EUA cedem informações a investigação sobre interferência russa

Trump ordenou às agências de espionagem norte-americanas que deem os dados que têm sobre interferência da Rússia nas presidenciais de 2016 ao Departamento da Justiça. O diretor dos serviços secretos nacionais norte-americanos, Dan Coats, afirmou este …